Lucélia Santos

atriz e diretora de cinema brasileira

Maria Lucélia dos Santos (Santo André, 20 de maio de 1957) é uma atriz, diretora, autora e produtora brasileira. Estreou no teatro aos catorze anos, mas seu primeiro trabalho na televisão veio em 1976 como protagonista da telenovela Escrava Isaura, personagem que lhe destacou a nível internacional, sendo premiada pelo "Águia de Ouro", sendo a primeira atriz estrangeira ser eleita pela população chinesa em voto direto. No mesmo ano, também fez sua estreia no cinema em Já não Se Faz Amor como antigamente e O Ibraim do Subúrbio. Lucélia, no entanto, só foi consagrada nas telonas em 1981, ao interpretar o papel principal de Engraçadinha, sendo eleita Melhor Atriz pelo Festival de Brasília.

Lucélia Santos
Lucélia Santos
Nome completo Maria Lucélia dos Santos
Nascimento 20 de maio de 1957 (64 anos)
Santo André, SP
Nacionalidade brasileira
Residência Rio de Janeiro, RJ
Ocupação
Cônjuge John Neschling (c. 1975; d. 1987)
Davi Akkerman (c. 2000; s. 2003)

Lucélia foi premiada novamente em 1982 sendo protagonista do filme Luz del Fuego, desta vez, conquistando o Kikito de Ouro como Melhor Atriz no Festival de Gramado. Além disso, a atriz foi consagrada pela segunda vez no Festival de Brasília com sua personagem em Vagas para Moças de Fino Trato, em 1993. Na televisão, por outro lado, a atriz teve duas indicações como Melhor Atriz pelo Troféu Imprensa: Silvana em Vereda Tropical (1984) e a personagem homônima em Carmem (1988).

Quanto à vida pessoal, a atriz foi casada com John Neschling por doze anos e deu luz a Pedro Neschling, em 1982, seu único filho que veio durante o casamento. Posteriormente, namorou os atores Raul Gazolla e Antônio Grassi, até se relacionar com o engenheiro Davi Akkerman, se casarem, e ficarem juntos até 2003.

CarreiraEditar

Início e destaque em Escrava IsauraEditar

Nascida em Santo André e filha de Maria Moura e do operário Maurílio Simões dos Santos, Lucélia decidiu ser atriz aos nove anos após ouvir a atriz Cacilda Becker no rádio convidando crianças para participarem de alguma de suas peças.[1] Estreou no teatro aos catorze anos, na peça infantil Dom Chicote Mula Manca e seu fiel companheiro Zé Chupança.[1]

Após fazer um curso de teatro com Eugênio Kusnet, participou da montagem de Godspell, no Rio de Janeiro. Em seguida participou de Rock Horror Show e da peça Transe no 18.[1] Foi então que Gilberto Braga e Herval Rossano a convidaram para estrear a telenovela Escrava Isaura.[1] O sucesso de Escrava Isaura, que estreou em 11 de outubro de 1976, foi gigantesco, projetando a carreira de Lucélia Santos internacionalmente de forma definitiva.[1] Com a novela viajou para vários países como Rússia, Polônia e China. Em 1985 ganhou o prêmio "Águia de Ouro", oferecido pela primeira vez a uma artista estrangeira pela população chinesa através do voto direto.[1] Com a fama internacional conquistada com a novela Escrava Isaura, visitou, como convidada, vários países e inclusive integrou comitiva de Presidentes da República. Com Fernando Henrique Cardoso esteve na China, onde foi efusivamente recepcionada pelo primeiro-ministro Deng Xiao Ping.[2] Santos passou a ser considerada embaixadora cultural do Brasil na China, com visitas frequentes ao país e rodando em 2008 um filme gravado em ambos os países, Um Amor do Outro Lado do Mundo (Destino).[3]

Depois da Independência de Timor-Leste, em 2001, Lucélia Santos realizou um documentário sobre este novo país, Timor Lorosae - O Massacre Que o Mundo não Viu, que foi censurado no 8º Festival Internacional de Cinema de Jacarta.[4]

