Abrir menu principal
Luigi Poggi
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arquivista emérito dos Arquivos Secretos do Vaticano
Bibliotecário emérito da Biblioteca Vaticana
Dom Luigi, durante a ordenação Episcopal de Dom Gianni Ambrosio, na Catedral de Piacenza, em 16 de fevereiro 2008. Atraès dele, Dom Luciano Monari.
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 9 de abril de 1992
Predecessor Dom Antonio María Cardeal Javierre Ortas, S.D.B.
Sucessor Dom Jorge María Cardeal Mejía
Mandato 1992 - 1998
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de julho de 1940
Nomeação episcopal 3 de abril de 1965
Ordenação episcopal 9 de maio de 1965
por Dom Amleto Giovanni Cardeal Cicognani
Nomeado arcebispo 3 de abril de 1965
Cardinalato
Criação 26 de novembro de 1994
por Papa João Paulo II
Ordem Cardeal-diácono (1994-2005)
Cardeal-presbítero (2005-2010)
Título Santa Maria em Domnica (1994-2005)
São Lourenço em Lucina (2005-2010)
Brasão
Coat of arms of Luigi Poggi.svg
Lema IN FIDE ET CARITATE
Dados pessoais
Nascimento Piacenza
25 de novembro de 1917
Morte Praga
4 de maio de 2010 (92 anos)
Nacionalidade Italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Luigi Poggi (Piacenza, 25 de novembro de 1917 - 4 de maio de 2010[1]) foi um religioso italiano, cardeal da Igreja Católica Romana, arquivista emérito dos Arquivos Secretos do Vaticano e bibliotecário emérito da Biblioteca Vaticana.

Foi ordenado padre em 28 de julho de 1940. Em 9 de maio de 1965, foi nomeado delegado apostólico para a África Central, recebcendo o título de arcebispo-titular de Forontoniana. Atuou como núncio apostólico em várias localidades, como Gabão, Polônia, Camarões, Peru e Itália. Em 1992, foi nomeado pró-arquivista dos Arquivos Secretos do Vaticano e pró-bibliotecário da Biblioteca Vaticana.

Foi criado cardeal em 1994 pelo Papa João Paulo II, com o título de Cardeal-diácono de S. Maria in Domnica, sendo-lhe imposto o barrete cardinalício em 26 de novembro. Em 2002, torna-se o protodiácono do Colégio dos Cardeais. Em 2005, é transformado em cardeal-presbítero, após dez anos como cardeal-diácono, recebendo o título cardinalício de S. Lorenzo in Lucina. Participou do Conclave de 2005, que elegeu Joseph Ratzinger como Papa Bento XVI, como cardeal não-votante.

Ligações externasEditar

Referências