Abrir menu principal

Na série de jogos Warcraft, Lordaeron é um reino extinto que ocupou território substancial do Norte de Eastern Kingdoms. Originalmente uma das nações que surgiram após o colapso do Império de Strom, Lordaeron prosperou governada pela Casa Menethil. Lordaeron serviu como base à Aliança durante a invasão dos orcs. Apesar de ter sucesso contra os orcs, o reino foi literalmente arrasado pela Scourge.

HistoriaEditar

A Cidade de LordaeronEditar

Com a fundação de Kul Tiras, o poder dos Reis de Strom sobre Gilneas, Alterac e Dalaran ficou debilitado. Os cavaleiros de Strom, fartos da vida luxoriante na corte, fugiram para Tirisfal com um grupo de camponenses. A norte do Lago Lordamere, estes exilados construiram uma cidade maravilhosa à qual deram o nome de Lordaeron. Lordaeron tornou-se um centro religioso e muita gente viaja para Lordaeron em busca de paz espiritual. O majestoso palácio real foi (e ainda é) uma das residencias reais mais faustuosas em Azeroth.

As guerras de orcs e humanosEditar

Após a queda de Stormwind, os refugiados desembarcaram na costa de Lordaeron. Lorde Lothar, lider dos refugiados de Stormwind, informou Terenas sobre os orcs: um vasto exercito demoniaco que queria destruir a humanidade. Terenas convenceu os Elfos e anões a aderirem à sua causa: assim se formou a Aliança de Lordaeron.

Sob a liderança do Rei Terenas e Andiun Lothar, a Aliança marchou para o Reino de Ironforge, a nação dos anões, e teve sua primeira batalha. Continuando a marchar para sul, a Aliança arrastou a Horda para o Dark Portal, onde foi derrotada. Mas alguns anos depois, o feiticeiro Ner'zhul reabriu o portal e trouxe o caos ao recentemente reconstruido reino de stormwind. Temendo uma invasão, Terenas enviou uma pequena força expedicionária (conhecida como Alliance Expedition) através do portal até Draenor. A Expedition não conseguiu deter Ner'zhul mas conseguiu impedir a destruição de Azeroth ao destruir o Portal.

Acreditando que todos os que atravessaram o portal morreram, o povo de Stormwind ergueu estátuas aos lideres da Expedition na ponte que leva a Stormwind City (essas estátuas são visíveis no Valley of Heroes), que foi arruinada (mas não perdida) quando a Horda invadiu Azeroth novamente. E assim stormwind foi reconstruida com o aspecto que tem hoje: com o custo de que os trabalhadores mal pagos formaram a infame Irmandade dos Defias.

Com o portal destruido, o reino de Lordaeron prosperou e tornou-se na maior nação que Eastern Kingdoms conheceu. Porem, cerca de 15 anos após a invasão a Draenor, males surgiram nos municipios do Noroeste de Lordaeron…

A Queda de LordaeronEditar

Enquanto as nações da Aliança discutiam, uma praga de morte espalhava-se pelo norte de Lordaeron. Kel'Thuzad, um necromancer de grande poder, espalhava a praga pondo toxinas nos cereais. Quando a noticia chegou à Capital, Rei Terenas e seu filho, o Príncipe Arthas, entraram em guerra contra a Scourge Undead. Arthas incendiou a Cidade de Stratholme (a segunda maior cidade do Reino, depois da Capital) afirmando "prefiro matar o meu povo, a deixar que ele sirva o Senhor Obscuro". Porem, Arthas roubou a Espada Froustmorne do Senhor Obscuro e, pela ousadia, perdeu a alma. Tendo si possuido, Arthas liderou a Scourge contra a Capital e matou o seu pai, o Rei Terenas.

A Guerra Civil dos UndeadsEditar

Após a morte do Rei Terenas, os mortos-vivos espalharam-se pelas Plaguelands. Sylvannas Windrunner, uma elfa morta-viva, tentou unificar os mortos-vivos sob um mesmo lider: ela mesma. Sylvannas teve de enfrentar Arthas ao reivindicar as Ruínas de Lordaeron. Após duras batalhas, Sylvannas e seus mortos-vivos tomaram Lordaeron. Lá os mortos-vivoa começaram a construir Undercity, uma cidade subterrânea localizada abaixo das ruínas de Lordaeron.

As ruínas de Lordaeron agora são apenas uma triste lembrança do poder da Scourge. Curiosamente, a entrada de Lordaeron são os jardins do palácio (em Warcraft III: Reign of Chaos, num filme em 3D, os jardins são por trás) onde agora apenas crescem arbustos. O palácio (mais precisamente a sala do trono) permanece intacto.