Abrir menu principal

Luis Alberto Islas Ranieri (Buenos Aires, 22 de dezembro de 1965) é um ex-futebolista e treinador de futebol argentino que jogava como goleiro. Atualmente é auxiliar-técnico de Diego Maradona no Dorados de Sinaloa.

Luis Islas
Informações pessoais
Nome completo Luis Alberto Islas Ranieri
Data de nasc. 22 de dezembro de 1965 (53 anos)
Local de nasc. Buenos Aires,  Argentina
Altura 1,86 m
Apelido El Loco
Informações profissionais
Equipa atual Dorados de Sinaloa
Posição Auxiliar-técnico (Ex-goleiro)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1982
1983–1986
1986–1988
1988–1990
1989–1990
1990–1994
1995
1996
1996–1997
1998–1999
2000
2000–2001
2002–2003
2003–2004
Chacarita Juniors
Estudiantes
Independiente
Atlético de Madri
Logroñés (emp.)
Independiente
Newell's Old Boys
Platense
Toluca
Huracán
Tigre
León
Talleres
Independiente
021 (0)
107 (0)
048 (0)
000 (0)
035 (0)
141 (0)
015 (0)
010 (0)
053 (0)
019 (0)
012 (0)
044 (0)
034 (0)
008 (0)
Seleção nacional
1984–1994 Flag of Argentina.svg Argentina 30 (0)
Times/Equipas que treinou
2006–2007
2007
2011
2012–2014
2016
2017–2018
2018–
Almagro
Aurora
Central Norte
Racing de Córdoba
Deportivo Español
Al-Fujairah SC
Dorados de Sinaloa






CarreiraEditar

Conhecido como El Loco por seu temperamento explosivo, Islas foi revelado pelo Chacarita Juniors em 1982, fazendo sua estreia profissional aos 16 anos, contra o Banfield. Suas atuações pelo clube Funebrero chamaram a atenção do Estudiantes, que o contratou em 1983. Jogou 107 partidas até 1986, sendo campeão nacional em sua primeira temporada pelos Pincharratas. Em 1986, assinou com o Independiente durante a Copa do México, estreando em julho do mesmo ano. Desavenças com o técnico Jorge Solari causaram a saída do goleiro em 1988, após 48 jogos.

Contratado pelo Atlético de Madri, não chegou a disputar nenhuma partida oficial pelos Colchoneros, que o emprestaram ao Logroñés, disputando 35 partidas e sendo eleito o melhor goleiro da primeira divisão espanhola. Em 1990 voltou ao Independiente, onde viveria o seu auge; em 4 temporadas, foram 141 partidas e 3 títulos (Torneio Clausura e Supercopa de 1994, além da Recopa Sul-Americana de 1995). Permaneceria no futebol argentino durante 2 anos, em rápidas passagens por Newell's Old Boys e Platense, rumando ao México em 1996 para defender o Toluca.

Voltaria novamente ao seu país natal em 1997, vestindo as camisas de Huracán e Tigre. Islas jogaria ainda por León e Talleres, antes de retornar pela segunda vez ao Independiente e encerrar a carreira em 2004, aos 38 anos.

Carreira na SeleçãoEditar

Islas estreou na Seleção Argentina com apenas 18 anos, e seu primeiro torneio com a Albiceleste foi a Copa de 1986, sendo convocado como reserva de Nery Pumpido. Disputou também duas edições da Copa América (1987 e 1989, também como suplente) e as Olimpíadas de 1988, primeiro torneio que a Argentina disputava com Islas titular da Albiceleste.[1]

O goleiro chegou a renunciar às convocações de Carlos Bilardo às vésperas do Mundial de 1990, sediado pela Itália, pois o treinador não achava que Islas assumisse o gol argentino. Porém, era cotado para ser novamente um reserva ideal para Pumpido.

Com a lesão do titular no jogo contra Camarões, o escolhido para ser seu substituto foi Sergio Goycochea, reserva de Pumpido no River Plate, enquanto a FIFA autorizou uma convocação de um novo goleiro, sendo escolhido Ángel Comizzo, também do River (era o terceiro goleiro dos Millonarios). Tal atitude desagradou Islas, que só voltaria à Seleção em 1992, já sob o comando de Alfio Basile.

Mesmo sendo convocado com mais frequência, continuava sendo reserva de Goycochea. Mas a "vingança" de El Loco viria na Copa de 1994.

Goycochea e Islas seriam novamente convocados, porém, desta vez a titularidade tinha novo dono: o então jogador do Independiente ganharia a disputa com El Tapa Penales pela vaga no gol da Argentina. Mesmo com a Albiceleste se classificando para as oitavas-de-final, o desempenho de Islas no gol não foi satisfatório: seis gols sofridos, e a eliminação para a Romênia. Depois da competição, Islas anunciaria que não mais seria convocado para a Seleção, concentrando-se apenas em sua carreira por clubes.

CuriosidadeEditar

Islas é o único goleiro a bater um lateral em Copas do Mundo, justamente no jogo contra a Romênia, o último da Albiceleste na edição de 1994.

TitulosEditar

Estudiantes
Independiente
Argentina
Individual
  • Mundial Sub-20: Bola de Bronze de 1983
  • Prêmio Olímpia (1): 1992

Referências

  1. «Elenco ARG'88». Consultado em 20 de janeiro de 2018