Abrir menu principal

Luís Carmelo

Luís José Carmelo (1954-) escritor
Luís Carmelo
Nascimento 25 de agosto de 1954 (65 anos)
Lisboa
Residência Lisboa
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação escritor, professor, ensaísta, cronista
Prémios Prémio Revelação de Ensaio Literário APE/IPLB (1988)
Página oficial
http://luiscarmelo.net/

Luís Carmelo (Évora, 25 de Agosto de 1954) é um escritor português.

Índice

BiografiaEditar

Nasceu em Évora a 25 de Agosto de 1954.[1] Doutorou-se pela Universidade de Utreque, na Holanda. Foi vencedor do Prémio de Ensaio da Associação Portuguesa de Escritores 1988 com a obra 'A Tetralogia Lusitana de Almeida Faria'[2] e finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa/ Correntes d'Escritas 2019 com o livro de poesia 'Tratado'[3]. Tem publicados 14 romances: 'Entre o Eco do Espelho' (1986), 'Cortejo do Litoral Esquecido' (1988), 'No Princípio era Veneza' (1990), 'Sempre Noiva' (1996), 'A Falha' (1998), 'As Saudades do Mundo' (1999), 'O Trevo de Abel' (2001), 'Máscaras de Amesterdão' (2002), 'O Inventor de Lágrimas' (2004), 'E Deus Pegou-me pela Cintura' (2007), 'A Dobra do Crioulinho' (2013), 'Gnaisse' (2015), 'Por Mão Própria' (2016) e 'Sísifo' (2017). O romance 'A Falha' foi adaptado ao cinema por João Mário Grilo, em 2000,[4] a partir de argumento do próprio autor.[5] Foi um dos primeiros autores a figurar na rubrica "Um dia com..." da plataforma Escritores.Online.[6] Referido em diversos artigos sobre escrita criativa na imprensa. Por exemplo, no JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias,[7] no P3/ Público,[8] na Revista2/ Público.[9] Foi alvo de entrevistas por Paulo José Miranda (Hoje Macau, 17/02/2017)[10] e de recensões críticas por Pedro Miguel Silva (Deus Me Livro, 17/06/2015),[11] Mário Santos (Ípsilon/ Público, 9/12/2016)[12] e Miguel Real (JL – Jornal de Letras Artes e Ideias, 27/05/2015).[13] A obra de poesia 'Ofertório' (Nova Mymosa) foi o "livro do dia" na rubrica de Carlos Vaz Marques para a TSF. 'Ensina escrita e cultura na EC.ON Escrita Criativa Online,[14] no Instituto Camões, na Universidade Aberta e no Âmbito Cultural El Corte Inglês.[15] Foi cronista no Expresso e mantém, presentemente, uma coluna regular no jornal Hoje Macau.

Obras publicadasEditar

RomancesEditar

  • Entre o Eco do Espelho (1986, Peregrinação, Baden-Lisboa; tradução inglesa parcial, Revista New Wave, 20, Universidade do Colorado, Boulder, USA);
  • Cortejo do Litoral Esquecido (1988, Vega, Lisboa);
  • No princípio era Veneza (1990, Vega; 2ª edição, 1997, Vega, Lisboa);
  • Sempre Noiva (1996, Vega, Lisboa);
  • A Falha (1998, Editorial Notícias, Lisboa; 2ª edição, 2001, Planeta Agostini, Lisboa; 3ª edição, Editorial Notícias, Lisboa; tradução espanhola, La Grieta, 2002, Hiru Argitaletxea, Hondarribia, Espanha; romance adaptado ao cinema por João Mário Grilo em 2002);
  • As Saudades do Mundo (1999, Editorial Notícias, Lisboa);
  • O Trevo de Abel (2001, Editorial Notícias, Lisboa);
  • Máscaras de Amesterdão (2002, Editorial Notícias, Lisboa;
  • O Inventor de Lágrimas (2004, Editorial Notícias, Lisboa);
  • E Deus Pegou-me pela Cintura (2007, Editora Guerra e Paz, Lisboa);
  • A Dobra do Crioulinho (2013, Quidnovi, Lisboa);
  • Gnaisse (2015, Abysmo, Lisboa; edição brasileira: 2017, Editora Jaguatirica, Rio de Janeiro);
  • Por Mão Própria (2016, Abysmo, Lisboa);
  • Sísifo (2017, Abysmo, Lisboa).

EnsaiosEditar

  • A Tetralogia Lusitana de Almeida Faria (1989, Universidade de Utreque, Holanda; Prémio da Ensaio da Associação Portuguesa de Escritores, 1988);
  • La Représentation du Réel dans des Textes Prophétiques (1995 - Tese de Doutoramento -, Universidade de Utreque, Holanda);
  • Sob o Rosto da Europa (1996, Pendor, Évora-Lisboa; 2ª edição e tradução inglesa, Ontology Of The South, Sul, Edição dos Encontros de fotografia de Coimbra, 1996);
  • Anjos e Meteoros. Ensaio Sobre a Instantaneidade (1999, Editorial Notícias, Lisboa);
  • Os jardins da Voyance - tradução inglesa, The Gardens of vision and the bright Ofélias of the Douro (álbum-encomenda Os Jardins de Cristal, edição da Porto-2001 e Roterdão-2001, com o fotógrafo José M. Rodrigues);
  • Islão e Mundo Cristão (2001, Editora Hugin, Lisboa);
  • Água de Prata (sobre a obra do Prémio Pessoa, José M. Rodrigues; 2002, Casa do Sul, Évora);
  • Músicas da Consciência (com prefácio de António Damásio; 2002, Publicações Europa-América, Mem Martins);
  • Órbitas da Modernidade (2003, Editorial Mareantes, Lisboa);
  • Semiótica - Uma Introdução (2003, Publicações Europa-América, Mem Martins);
  • Viragem Profética Contemporânea (2005, Publicações Europa-América, Mem Martins);
  • A Comunicação na Rede: o Caso dos Blogues (2008, Magna Editora, Lisboa);
  • A luz da intensidade. Figuração e estesia na literatura contemporânea. O caso de José Luís Peixoto (2012, Quetzal, Lisboa);
  • Genealogias da Cultura (2013, Arranha Céus, Lisboa);
  • Uma Infinita Voz Sobre Exercícios de Humano de Paulo José Miranda (2016, Abysmo, Lisboa);
  • Ficcionalidades de Prata (2019, Nova Mymosa, Lisboa).

PoesiaEditar

  • Fio de Prumo (1981, Terramar, Torres Vedras);
  • Vão Interior do Rio (1982, Amesterdão, Atelier 18);
  • Ângulo Raso (1983, Amesterdão, Atelier 18);
  • Mymosidades (2015, Nova Mymosa, Lisboa);
  • As Mialgias de Agosto  (2015, Nova Mymosa, Lisboa);
  • Extintor de Achados (2017, Lisboa, Douda Correria);
  • Tratado (2018, Lisboa, Abysmo. Obra Finalista do Prémio Casino da Póvoa/ Correntes d'Escritas 2019);
  • Ofertório (2018, Nova Mymosa, Lisboa).

PrémiosEditar

Referências

Ligações externasEditar