Lolo (filme)

Lolo (bra:Lolo: O Filho da Minha Namorada[1]) é um filme de humor negro francês de 2015, co-escrito e dirigido por Julie Delpy. É estrelado por Delpy, Dany Boon, Vincent Lacoste e Karin Viard.[3] Ele teve sua estréia na seção Venice Days do 72º Festival Internacional de Cinema de Veneza.[4]

Lolo
No Brasil Lolo - O Filho da Minha Namorada
 França
2015 •  cor •  97 min 
Direção Julie Delpy
Produção Michaël Gentile
Roteiro Julie Delpy
Eugénie Grandval
Elenco Dany Boon
Julie Delpy
Vincent Lacoste
Karin Viard
Gênero humor negro
Companhia(s) produtora(s) The Film
France 2 Cinéma
Mars Films
Tempête sous un crâne
Wild Bunch
Distribuição
Lançamento 3 de setembro de 2015 (Veneza)
28 de outubro de 2015 (França)
Idioma francês

EnredoEditar

Violette, uma parisiense de 40 anos viciada no seu emprego na indústria da moda, se apaixona por um geek de Biarritz, Jean-René, enquanto está em um feriado num spa com sua melhor amiga, a promíscua Ariane. Jean-René muda-se para Paris para estar com Violette e encontra o seu jovem adulto filho, Eloi, que ainda atende pelo nome infantil Lolo. Lolo é um artista autodeclarado e sua mãe o apóia completamente. Ele parece acolher o novo amor de sua mãe; mas se propõe a causar estragos em seu relacionamento.

Lolo, um jovem dependente que exige que o universo de sua mãe esteja centrado nele, aumenta seu jogo quando nada parece quebrar o relacionamento do casal. Ele planta um vírus no software recém-instalado de Jean para um banco; a execução do software no sistema do comprador infecta toda a rede e Jean-René é preso.

Jean-René avisa Violette que todos esses contratempos são causados ​​por Lolo e ele encontrou evidências no diário de Lolo. Mais tarde, na monótona exposição de arte de Lolo, a filha de Ariane revela a série de esforços de Lolo para sabotar a vida amorosa de Violette, e Ariane conta a Violette. Jean-René apura seu nome ao consertar o problema e ganha estabilidade em sua empresa.

Violette confronta Lolo com os fatos, mas Lolo tenta chantageá-la emocionalmente. Violette finalmente corta o cordão emocional com Lolo e se muda com Jean-René. Lolo acha difícil se adaptar à sua nova vida sem a presença de sua mãe. Mais tarde Violette percebe Jean-René pode estar enfrentando o mesmo problema com sua filha Sabine, como ela fez com seu filho.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Delpy co-escreveu o roteiro, dirigiu e estrelou o filme como Violette, mas ela assegurou a roteirista criativa que o filme não era autobiográfico. Ela disse: "Não há realmente nada de autobiográfico em Lolo. Não é nada pessoal. Se alguma coisa, o personagem de Ariane está mais perto de mim do que o personagem de Violette".[5]

As filmagens começaram em 6 de outubro de 2014 e ocorreram durante dois meses em Paris, Biarritz e Londres.[6][7]

Referências

  1. a b «Lolo: O Filho da Minha Namorada». CinePOP. Consultado em 21 de março de 2021 
  2. «Lolo - O Filho da Minha Namorada». Looke. Consultado em 21 de março de 2021 
  3. «Watch: First International Trailer For Julie Delpy's Latest Directorial Effort 'Lolo'». Indiewire. 8 de julho de 2015 
  4. «Lolo». Venice Days 
  5. «Julie Delpy on Lolo». Creative Screenwriting. 4 de maio de 2016 
  6. «Julie Delpy to Start Shooting Her Sixth Film Next Month». Indiewire. 25 de setembro de 2014 
  7. «Lolo». The Film 
  Este artigo sobre um filme francês é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.