Carreira na televisãoEditar

Estreou em 1976 como protagonista da telenovela Escrava Isaura.[5] Logo em seguida, fez participação em Caso Especial no episódio "Ciranda Cirandinha", assim como, também deu vida a Fernanda de Locomotivas.[6] Em 1978, foi a vez de viver Tatiana na série Ciranda Cirandinha.[7] No ano seguinte, esteve em Plantão de Polícia e interpretou Josineide em Malu Mulher, nos episódios "Despedida de Solteiro" e "Ainda Não É Hora", respectivamente; além de encarnar na pele de Eliana em Feijão Maravilha.[8][9][10]

Iniciou a década de 1980 fazendo uma participação especial no episódio "Romeu e Julieta" como a protagonista principal em Caso Especial, além de viver Janete na telenovela Água Viva.[6][11] Logo em seguida, foi Virgínia em Ciranda de Pedra.[12] Em 1983, participou novamente do Caso Especial nos episódios "Alice & Alice" no papel principal, "O Inspetor Geral" como a criada do governador e "A Dama das Camélias como Margueritte e Marina; além de atuar na pele de Carolina em Guerra dos Sexos.[6][13] No ano seguinte, deu vida às personagens Leninha de Meu Destino É Pecar e Silvana de Vereda Tropical, esta última, foi indicada como Melhor Atriz no Troféu Imprensa de 1984.[14][15]

Em 1985, participou da série Armação Ilimitada, no episódio "O Melhor de Todos...".[16] Nos dois anos posteriores, foi protagonista da telenovelas Sinhá Moça e Carmem, esta última da Rede Manchete, e indicada, pela segunda vez na carreira, como Melhor Atriz no Troféu Imprensa de 1987.[17][18] Em 1990, foi para o SBT interpretar Paula em Brasileiras e Brasileiros.[19] Dois anos mais tarde, esteve no programa Você Decide, no episódio "O Álibi".[20] Em 1993, voltaria a participar do Caso Especial no episódio "Menino do Engenho" como Clarice e Maria Menina.[6]

Em 1994, fez outra participação especial no Você Decide como Regina, no episódio "O Último Desejo".[21] Nos dois anos seguintes, mudou-se novamente para o SBT, interpretando Júlia em Sangue do Meu Sangue, além de interpretar a personagem principal de Dona Anja.[22][23] Em 2001, participou da oitava temporada de Malhação como Jackie.[24] Três anos mais tarde, participou do episódio "As Cartas de Chico Xavier" no programa Linha Direta.[25]

Em 2006, foi para a RecordTV viver Fausta em Cidadão Brasileiro.[26] Nos dois anos seguintes, deu vida a personagem Suzana na série Donas de Casa Desesperadas, da RedeTV!, assim como, esteve em Casos e Acasos, da Rede Globo, no episódio "O Celular, A Viagem e o Dia Seguinte".[27][28] Em 2011, esteve em Aline como Débora.[29] Três anos mais tarde, participou da décima primeira edição da Dança dos Famosos, quadro do programa Domingão do Faustão.[30] Em 2016 e 2019, esteve em Vai que Cola, revivendo a personagem Escrava Isaura; além de interpretar Marília Montenegro na telenovela portuguesa Na Corda Bamba.[31][32]

Carreira no cinemaEditar

 
Obra de Nelson Rodrigues foi adaptado em Engraçadinha; Lucélia foi eleita Melhor Atriz.

Estreou nas telonas em 1976 no filme Já não Se Faz Amor como antigamente; e também como Adelinha em O Ibraim do Subúrbio, respectivamente.[33][34] Nos dois anos seguintes, viveu Lúcia em Paranoia e Giovanna em Um Brasileiro Chamado Rosaflor.[35][36] Em 1981, veio a sua primeira consagração no cinema ao protagonizar Engraçadinha cuja personagem homônima lhe garantiu o Festival de Brasília na categoria de Melhor Atriz; no mesmo ano, também esteve em cartaz em Bonitinha, mas Ordinária ou Otto Lara Resende e Glória em Álbum de Família.[37][38][39]

Em 1982, foi Lucinha em O Sonho não Acabou, mas foi novamente interpretando uma personagem homônima em Luz del Fuego que lhe premiou com o Kikito de Ouro no Festival de Gramado como Melhor Atriz.[40][41] No decorrer da década de 1980, esteve em cartaz nos filmes Fonte da Saudade como Bárbara, Guida e Alba; além de as As Sete Vampiras, Baixo Gávea e Kuarup como Elisa, Clara e Lídia, respectivamente.[42][43][44][45]

