Abrir menu principal
Luccas Pace
Nome completo Luccas Pace Júnior
Nascimento 16/06/1958
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Operador de câmbio
Luccas Pace Júnior
Crime(s) transações cambiais fraudulentas[1]
Pena 4 anos, 2 meses e 15 dias de prisão[1]
Situação cumprindo pena em regime aberto[1]

Luccas Pace Júnior é um operador de câmbio brasileiro, que ganhou notoriedade ao ser preso na Operação Lava Jato por ter cometido transações cambiais fraudulentas em operações com a doleira Nelma Kodama, sendo considerado o principal responsável pela execução de remessas fraudulentas.[2] Foi a primeira delação premiada homologada na Lava Jato.[3][4][5]

Em 13 de agosto de 2015, em depoimento à CPI da Petrobras, Pace afirmou que sente "alívio" por ter sido preso na Operação Lava Jato. Pace foi condenado a 8 anos e cinco, reduzidos a 4 anos, dois meses e quinze dias, mas responde em liberdade, pelo acordo de delação[1] Ainda em depoimento na CPI, disse: "Para mim foi um alívio. No dia que eu fui preso, eu fiquei livre do mundo que me prendia", e relatou aos deputados maneiras usadas para burlar a fiscalização das autoridades financeiras. Segundo o delator, existem "brechas propositais" na legislação brasileira que trata do controle desse tipo de movimentação.[6]

Luccas também denunciou corretoras de valores e instituições bancarias que participavam do esquema de remessas fraudulentas ao exterior.

Referências

  1. a b c d katna Baran e Kelli Kadanus (22 de outubro de 2014). «Justiça Federal condena doleira da Lava Jato a 18 anos de prisão». Gazeta do Povo. Consultado em 26 de abril de 2017 
  2. «AÇÃO PENAL Nº 5026243­05.2014.404.7000/PR» (PDF). Consultor Jurídico. Consultado em 26 de abril de 2017  soft hyphen character character in |título= at position 22 (ajuda)
  3. «Juiz homologa primeira delação premiada da Operação Lava Jato». Agência Brasil. EBC. Consultado em 26 de abril de 2017 
  4. Mateus Coutinho e Fausto Macedo (24 de setembro de 2014). «Juiz homologa primeiro acordo de delação premiada da Lava Jato». Estadão. Consultado em 26 de abril de 2017 
  5. «Justiça homologa primeira delação premiada da Lava Jato». Veja. Abril. 24 de setembro de 2014. Consultado em 26 de abril de 2017 
  6. Fernanda Calgaro (13 de agosto de 2015). «Delator ligado a doleira diz sentir 'alívio' por ter sido preso na Lava Jato». G1. Globo. Consultado em 26 de abril de 2017