Lucas 19

Lucas 19 é o décimo-nono capítulo do Evangelho de Lucas no Novo Testamento da Bíblia. Ele reconta os últimos dias de Jesus antes de sua chegada a Jerusalém, o início de sua Paixão, inclusive os primeiros eventos já na cidade.[1][2]

Jesus expulsando os vendilhões, o mais conhecido evento em Lucas 19.
1655. Por Bernardino Mei, atualmente no J. Paul Getty Museum, na Califórnia.

ZaqueuEditar

 
Zaqueu esperando Jesus
Entre 1886 e 1894. Por James Tissot, atualmente no Brooklyn Museum, em Nova Iorque.
 Ver artigo principal: Zaqueu

Zaqueu era o principal publicano em Jericó e só foi mencionado em Lucas (Lucas 19:1-10). Ele era um descendente de Abraão e um dos principais exemplos da missão pessoal terrena de Jesus de salvar os perdidos,[3] principalmente por que os publicanos eram considerados traidores por trabalharem para as autoridades romanas e não para a comunidade judaica, geralmente de forma bastante corrupta.

No trecho, Zaqueu sobe numa árvore para ver Jesus, que pede-lhe que desça, pois vai se hospedar em sua casa. O gesto provocou uma grande comoção, pois Jesus hospedar-se-ia na casa de um "pecador". Emocionado, o publicano doou metade de seus bens e se comprometeu a retribuir os que havia prejudicado. A resposta de Jesus foi:

«Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto este também é filho de Abraão; porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.» (Lucas 19:9-10)

Parábola das MinasEditar

 Ver artigo principal: Parábola das Minas

Esta parábola, conhecida também como "Parábola dos Talentos", aparece em Lucas 19:11-27 (onde se usa o termo "minas") e em Mateus 25 (Mateus 25:14-30), usando o termo "talentos"). A diferença entre as duas versões é substancial.[4] Tradicionalmente, ela tem sido vista como uma exortação aos discípulos a usar seus dons dados por Deus a serviço de Deus e a assumir riscos pela causa do Reino de Deus.[4] Estes dons incluem habilidades pessoais ("talentos" no sentido usual), bem como a riqueza pessoal ("talentos" como unidade monetária).[4] A não utilização dos talentos, a parábola sugere, irá resultar em julgamento.[4]

Entrada triunfal em JerusalémEditar

 
Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, o evento que marca o início da Paixão de Cristo.
1311. Por Duccio, atualmente no Museu do Duomo de Siena, na Itália.

Este é um evento da vida de Jesus, já no final do final de seu ministério, que é relatado pelos quatro evangelhos canônicos: em Lucas 19:28-40, Mateus 21 (Mateus 21:1-9), Marcos 11 (Marcos 11:1-10) e João 12 (João 12:12-15). A entrada marca o início do período conhecido como Paixão, que culminará com a crucificação e ressurreição de Jesus.[5][6][7][8]

Em Lucas, depois de passar por Betfagé e Betânia, já no Monte das Oliveiras, Jesus conseguiu, com a ajuda de seus discípulos, um jumentinho e forrou-o com as capas de seus discípulos. Já montado, aproximou-se da cidade e «Quando ele já ia chegando à descida do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos começou jubilosa a louvar a Deus em altas vozes por todos os milagres que tinha visto, dizendo: Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! paz no céu e glória nas maiores alturas!» (Lucas 19:37-38), uma referência a Salmos 118:26.

Logo em seguida, já bem perto da cidade, Jesus chorou pela cidade (um evento conhecido como Flevit super illam (Lucas 19:40-44) e profetiza a destruição do Segundo Templo.

Jesus expulsando os vendilhõesEditar

 
Escultura da Parábola das Minas
1963. Por Paulamaria Walter, em Wege zur Kunst, Schwäbisch Gmünd, na Alemanha.
 Ver artigo principal: Jesus expulsando os vendilhões

Este episódio também ocorre nos quatro evangelhos canônicos: Marcos 11 (Marcos 11:15-19), Mateus 21 (Mateus 21:12-17), Lucas 19 (Lucas 19:45-48). Nos caso dos evangelhos sinóticos, o evento ocorre já na semana final de Jesus, mas em João 2 (João 2:13-16), o que leva alguns acadêmicos a postularem que se tratam na verdade de dois eventos separados, uma vez que o João relata mais de uma Páscoa.[9] Se for esta a hipótese correta, este evento seria a "Segunda Limpeza do Templo" e o evento em João, a "Primeira Limpeza do Templo".

Segundo Lucas, «Tendo entrado no templo, começou a expulsar os que ali vendiam, dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa será casa de oração, mas vós a fizestes um covil de salteadores.» (Lucas 19:45-46), uma referência a Jeremias 7:11. Lucas termina seu relato contando que Jesus passou a ensinar ali todos os dias e atraiu a fúria dos sacerdotes, que tramavam para matá-lo, mas não sabiam como pois ele era muito querido pelas multidões.

TextoEditar

O texto original deste evangelho foi escrito em grego koiné e alguns dos manuscritos antigos que contém este capítulo, dividido em 48 versículos, são:

Ver tambémEditar


Precedido por:
Lucas 18
Capítulos do Novo Testamento
Evangelho de Lucas
Sucedido por:
Lucas 20

Referências

  1. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962. (em inglês)
  2. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012. (em inglês)
  3. Warfield, Benjamin Breckinridge. «Jesus' Mission, According to His Own Testimony». Monergism (em inglês). CPR Foundation 
  4. a b c d Arland J. Hultgren, The Parables of Jesus: A Commentary, Eerdmans Publishing, 2002, ISBN 080286077X, pp. 271-281. (em inglês)
  5. The people's New Testament commentary by M. Eugene Boring, Fred B. Craddock 2004 ISBN 0-664-22754-6 pages 256-258 (em inglês)
  6. The Bible Knowledge Background Commentary: Matthew-Luke, Volume 1 by Craig A. Evans 2003 ISBN 0-7814-3868-3 page 381-395 (em inglês)
  7. The Synoptics: Matthew, Mark, Luke by Ján Majerník, Joseph Ponessa, Laurie Watson Manhardt 2005 ISBN 1-931018-31-6 pages 133-134 (em inglês)
  8. The Bible knowledge background commentary: John's Gospel, Hebrews-Revelation by Craig A. Evans ISBN 0-7814-4228-1 pages 114-118 (em inglês)
  9. The Bible knowledge background commentary by Craig A. Evans 2005 ISBN 0781442281 page 49 (em inglês)

BibliografiaEditar