Em 1993, participou do filme Vagas para Moças de Fino Trato como Lúcia, personagem que lhe garantiu, pela segunda vez na sua carreira, o Festival de Brasília na categoria de Melhor Atriz.[46] Voltaria as telonas em 2001 em 3 Histórias da Bahia, além de participar do curta-metragem O Ovo, dois anos mais tarde.[47][48] Em 2009, foi co-produtora de Destino, cuja estreia mundial ocorreu no Festival Internacional de Cinema de Xangai.[49] Logo em seguida, fez uma rápida aparição numa cena do longa Lula, o Filho do Brasil como professora.[50] Em 2014, esteve no elenco de Casa Grande.[51] Cinco depois anos, foi Guida/Lígia em A Serpente e, posteriormente, esteve em Selvagem.[52][53]

Vida pessoalEditar

Foi casada de 1975 a 1987 com o maestro John Neschling, com quem teve seu único filho, o ator Pedro Neschling, nascido de parto normal, no Rio de Janeiro, em 28 de junho de 1982.[54]

De 1987 a 1990 foi namorada do ator Raul Gazolla. De 1990 a 1993 se relacionou amorosamente com o ator Antônio Grassi. Em 1995 começou a namorar o engenheiro Davi Akkerman. O casal foi morar juntos em 2000, após realizar uma cerimônia de casamento simbólica, seguindo os preceitos do judaísmo, religião de Davi. O casal rompeu a união estável em 2003. Solteira desde então, não assumiu mais nenhum relacionamento sério para a imprensa, e eventualmente é vista em companhia de homens anônimos e famosos.[55]

Tornou-se avó em 2017. Sua neta, Carolina Frate Neschling, nasceu de parto normal, no Rio de Janeiro, em 18 de maio.[56]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
1976 Escrava Isaura Isaura dos Anjos / Elvira[57]
1977 Caso Especial Ciça Episódio: "A Ordem Natural das Coisas"
Locomotivas Fernanda Cabral
1978 Ciranda Cirandinha Tatiana Aguiar (Tati)
1979 Plantão de Polícia Marcela Episódio "Despedida de Solteiro"
Malu Mulher Josineide Episódio "Ainda Não é Hora"
Feijão Maravilha Eliana
1980 Caso Especial Julieta Episódio: "Romeu e Julieta"
Água Viva Janete Fragoso Neves
1981 Ciranda de Pedra Virginia Prado
1983 Quarta Nobre Margarite / Marina Episódio: "A Dama das Camélias"
Criada do Governador Episódio: "O Inspetor Geral"
Alice Maria Episódio: "Alice & Alice"
Guerra dos Sexos Carolina Carneiro
1984 Meu Destino É Pecar Helena Castro Avelar (Leninha)
Vereda Tropical Silvana Rocha
1985 Armação Ilimitada Glorinha[58] Episódio "O Melhor de Todos..."
1986 Sinhá Moça Maria das Graças Ferreira (Sinhá Moça)
1987 Carmem Carmem Cruz
1990 Brasileiras e Brasileiros Paula
1992 Você Decide Cláudia Episódio "O Álibi"
1993 Caso Especial Clarice / Maria Menina Episódio: "Menino de Engenho"
1994 Você Decide Regina Episódio "O Último Desejo"
1995 Sangue do Meu Sangue Júlia Camargo
1996 Dona Anja Dona Anja
2001 Malhação Jackeline Lemos (Jackie) Temporada 8
2004 Linha Direta Dejanira Episódio "As Cartas de Chico Xavier"
2006 Prova de Amor ela mesma, promovendo a novela Cidadão Brasileiro, no táxi de Padilha Participação[59]
Cidadão Brasileiro Fausta Gama / Faustina de Assis Aguiar
2007 Donas de Casa Desesperadas Suzana Mayer
2008 Casos e Acasos Lucila Episódio "O Celular, A Viagem e O Dia Seguinte"
2011 Aline Débora Episódio "Aline e as Sogras"
2014 Dança dos Famosos Participante Temporada 11
2016 Vai que Cola Ela mesma Episódio "Novela de Época"
2019 Na Corda Bamba Marília Montenegro

