Abrir menu principal

John William Strutt

(Redirecionado de Lord Rayleigh)
John William Strutt Medalha Nobel
Conhecido(a) por Descoberta do argônio, onda de Rayleigh, dispersão de Rayleigh, fluxo de Rayleigh
Nascimento 12 de novembro de 1842 (175 anos)
Langford Grove, Essex, Inglaterra
Morte 30 de junho de 1919 (76 anos)
Terling Place, Witham, Essex, Inglaterra
Nacionalidade Inglaterra Inglês
Alma mater Universidade de Cambridge
Prêmios Medalha Real (1882), Medalha De Morgan (1890), Medalha Matteucci (1894), Prêmio Leconte (1895), Medalha Copley (1899), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1904), Medalha Elliott Cresson (1913), Medalha Rumford (1914 e 1920)]]
Orientador(es) Edward Routh e George Gabriel Stokes
Orientado(s) Joseph John Thomson, George Paget Thomson, Jagadish Chandra Bose
Instituições Universidade de Cambridge
Campo(s) Matemática e física

John William Strutt (Langford Grove, Essex, 12 de novembro de 1842Witham, Essex, 30 de junho de 1919), também conhecido como o 3º Barão de Rayleigh de Terling Place, Witham, condado de Essex, foi um matemático e físico inglês, conhecido por suas pesquisas em fenômenos ondulatórios. Juntamente com o químico inglês Sir William Ramsay recebeu o Nobel de Física, em 1904, por pesquisas sobre a densidade dos gases mais importantes e pela descoberta do argônio.

Índice

BiografiaEditar

Entrou para o Trinity College, Cambridge (1861), onde estudou matemática com Edward Routh. Contemporâneo de Reynolds. Obteve o título de MA (Senior Wrangler) em 1865 e o primeiro Prêmio Smith de Cambridge.

Casou com Evelyn Georgiana Mary Balfour em 1871, com quem teve quatro filhos. Em 1873 seu pai, John Strutt, 2º Barão de Rayleigh, faleceu. O título de 3º Barão de Rayleigh foi herdado de seu pai[1].

Foi o segundo professor sênior na Universidade de Cambridge em seqüencia a James Clerk Maxwell. Destacou-se como membro da Royal Society, ingressando como fellow (professor) em 1873, eleito como membro da Royal Society de Edimburgo em 1886 e presidente da London Maths Society entre 1876 e 1878. Foi eleito Royal Society Bakerian lecturer em 1902 e presidente da Royal Society entre 1905 e 1908.

Recebeu o Nobel de Física, em 1904, por pesquisas sobre a densidade dos gases mais importantes e pela descoberta do argônio[2], em pesquisa realizada em conjunto com o químico inglês Sir William Ramsay.

FísicaEditar

Influente pesquisador sobre teoria dos sons, óptica, espectroscopia, luz, cores, eletricidade, ressonância, vibrações e densidade dos gases destacou-se no estudo dos fenômenos ondulatórios.

Postulou, em 1876, um padrão de comportamento do escoamento do ar, garantindo a possibilidade de um veículo se sustentar no ar, sem a necessidade de catapultas ou balões que o retirassem do solo, levantando pela primeira vez a hipótese de que um aparelho mais pesado que o ar conseguiria voar com os seus próprios meios, afirmação que seria de grande importância para estudos e projetos posteriores como os de Santos Dumont.

Foi professor de física experimental e diretor do Laboratório Cavendish, em Cambridge (1879-1884), período em que foi Professor Cavendish de Física. Lecionou também sobre filosofia natural na Royal Institution, Londres (1887-1905). Investigou a hidrodinâmica da cavitação, do movimento das ondas, de jatos instáveis, fluxo laminar, etc e foi, também, responsável pela determinação de unidades elétricas de medição.

CondecoraçõesEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «thePeerage.com Person Page 8293» (em inglês). Consultado em 4 de maio de 2008. 
  2. «The Nobel Prize in Physics 1904 - Lord Rayleigh». Prêmio Nobel. Consultado em 21 jan 2013.  (em inglês)
  3. «Laureates» (pdf) (em inglês). The Franklin Institute. Consultado em 1 de julho de 2015.. Cópia arquivada em 1 de julho de 2015 

Ligações externasEditar