Lophostoma brasiliense

Lophostoma brasiliense é uma espécie de morcego da família Phyllostomidae. Pode ser encontrada na América Central e no norte da América do Sul.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaLophostoma brasiliense
Lophostoma brasiliense (Marco Mello).jpg
Estado de conservação
LC[1] (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Chiroptera
Família: Phyllostomidae
Género: Lophostoma
Espécie: L. brasiliense
Nome binomial
Lophostoma brasiliense
(Peters, 1866)
Distribuição geográfica
Distribution of Lophostoma brasiliense.png

TaxonomiaEditar

Foi descrita pela primeira vez em 1866 por Wilhelm Peters.[2]

DescriçãoEditar

Suas orelhas são grandes com pontas arredondadas. Seu lábio superior possui várias pequenas verrugas. O pelo é marrom escuro ou preto. Seu antebraço tem 33−36 mm (1 297,80 in) de comprimento. O peso varia de 9−11 g (317,08 oz). Possui 32 dentes.[3]

Biologia e ecologiaEditar

É insetívoro, embora também possa consumir frutas. É noturno, empoleirando-se em locais protegidos durante o dia, como árvores ocas ou dentro de cupinzeiros.[3]

Abrangência e habitatEditar

É encontrada em vários países da América Central e do Sul, incluindo: Belize, Bolivia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Ecuador, Guatemala, Guiana Francesa, Guyana, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela. É documentado em altitudes abaixo de 500 m (1 600 pé) acima do nível do mar.[1]

ConservaçãoEditar

Em 2016, foi avaliada como uma "espécie pouco preocupante" pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Tal classificação foi conferida pois é uma espécie com ampla abrangência geográfica, relativamente comum, tolera uma variedade de habitats, assim como sua abrangência inclui áreas protegidas, sendo improvável que esteja passando por um rápido declínio populacional.[1]

Referências

  1. a b c Sampaio, E.; Lim, B.; Peters, S.; Miller, B.; Cuarón, A.D.; de Grammont, P.C. (2016). «Lophostoma brasiliense». IUCN. The IUCN Red List of Threatened Species. 2016: e.T21984A115164165. doi:10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T21984A21975227.en. Consultado em 13 de dezembro de 2017 
  2. «Lophostoma brasiliense». Táxeus. 2021. Consultado em 13 de julho de 2021 
  3. a b Medellín, Rodrigo (2014). Ceballos, G., ed. Mammals of Mexico. [S.l.]: JHU Press. pp. 697–698. ISBN 978-1421408439 

BibliografiaEditar

  • SIMMONS, N. B. Order Chiroptera. In: WILSON, D. E.; REEDER, D. M. (Eds.). Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference. 3. ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. v. 1, p. 312-529.
  • SAMPAIO, E.; LIM, B.; PETERS, S.; MILLER, B.; CUARÓN, A. D.; de GRAMMONT, P. C. 2008. Lophostoma brasiliense. In: IUCN 2008. 2008 IUCN Red List of Threatened Species. <www.iucnredlist.org>. Acessado em 31 de janeiro de 2009.
  Este artigo sobre morcegos, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.