Luís Augusto de Bourbon, Duque de Maine

aristocrata francês

Luís Augusto de Bourbon, Duque de Maine (Louis August; Saint-Germain-en-Laye, 31 de março de 1670Sceaux, 14 de maio de 1736) foi o segundo dos filhos ilegítimos nascidos da relação entre o rei francês Luís XIV e Francisca Atenas de Rochechouart. Foi legitimado aos três anos em dezembro de 1673 e seu pai lhe entregou o titulo de "Duque de Maine".[1][2]

Luís Augusto
Duque de Maine
Esposa Luísa Benedita de Bourbon
Descendência Luís Augusto, Príncipe de Dombes
Luís Carlos, Conde d'Eu
Luísa Francisca de Bourbon
Casa Bourbon
Nascimento 31 de março de 1670
  Castelo de Saint-Germain-en-Laye, Saint-Germain-en-Laye, França
Morte 14 de maio de 1736 (66 anos)
  Castelo de Sceaux, Sceaux, França
Enterro Igreja de São João Batista, Sceaux, França
Pai Luís XIV de França
Mãe Francisca Atenas de Rochechouart
Religião Catolicismo
Assinatura Assinatura de Luís Augusto

BiografiaEditar

No momento de ser introduzido na corte real de Versalhes não tardou em se converter no favorito de seu pai, o rei, teve importantes tutores como François-Henri de Montmorency que se encarregou do treinamento militar de Luís Augusto, mas este jamais demonstrou grandes dotes como soldado. O amor de seu pai lhe valeria mais títulos, como o de Príncipe de Dombes, Duque de Aumale e Conde d'Eu, alguns deles cedidos por la Gran Mademoiselle, Ana Maria Luísa de Orleães, e por pressões do rei.

Como filho legitimado do Rei de França, teve direito a um prestigioso casamento, pensou-se inclusive em comprometê-lo com sua prima Isabel Carlota de Orleães, filha de seu tio Filipe I, Duque de Orleães, mas a eleita para transformar-se em duquesa de Maine foi Mademoiselle de Charolais Luísa Benedita de Bourbon, neta de Luís, Grande Condé, o casamento ocorreu em 1692. Tiveram 7 filhos:

Em 1714, o rei pôs ele e seu irmão mais novo o Conde de Tolosa na linha de sucessão ao trono, depois dos desastrosos anos de 1711 e 1712 nos quais ocorreram a morte de três dos herdeiros legítimos do "Rei-Sol". No ano seguinte o rei faleceu, como última vontade havia entregado a regência de seu bisneto Luís XV de França a seu sobrinho Filipe II, Duque d'Orleães e ao duque de Maine, mas Felipe II conseguiu a anulação do desejo do falecido monarca e ficou sozinho na regência.[1][3] Diante disso, Luís Augusto e sua esposa começaram uma conspiração para substituir o Duque de Orléans pelo rei da Espanha Felipe V, neto de Luís XIV e sobrinho de Luís Augusto. A conspiração foi descoberta e o duque exilado. Anos depois ele morreria em Sceaux.

AncestraisEditar

Referências

  1. a b Parot, Jean-François (9 de setembro de 2014). Aposta fatal. [S.l.]: Vestígio. ISBN 9788582860861 
  2. «Françoise-Athénaïs de Rochechouart, marquise de Montespan | French mistress». Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 26 de outubro de 2019 
  3. Mourthé,Arnaldo. História e Colapso da Civilização: É melhor o incômodo da advertência que a tragédia da ignorância. [S.l.]: Mourthé. ISBN 9788565938075 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.