FilmesEditar

Ano Título Personagem Notas
1976 Já não Se Faz Amor como antigamente Alice
O Ibraim do Subúrbio Adelinha
1977 Paranoia Lúcia Ricceli
1978 Um Brasileiro Chamado Rosaflor Giovanna
1981 Engraçadinha Engraçadinha
Bonitinha, mas Ordinária ou Otto Lara Resende Maria Cecília Werneck
Álbum de Família Glória
1982 O Sonho Não Acabou Lucinha
Luz del Fuego Luz del Fuego
1985 Fonte da Saudade Bárabara / Guida / Alba
1986 As Sete Vampiras Elisa Machado
Baixo Gávea Clara[60]
1989 Kuarup Lídia
1993 Vagas para Moças de Fino Trato Lúcia
2001 3 Histórias da Bahia Ana Maria
2003 O Ovo Mulher Curta-metragem
2009 Destino Luíza
2010 Lula, o Filho do Brasil Professora
2013 Histórias Íntimas Ela mesma [61]
2014 Casa Grande Ela mesma
2019 A Serpente Lígia/Guida [62]
2020 Selvagem Profa. Maria

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
1981 Festival de Brasília Melhor Atriz Engraçadinha Venceu
1982 Festival de Gramado Melhor Atriz Luz del Fuego Venceu
1985 Troféu Imprensa Melhor Atriz Vereda Tropical Indicada
Golden Eagle Awards Best Foreign Actress Escrava Isaura Venceu
1988 Troféu Imprensa Melhor Atriz Carmem Indicada
1993 Festival de Brasília Melhor Atriz Vagas para Moças de Fino Trato Venceu
2020 Festival Sesc Melhores Filmes[63] Melhor Atriz Nacional
Mulher Oceano
Pendente

