Luís Tomás, Conde de Soissons

Luís Tomás, Conde de Soissons (em alemão: Ludwig Thomas von Savoyen, Graf von Soissons; italiano: Luigi Tommaso di Savoia; 15 de dezembro de 165714 de agosto de 1702) foi Conde de Soissons e Príncipe de Saboia. Ele foi morto no Cerco de Landau durante a Guerra da Sucessão Espanhola.[1] Houve uma especulação de que ele era um filho ilegítimo de Luís XIV.

Luís Tomás de Saboia
Conde de Soissons
Esposa Uranie de La Cropte
Descendência Maria Ana Vitória de Saboia
Emanuel Tomás, Conde de Soissons
Casa Saboia
Nome completo Luís Tomás de Saboia
Nascimento 15 de dezembro de 1657
  Hôtel de Soissons, Paris
Morte 24 de agosto de 1702 (44 anos)
  Petit-Landau, Alemanha
Pai Eugénio Maurício, Conde de Soissons
Mãe Olímpia Mancini
Brasão

Casamento e descendênciaEditar

Casou com Uranie de la Cropte em 12 de outubro de 1680. Tiveram seis filhos:

  1. Princesa Maria Ana Vitória de Saboia (1683–1763), Mademoiselle de Soissons; casou com José de Saxe-Hildburghausen, Duque da Saxônia, sem descendência.
  2. Luís Tomás de Saboia (1685–1695), morreu jovem.
  3. Teresa Ana Luísa de Saboia (1686–1736), nunca se casou.
  4. Príncipe Emanuel Tomás, Conde de Soissons (1687–1729), casou com Maria Teresa de Liechtenstein, com descendência.
  5. Maurício de Saboia (1690–1710)
  6. Eugénio de Saboia (1692–1712)

Referências

  1. Skala, Harald (2005). «Die Belagerung von Landau 1702 und 1703». Consultado em 5 de outubro de 2014