Abrir menu principal

Luís Morais

futebolista brasileiro
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2015).
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Luiz Moraes, mais conhecido como Cabeção (São Paulo, 23 de agosto de 1930), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro. Ídolo do Corinthians foi o primeiro goleiro no Brasil a usar luvas.[3]

Luiz Moraes
Cabeção (sem data).tiff
Informações pessoais
Nome completo Luiz Moraes
Data de nasc. 23 de agosto de 1930 (88 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Apelido Cabeção
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes de juventude
1938–1949 Corinthians
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1949–1966
1953–1954
1954–1957
1960–1961
1966–1968
1968–1969
Corinthians
Bangu
Portuguesa-SP
Comercial
Juventus-SP
Portuguesa Santista
00330 00(-419)[1]
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00000 0000(0)
Seleção nacional
1952–1954 Brasil 00000 0000 (0)[2]
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Ouro Santiago 1952 Equipe

CarreiraEditar

Nascido no Tatuapé a uma quadra da sede do Corinthians no Parque São Jorge Cabeção era goleiro da boa fornada de aspirantes que subiu ao time principal do Corinthians a partir de 1949, junto com Idário, Roberto Belangero e Luisinho. Todos se tornaram grande ídolos do clube entre os anos de 1950 a 1960.

Começou ainda como infantil, em 1938 e, ao longo da carreira, saiu várias vezes, em definitivo ou por empréstimo, para Portuguesa, Bangu e Comercial de Ribeirão Preto, mas sempre retornou ao Parque São Jorge.

Dizia-se que nas partidas noturnas, Cabeção não apresentava a mesma eficiência que nos jogos diurnos. Mesmo assim foi campeão paulista em 1951, como titular absoluto. No mesmo ano, foi campeão pela seleção brasileira do Campeonato Sul-Americano disputado no Chile.

Na campanha do bicampeonato, em 1952, era suplente de Gilmar, sua grande sombra dentro do Parque São Jorge, e não chegou a entrar em campo nenhuma vez. Esteve na Copa do Mundo de 1954, na Suíça, como reserva de Castilho e naquele ano foi campeão paulista do famoso título do IV Centenário da cidade de São Paulo.

Em 1953, foi campeão pelo Corinthians da Pequena Taça do Mundo, realizada na Venezuela, que reuniu as equipes do Barcelona (ESP), Roma (ITA) e um selecionado da cidade de Caracas, sede do torneio.

No mesmo ano, foi campeão pela seleção brasileira do Campeonato Sul-Americano disputado no Chile.

Cabeção é sócio do Sport Club Corinthians Paulista desde 1942 (seu número é 2.051); Foi o primeiro goleiro que trocou a cor da camisa — de preta para cinza — e foi o primeiro goleiro no Brasil a usar luvas.[3]

Referências

  1. «Cabeção... nunca distante do Corinthians». Tardes de Pacaembu. 1 de fevereiro de 2013. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  2. «Todos os brasileiros 1954». Folha de São Paulo. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 16 de outubro de 2018 
  3. a b «Cabeção... Ex-goleiro do Corinthians e Portuguesa». Terceiro Tempo. Consultado em 21 de outubro de 2018 

Ligações externasEditar

   Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.