Abrir menu principal
Luísa Maria
Rainha dos Belgas
Princesa de Orleães
Rainha Consorte da Bélgica
Reinado 9 de agosto de 1832
a 11 de outubro de 1850
Sucessora Maria Henriqueta da Áustria
 
Marido Leopoldo I da Bélgica
Descendência Luís Filipe, Príncipe Herdeiro da Bélgica
Leopoldo II da Bélgica
Filipe, Conde de Flandres
Carlota do México
Casa Orleães (nascimento)
Saxe-Coburgo-Gota (casamento)
Nome completo
Luísa Maria Teresa Carlota Isabel
Nascimento 3 de abril de 1812
  Palermo, Reino da Sicília
Morte 11 de outubro de 1850 (38 anos)
  Oostende, Bélgica
Enterro Igreja de Nossa Senhora de Laeken, Laeken, Bélgica
Pai Luís Filipe I da França
Mãe Maria Amélia das Duas Sicílias

Luísa Maria de Orleães (nome completo: Luísa Maria Teresa Carlota Isabel; Palermo, 3 de abril de 1812Oostende, 11 de outubro de 1850) foi a segunda esposa do rei Leopoldo I e rainha consorte da Bélgica de 1832 até sua morte.

Índice

Primeiros anosEditar

Luísa Maria nasceu no exílio a 3 de abril de 1812 em Palermo, Sicília. Era a filha mais velha do então, Duque de Orleães, futuro rei Luís Filipe I de França, e da princesa Maria Amélia das Duas Sicílias. Durante os seus primeiros anos, Luísa Maria e sua família viveram sob proteção britânica em Palermo, em um palácio dado pelo seu avô materno, o rei Fernando I das Duas Sicílias, a seu pai, o Palazzo Orléans.

Luísa Maria e sua família mudaram-se para a França em 1814, mas com o breve retorno de Napoleão Bonaparte no chamado Governo dos Cem Dias, a família foi forçada a fugir novamente. Antes da ascensão de seu pai ao poder, sua família teve que lidar com um problema de dinheiro persistente devido ao fato de que eles não tinham renda para além do que foram dadas pela coroa inglesa.[1] A família recebeu permissão para retornar à França novamente em 1817.[2]

Em 1830, após um golpe de estado, apoiado pela burguesia, que depôs o rei Carlos X, seu pai Luís Filipe, sob ao trono da França, e é coroado como Luís Filipe I. Luísa Maria passa a ter direito ao estilo Sua Alteza Real. A família de Orleães em 1831 muda-se para Palácio das Tulherias, o qual a rainha Maria Amélia achava triste e chamava de "casauba" (Kasbah - cidadelas do Norte de África). A família real instalou-se, pois, no rés-do-chão da ala Sul. Luísa Maria viveu no Palácio das Tulherias até 1832, ano de seu casamento.

CasamentoEditar

 
Luísa Maria de Orleães por Franz Xaver Winterhalter.

Em 1830, a Bélgica declara a sua independência, após a Revolução Belga; O Congresso escolhe para o rei o príncipe Luís, Duque de Némours, o segundo filho do rei dos franceses, Luís Filipe I, e irmão de Luísa Maria. Esta escolha é muito criticada pelo Reino Unido e pela Prússia, o que faz o recém coroado rei francês a renunciar em nome de seu filho o belga. O príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo-Saalfeld, viúvo da princesa de Gales, é eleito para o cargo. Para a sensibilidade da França, ele concorda em se casar-se com uma filha do rei francês.

No dia 9 de agosto de 1832, Luísa Maria desposou o rei Leopoldo I dos belgas, no Château de Compiègne, na França. Eles tiveram quatro filhos:

 
Luísa Maria e o príncipe Leopoldo, por Gustaf Wappers.

Rainha dos BelgasEditar

Apesar da diferença de idade, Luísa Maria é rapidamente seduzida bondade e delicadeza de seu marido. Ela tinha pensado em se casar com um homem duro para si mesmo e para os outros; no entanto ela descobre que seu marido é um romântico que "chora quando ela chora".

Ela confidencia a Antonine de Celles: "O rei faz-me perfeitamente feliz, e sua gentileza para comigo toca-me profundamente. Eu acredito profundamente que encontrei cativantes qualidades que por si só poderiam satisfazer meu coração."

Em poucos anos seu charme e generosidade, fizeram com que Luísa Maria conquistasse o coração dos belgas. Tendo o povo a apelidado de "a Amada".

Após a perda do seu filho mais velho, a rainha Luísa Maria ainda tem a dor de perder sua irmã Maria de Orleães, escultora de renome que morreu aos vinte e seis anos de idade, deixando um filho recém-nascido e um marido viúvo, em seguida, entrou em colapso em 1842, após a morte acidental de seu irmão mais velho, o duque Fernando Filipe d'Orleães em apenas trinta e dois anos. Por volta de 1844, o rei Leopoldo caiu no amor com o jovem Claret Arcadia, com quem teve vários filhos.

A rainha Luísa Maria morreu de tuberculose, em Oostend, aos trinta e oito anos, no dia 11 de outubro de 1850. Ela está enterrada ao lado de seu marido, na Cripta Real na Igreja de Nôtre-Dame de Laeken.

Títulos, estilos e honrasEditar

 
Monograma real de Luísa Maria

Títulos e estilosEditar

  • 3 de abril de 1812 - 9 de agosto de 1830: "Sua Alteza Sereníssima Mademoiselle de Orleães"
  • 9 de agosto de 1830 - 9 de agosto de 1832: "Sua Alteza Real, a Princesa Luísa Maria de Orleães"
  • 9 de agosto de 1832 - 11 de outubro de 1850: "Sua Majestade a Rainha dos Belgas"

HonrasEditar

AncestraisEditar

BibliografiaEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luísa Maria de Orleães
  • Mia Kerckvoorde (2002). Louise d’Orléans, reine oubliée, 1812-1850. Paris: Duculot. ISBN 2-8011-0949-5
  • Madeleine Lassère (2006). Louise, reine des Belges. 1812-1850. Paris: Perrin. ISBN 2-262-02366-2
Luísa Maria de Orleães
Casa de Orleães
Ramo da Casa de Capeto
3 de abril de 1812 – 11 de outubro de 1850
Título criado  
Rainha Consorte da Bélgica
9 de agosto de 1832 – 11 de outubro de 1850
Sucedida por
Maria Henriqueta da Áustria
  1. Dyson, p. 112.
  2. Dyson, p. 153.