Abrir menu principal


Como ler uma infocaixa de taxonomiaLoxocemidae
Loxocemus bicolor
Loxocemus bicolor
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Subordem: Serpentes
Família: Loxocemidae
Cope, 1861
Género: Loxocemus
Cope, 1861
Espécie: L. bicolor
Nome binomial
Loxocemus bicolor
Cope, 1861
Sinónimos
  • Loxocemi - Cope, 1861
  • Loxocemina - Boulenger, 1879
  • Loxoceminae - Romer, 1956
  • Loxocemidae - McDowell, 1975[1]

  • Loxocemus - Cope, 1861
  • Plastoseryx - Jan, 1862[1]

  • L[oxocemus]. bicolor - Cope, 1861
  • Plastoseryx Bronni - Jan, 1862
  • Loxocemus Sumichrasti - Bocourt, 1876
  • Loxocemus Sumichrasti - Bocourt, 1876
  • Loxocemus bicolor - Boulenger, 1896
  • Loxocemus bicolor bicolor - Woodbury & Woodbury, 1944
  • Loxocemus bicolor sumichrasti - Woodbury & Woodbury, 1944[1]
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Loxocemus bicolor
Nomes-comuns: pitão-mexicana,[2], pitão-escavadora-mexicana

Loxocemus bicolor[3] é o único membro da família monotípica Loxocemidae,[2] de répteis escamados da subordem Serpentes. Trata-se de uma serpente com aparência de pitão que habita a costa pacífica do México e da América Central. Não se reconhecem subespécies.[4]

Análises de ADN mostram que os parentes mais próximos de Loxocemus são Pythonidae e Xenopeltis.

DescriçãoEditar

Os indivíduos adultos atingem um comprimento máximo de 1.57 m,[5] com um comprimento médio de 91 cm. O corpo é robusto e muito musculado. O focinho tem forma de pá, a cabeça é estreita e os olhos pequenos para facilitar a que se enterre no solo. A espécie é descrita como sendo terrestre e semi-fossorial,[5] o que a torna de difícil observação e estudo. O padrão de cores é geralmente escuro com áreas de escamas brancas, embora ocasionalmente depois da muda desapareça toda a pigmentação, resultando uma serpente branca com uma mancha escura na cabeça.

Distribuição e habitatEditar

Pode ser encontrada ao longo da costa do Pacífico mexicano em altitudes de baixas a moderadas nos estados de Nayarit, Jalisco, Colima, Michoacán, Morelos, Guerrero, Oaxaca, e Chiapas. Daí para sul pela Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua, e Costa Rica. A localidade-tipo é "La Unión, San Salvador" (em El Salvador).[1]

Ciclo de vidaEditar

Pode ser encontrada em vários habitats, incluindo florestas tropicais, húmidas e secas. Em Honduras e Guatemala, é também encontrada em vales interiores secos que drenam em direcção ao mar das Caraíbas.[1] Crê-se que a sua dieta consista de roedores e lagartos. Foram observadas comendo ovos de iguana. São ovíparas, pondo de dois a quatro ovos de cada vez.[5]

Referências

  1. a b c d e McDiarmid RW, Campbell JA, Touré T. 1999. Snake Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference, vol. 1. Herpetologists' League. 511 pp. ISBN 1-893777-00-6 (series). ISBN 1-893777-01-4 (volume).
  2. a b «Loxocemidae» (em inglês). ITIS (www.itis.gov). Consultado em 17 de agosto de 2007 
  3. «Loxocemus» (em inglês). ITIS (www.itis.gov). Consultado em 17 de agosto de 2007 
  4. «Loxocemus bicolor» (em inglês). ITIS (www.itis.gov). Consultado em 17 de agosto de 2007 
  5. a b c «The Reptile Database - Loxocemidae». Consultado em 3 de novembro de 2008 

Leitura adicionalEditar

  • Noonan, B. P. & Chippindale, P. T. (2006): Dispersal and vicariance: The complex evolutionary history of boid snakes. - Molecular Phylogenetics and Evolution 40: 347–358.
  • Mattison, Chris (1999). Snake. [S.l.]: DK Publishing. ISBN 0-7894-4660-X 

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Loxocemus bicolor