Lixte

aldeia no Egito
Lixte
Ruínas da pirâmide de Amenemés I
Localização atual
Lixte está localizado em: Egito
Lixte
Localização de Lixte no Egito
Coordenadas 29° 34' N 31° 13' E
País  Egito
Dados históricos
Fundação Reino Médio
Abandono Reino Médio

Lixte (em árabe: اللشت‎; transl.: al-Lišt) é uma vila egípcia localizada cerca de 50 quilômetros ao sul do Cairo. É também necrópole real e da elite do Reino Médio (2055–1650 a.C.) e inclui as pirâmides de Amenemés I (1985–1965 a.C.) e Sesóstris I (r. 1965–1920 a.C.). As duas principais pirâmides eram cercadas por pirâmides menores de membros da família real e várias mastabas de altos oficiais e seus familiares, construídas ao longo da XII e XIII dinastias. O sítio é também conhecido pela tumba de Senebetisi.

HistóriaEditar

A capital da XI dinastia era Egito, mas o primeiro faraó da XII dinastia, Amenemés I (1985–1965 a.C.), mudou a capital para Iti-Taui,[1] em Faium. Embora Iti-Taui ainda não tenha sido localizada, a mudança de necrópole foi um resultado direto da mudança de residência real. O sítio foi necrópole dos primeiros dois faraós da dinastia, Amenemés I e seu filho e sucessor Sesóstris I (r. 1965–1920 a.C.). A pirâmide de Amenemés, situada no extremo norte do sítio, tinha originalmente 58 metros de altura e seu núcleo foi construído usando blocos de calcário obtidos em construções do Reino Antigo (2686–2160 a.C.) em Sacará. O templo mortuário estava localizado no lado leste, e cujo acesso se dava por um caminho de pedra que passava pelo templo no vale escavado pelo Inspetorado de Antiguidades.[2]

O complexo de Sesóstris é similar ao de seu pai e compreendia uma pirâmide de calcário, originalmente medindo 61 metros de altura, cercada por nove pequenas pirâmides subsidiárias. Ao norte do templo mortuário, dez estátuas sentadas do faraó foram localizadas e estão abrigadas no Museu Egípcio do Cairo. As pirâmides estão cercadas por restos de várias mastabas de cortesãos, inclusive aquela do sumo-sacerdote de Ptá Sesóstris-anque, situada a 200 metros a leste da muralha exterior de Sesóstris.[2] Também foi encontrada a tumba de Senebetisi.[3]

Referências

  1. Hayes 1953, p. 172.
  2. a b Shaw 1995, p. 163.
  3. MM 2019.

BibliografiaEditar

  • Hayes, William C. (1953). The Scepter of Egypt- A Background for the Study of the Egyptian Antiquities in the Metropolitan Museum of Art Vol. I. Nova Iorque: Museu Metropolitano de Arte 
  • «Outer coffin of Senebtisi». Museu Metropolitano de Arte. 2019 
  • Shaw, Ian; Nicholson, Paul (1995). «el-Lisht». In: Harry N. Abrams. The Dictionary of Ancient Egypt (em inglês). Nova Iorque: Princeton University Press. ISBN 0810932253