Abrir menu principal

Homem com hidropisiaEditar

 Ver artigo principal: Jesus curando o homem com hidropisia

Este milagre é relatado apenas em Lucas 14:1-6. Durante um sabá, Jesus foi recebido para uma refeição na casa de um proeminente fariseu para ser observado de perto. Lá, à sua frente, estava um homem que sofria de hidropisia, com o corpo inchado pela acumulação de líquidos. Jesus perguntou aos fariseus e aos doutores da Lei: «É lícito ou não curar no sábado?» (Lucas 14:3)

Eles permaneceram em silêncio e, assim, Jesus tomou o homem pelas mãos, curou-o e o mandou ir pra casa. Ao terminar, perguntou-lhes novamente: «Qual de vós, se um filho ou um boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado?» (Lucas 14:5) A resposta novamente foi o silêncio.

Parábola da Festa de CasamentoEditar

 Ver artigo principal: Parábola da Festa de Casamento

Esta parábola (Lucas 7:14) é uma das que só existem no Evangelho de Lucas e está imediatamente antes da Parábola do Banquete de Casamento (Lucas 14:15-24).[3][4] No Evangelho de Mateus, a versão da Parábola do Banquete é também ambientada numa festa de casamento, o que provoca alguma confusão entre as duas (Mateus 1:14).[5]

Um casamento, na época, era um evento sagrado e muito alegre que chegava a durar até uma semana. Quando Jesus contou esta parábola, muitos foram capazes de entender sua mensagem justamente por ele utilizar um casamento judaico como ambiente para sua lição.[6] Neste trecho está uma das frases famosas de Jesus:

«Pois todo o que se exalta, será humilhado; mas todo o que se humilha, será exaltado.» (Lucas 14:11)

A mesma frase está Lucas 18 (Lucas 18:14) e Mateus 23 (Mateus 23:12) e uma similar em Mateus 18 (Mateus 18:4).[4]

Parábola do Banquete de CasamentoEditar

 Ver artigo principal: Parábola do Banquete de Casamento

Esta parábola, conhecida ainda como "Casamento do Filho do Rei" ou, confusamente, "Parábola da Festa de Casamento" é encontrada em Lucas (Lucas 14:15-24) e em Mateus (Mateus 22:1-14). A imagem escatológica de um casamento está presente também na Parabóla do Servo Fiel e na Parábola das Dez Virgens. Nesta, Jesus estende o convite original (aos judeus) também para os gentios[7] e, em Lucas, para «os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos» (Lucas 14:21).[7]

Contando o custoEditar

 Ver artigo principal: Contando o custo

Esta parábola trata do sacrifício necessário para poder ser um discípulo de Jesus de fato[8]: «Quem não carrega a sua cruz e não me segue, não pode ser meu discípulo [...] Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo o que possui, não pode ser meu discípulo.» (Lucas 14:27-33)

Este trecho é similar a Mateus 8 (Mateus 8:18-22) e Lucas 9 (Lucas 9:57-62).

Sal sem gostoEditar

O capítulo termina com um trecho muito breve (Lucas 14:34-35) no qual Jesus avisa que o sal que se torna insípido e, por isso, é inútil, será jogado fora e esquecido, um novo alerta aos que se desviam do caminho ensinado por ele. Este trecho é similar a Mateus 5 (Mateus 5:13).

TextoEditar

 
Estaurograma no versículo 27 do Papiro 75 (um dos Papiros de Bodmer), que contém todo o Evangelho de Lucas.

O texto original deste evangelho foi escrito em grego koiné e alguns dos manuscritos antigos que contém este capítulo, dividido em 35 versículos, são:

Ver tambémEditar


Precedido por:
Lucas 13
Capítulos do Novo Testamento
Evangelho de Lucas
Sucedido por:
Lucas 15

Referências

  1. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962. (em inglês)
  2. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012. (em inglês)
  3. J. Dwight Pentecost, 1998 The parables of Jesus: lessons in life from the Master Teacher ISBN 0-8254-3458-0 pages 85-86
  4. a b Luke by Sharon H. Ringe 1995 ISBN 0-664-25259-1 page 195
  5. Aland, Kurt, ed. Synopsis of the Four Gospels: Completely Revised on the Basis of the Greek Text of the Nestle-Aland, 26th Edition, and Greek New Testament, 3rd Edition, English Edition. 1st ed. United Bible Societies, 1982. Print. Perícope 216. (em inglês)
  6. Bauckham, Richard (outono de 1996). «The Parable of the Royal Wedding Feast (Matthew 22:1-14) and the Parable of the Lame Man and the Blind Man (Apocryphon of Ezekiel)». Journal of Biblical Literature (em inglês). 115 (3) 
  7. a b Robert H. Stein, An Introduction to the Parables of Jesus, Westminster John Knox Press, 1981, ISBN 0-664-24390-8, pp. 82-91. (em inglês)
  8. Charles McCollough, The Art Of Parables: Reinterpreting the Teaching Stories of Jesus in Word and Scripture, Wood Lake Publishing, 2008, ISBN 1-55145-563-3, pp. 94-95. (em inglês)

BibliografiaEditar