Referências

  1. a b c d e f «Lucélia Santos, estrela nos anos 70 e 80 como escrava e musa rodrigueana». Acervo O Globo. 15 de maio de 2017. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  2. Spitzcovsky, Jaime (12 de dezembro de 1995). «'Escrava Isaura' acompanha o presidente». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  3. Merten, Luiz Carlos (7 de setembro de 2019). «Lucélia e a China que se transforma». O Estado de S.Paulo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  4. Lucélia Santos lança documentário sobre Timor Leste
  5. de Castro, Thell (14 de outubro de 2018). «Maior sucesso de Lucélia Santos, Escrava Isaura quase foi vivida por outra atriz». Notícias da TV. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  6. a b c d Xaiver, Nilson. «Caso Especial». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  7. «Na Ciranda: tempo de grilo e contestação». Correio Braziliense. 4 de maio de 1978. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  8. Xavier, Nilson. «Plantão de Polícia». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  9. Xavier, Nilson. «Malu Mulher». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  10. Pedroso, Bráulio (19 de março de 1979). «Feijão Maravilha vem para alimentar o sorriso do povo». O Fluminense. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  11. Campos, Cidinha (14 de janeiro de 1980). «Soltas». O Fluminense. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  12. Xavier, Nilson. «Ciranda de Pedra». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  13. «Primeiras gravações». Jornal do Brasil. 20 de maio de 1983. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  14. «Ficha Técnica - Meu Destino é Pecar». Memória Globo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  15. Campos, Cidinha (29 de junho de 1984). «Lucélia Santos em "Vereda Tropical"». O Fluminense. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  16. Xavier, Nilson. «Armação Ilimitada». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  17. Xavier, Nilson. «Sinhá Moça (1986)». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  18. Guaraldo, Luciano (26 de junho de 2017). «Protagonista de todas as novelas de 1987 já morreram ou sumiram da TV». Notícias da TV. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  19. Xavier, Nilson. «Brasileiras e Brasileiros». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  20. «Perfil completo - Lucélia Santos». Memória Globo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  21. Xavier, Nilson. «Você Decide». Teledramaturgia. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  22. Scalzo, Mariana (7 de abril de 1995). «Lucélia Santos protagoniza remake de 'Sangue do meu Sangue' no SBT». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  23. Scalzo, Mariana (9 de novembro de 1996). «Lucélia Santos vive uma mulher insaciável em 'Dona Anja'». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  24. «Bastidores - Malhação Múltipla Escolha (2001-2002)». Memória Globo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  25. «As Cartas de Chico Xavier». Memória Globo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  26. «Lucélia Santos celebra o presente, em novela na Record». Gazeta do Povo. 21 de março de 2006. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  27. «Vera e Suzana se desentendem em "Donas de Casa Desesperadas"». Folha de S.Paulo. 31 de outubro de 2007. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  28. «O celular, a viagem e o dia seguinte, no ar 30/10». Globo Imprensa. 28 de outubro de 2008. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  29. Bravo, Zean (30 de janeiro de 2011). «Personagem de Maria Flor em 'Aline' lida com questões mais adultas na segunda temporada». Extra. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  30. «Anitta, Lucélia Santos e Lucas Lucco estão na Dança dos Famosos». Notícias da TV. 19 de julho de 2014. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  31. «Lucélia Santos aparece como Escrava Isaura no "Vai Que Cola"». iG São Paulo. 25 de outubro de 2016. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  32. «Lucélia Santos sobre Na Corda Bamba: Foi uma espécie de boia de salvação». TVI. 21 de novembro de 2019. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  33. «Lucélia Santos: a biografia». AdoroCinema. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  34. «Filmografia - O Ibraim do Subúrbio». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  35. «Filmografia - Paranóia». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  36. «Filmografia - Um Brasileiro Chamado Rosaflor». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  37. «Filmografia - Engraçadinha». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  38. «Filmografia - Bonitinha, mas Ordinária ou Otto Lara Resende». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  39. «Filmografia - Álbum de Família». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  40. «Filmografia - O Sonho Não Acabou». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  41. «Filmografia - Luz del Fuego». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  42. «Filmografia - Fonte da Saudade». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  43. «Filmografia - As Sete Vampiras». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  44. «Filmografia - Baixo Gávea». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  45. «Filmografia - Kuarup». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  46. «Filmografia - Vagas para Moças de Fino Trato». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  47. «Filmografia - Três Histórias da Bahia». Cinemateca brasileira. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  48. «O Ovo». Portal Curtas. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  49. «Lucélia Santos estreia "Destino" no Festival de Xangai». Folha de S.Paulo. 18 de junho de 2009. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  50. Daehn, Ricardo (8 de novembro de 2009). «Entrevista com a atriz Lucélia Santos sobre o filme Lula, o filho do Brasil». Correio Braziliense. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  51. Oliveira, Daniel (30 de janeiro de 2015). «Estreantes e atores em escalações inusitadas no elenco». O Tempo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  52. Veronez, Cris (15 de agosto de 2019). «Com Lucélia Santos, Matheus Nachtergaele explora faceta libidinosa no filme 'A Serpente». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  53. Balacci, Luccas (25 de julho de 2019). «'Selvagem': Filme com Rincon Sapiência tem exibição gratuita no CineSesc nesta sexta». Metro Jornal. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  54. PEDRO NESCHLING DISPUTA AUDIÊNCIA COM A MÃE, LUCÉLIA SANTOS.
  55. [[1]]
  56. «Nasceu Carolina, filha de Vitória Frate e Pedro Neschling». Patricia Kogut 
  57. «Lucélia Santos não quer falar de 'Escrava Isaura', que faz 35 anos». Redação Rede Globo. 10 de outubro de 2011. Consultado em 10 de outubro de 2011 
  58. Nilson Xavier. «Armação Ilimitada». Teledramaturgia. Consultado em 9 de maio de 2018 
  59. Nilson Xavier. «Prova de Amor - Teledramaturgia». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  60. Cinemateca Brasileira, Baixo Gávea [em linha]
  61. «Histórias Íntimas: Documentário premiado não tem exibição garantida». lulacerdaig.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  62. «A Serpente». Adoro Cinema. Consultado em 10 de maio de 2020 
  63. «Melhor Atriz Nacional». Festival Sesc. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Citações no Wikiquote
  Imagens e media no Commons

Precedida por
Edna de Cássia
por Iracema - Uma Transa Amazônica
Troféu Candango de Melhor Atriz
por Engraçadinha

1981
Sucedida por
Vera Fischer
por Amor Estranho Amor
Precedida por
Patrícia Pillar
por A Maldição do Sanpaku
Troféu Candango de Melhor Atriz
por Vagas para Moças de Fino Trato
(com Norma Bengell e Maria Zilda Bethlem)

1993
Sucedida por
Cláudia Mello
por A Causa Secreta
Precedida por
Sônia Braga
por Eu Te Amo
Kikito de Ouro de Melhor Atriz
por Luz del Fuego

1982
Sucedida por
Marília Pêra
por Bar Esperança