Abrir menu principal
Lotário I
Imperador Romano-Germânico
Lothar I.jpg
Nascimento 795
  Altdorf, Baviera
Morte 29 de setembro de 855 (60 anos)
  Prüm, Renânia-Palatinado
Pai Luís I, o Piedoso
Mãe Ermengarda de Hesbaye

Lotário I (em latim: Lotharius; 795Prüm, 29 de setembro de 855), o terceiro imperador do Sacro Império Romano-Germânico, era o filho mais velho de Luís I, o Piedoso e de Ermengarda de Hesbaye, filha de Ingermano de Hesbaye e de Edviges da Baviera[1] da Casa de Etichonen, duque de Hesbaye. Casou com Ermengarda de Tours, filha de Hugo III de Tours.

BiografiaEditar

Pouco se sabe dos seus primeiros anos, provavelmente passados na corte do seu avô Carlos Magno, até 815, quando se tornou rei da Baviera. Quando, em 817, o seu pai dividiu o império entre os seus filhos, Lotário foi coroado co-imperador em Aquisgrano. Igualmente reconhecido como rei dos Francos, Lotário I é enviado em Itália, onde ele assume em 820 ou 822 o título de rei dos Lombardos, e instalasse em Pavia. Em 821, casou-se com Ermengarda (falecida em 851), filha de Hugo, conde de Tours; em 822 ele assumiu o título de Rei de Itália e, a 5 de abril de 823, foi coroado Imperador Romano-Germânico pelo papa Pascoal I em Roma.

Em novembro de 824, ele promulgou uma lei regulando as relações entre papa e imperador, que reservavam para este o supremo poder secular e, a seguir, emitiu várias ordens para o bom governo da Itália.

Quando Luís I estava no leito de morte, em 840, enviou as insígnias imperiais para Lotário que, ignorando os desejos de seu pai, se proclamou chefe de todo o império. Falhadas as negociações com os seus irmãos Luís o Germânico e Carlos o Calvo, estes pegaram em armas em conjunto. A batalha decisiva teve lugar em Fontenoy, a 25 de junho de 841 e Lotário teve que fugir para Aix. Finalmente, levando consigo todos os bens que conseguiu, Lotário abandonou a sua capital.

Num esforço para restabelecer a paz, os irmãos reúnem-se em Junho de 842 numa ilha do rio Saône e concordam numa divisão, que seria formalizada em Agosto de 843 pelo Tratado de Verdun, segundo o qual Lotário ficou rei da Itália, mantendo o título de imperador, dominando ainda uma estreita faixa de terra ao longo dos rios Reno e Ródano, que ficou conhecida como Lotaríngia. No entanto, Lotário deu a regência da Itália ao seu filho mais velho, Luís (que se tornaria mais tarde no imperador Luís II, o Jovem e permaneceu no seu nono reino, continuando as antigas escaramuças e reconciliações com os seus irmãos e tentando defender o seu domínio dos ataques dos nórdicos - os viquingues – e dos sarracenos.

Em 855, ele ficou doente e renunciou ao trono, dividiu os seus domínios pelos três filhos e, a 23 de setembro daquele ano, entrou para o mosteiro de Prüm, onde morreu seis dias depois e onde está enterrado (os seus restos só foram ali encontrados em 1860).

Os domínios da Lotaríngia foram dividos em Prum por Lotário I da seguinte forma: o mais velho foi o sacro imperador Luís II, o Jovem e rei (titular) da Itália, o segundo, Lotário II da Lotaríngia, ficou com o resto da Lotaríngia e o mais novo, Carlos de Provença ficou com a Alta e Baixa Borgonha (Arles e Provença).

Relações familiaresEditar

Reino de Lotário I
(em rosa)
Em 828
Em 843

Foi filho de Luís I, o Piedoso e de Ermengarda de Hesbaye (780 - Angers, 3 de outubro de 818), filha de Ingermano de Hesbaye e de Edviges da Baviera. Casou em 821 com Ermengarda de Tours, filha de Hugo III de Tours (765 - 20 de outubro de 837 e de Eva de Auxerre, de quem teve:

  1. Luís II da Germânia o Jovem (825 – 875), Imperador Romano-Germânico (governante sozinho em 855 – 875), primogênito do imperador Lotário I, tornou-se Rei da Itália em 839, e passou a residir ali, sendo coroado rei em Roma pelo papa Sérgio II[2] em 15 de junho de 854. Casou-se com Engelberga de Espoleto.
  2. Hiltruda da Germânia ([826 - 865) Casada com Berengário de Espoleto.
  3. Ermengarda da Germânia (c. 825 - 849), casada com Giselberto de Maasgau e Darnau, Conde da Maasgau,
  4. Berta da Germânia (c. 830 - 852]) Casada com um homem desconhecido, mas mais tarde abadessa de Avenay.
  5. Gisela da Germânia (c. 830 - 856), abadessa de São Salvador (San Salvatore), em Bréscia
  6. Lotário II da Lotaríngia (835 - 869) sucedeu ao seu pai. Casado com Teutberga de Valois , filha de Bosão de Valois, "o Velho", o conde de Arles[3][4],
  7. Rotrude da Germânia (c. 840) Casada por duas vezes, uma com Lamberto III de Nantese a outra com Otão de Lebarten.
  8. Carlos da Provença (845 - 863) investido na Provença, em Lyon e na Borgonha Transjuraniana.

Um filho ilegítimo.

  1. Carlomano (- 853 d.)

Notas e referências

  1. L'auteur contemporain de la vie de Louis-le-Débonneur, connu sous le nom d'Astronome, place la mort du père d'Ermengarde à l'année 836, les annales de St. Bertin et celles de Fulda la mettent à l'année suivante. MM de Sainte Marthe appellent le père d'Irmengarde, Hugues le Couard ou le peureux ou encore le méfiant
  2. Encyclopedia (1913)/Pope Sergius II
  3. Christian Settipani, La Capétiens Prehistoire des, Premiere partie: Mérovingiens, Carolingiens et Robertiens.
  4. Pierre Riche, os carolíngios, uma família que forjou a Europa.


Precedido por
Luís I
Imperador Romano-Germânico
823 - 855
Sucedido por
Luís II