Abrir menu principal
Luiz Couto
Luiz Albuquerque Couto
Luiz Couto fala no Seminário Nacional para Enfrentamento da Violência contra a Pessoa Idosa.
Secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba
Período 1º de fevereiro de 2019
até a atualidade
Governador João Azevêdo
Deputado Federal pela Paraíba
Período 1º de fevereiro de 2003
até 31º de janeiro de 2019
(4 mandatos consecutivos)
Deputado Estadual da Paraíba
Período 1º de fevereiro de 1995
até 31 de janeiro de 2003
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 13 de fevereiro de 1945 (74 anos)
Soledade,Paraíba
Nacionalidade Brasil brasileiro
Progenitores Mãe: Elisa Leopoldina de Albuquerque Couto
Pai: Antônio Joaquim de Couto
Partido PT
Profissão Professor universitário e Sacerdote católico
Website Luiz Couto

Luiz Albuquerque Couto (Soledade, 13 de fevereiro de 1945), conhecido simplesmente por Luiz Couto, é um professor universitário, Sacerdote católico e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), atualmente é secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba.[1]. Durante sua carreira política já foi deputado estadual por dois mandatos e eleito quatro vezes deputado federal. Em 2018 se apresentou como candidato ao Senado Federal, pela Paraíba. No entanto, não conseguiu ser eleito e ficou em 3° lugar com 23,10% dos votos válidos.[2]

BiografiaEditar

Filho de trabalhadores rurais sem terra, nasceu em Soledade, no Curimataú paraibano, mas mudou-se para João Pessoa em busca de melhores oportunidades para estudar. Formou-se em Filosofia pelo Seminário Regional do Nordeste e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), entre os anos de 1966 e 1969, e em Teologia pelo Instituto de Teologia do Recife (Iter), entre 1973 e 1976. Entrou para o quadro docente da UFPB, onde chefiou o Departamento de Filosofia e foi diretor do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB.[3] Já lecionou Metodologia da Ciência, Lógica, Introdução à Filosofia, Ética, História da Filosofia, Filosofia da História, Filosofia Social e Política, e Antropologia Filosófica.[2]

SacerdócioEditar

Ordenou-se padre em 19 de dezembro de 1976. Identificado com a chamada Teologia da Libertação[4] exerceu o Ministério sacerdotal nas paróquias Nossa Senhora das Neves e Sagrado Coração de Jesus na cidade de João Pessoa, tendo atuado ainda em diversas paróquias da capital paraibana e em cidades do interior da Paraíba, dentre as quais, Santa Rita, Pilar, Sapé, Gurinhém, Pedras de Fogo, São Miguel de Taipu, Salgado de São Félix e Itabaiana.[2]

Carreira PolíticaEditar

Filiado ao PT desde 1985 candidatou-se pela primeira vez 1994 como deputado estadual da Paraíba e foi eleito com 9.449 votos.[5] e reeleito em 1998 com 11.849 votos.[5] Em 1996 e 2000 concorreu, sem êxito, como candidato a prefeito de João Pessoa.

Em 2002 tenta uma vaga na Câmara Federal e é eleito deputado federal com 77.432 votos, sendo reeleito em 2006, com 83.742 votos, em 2010 foi pela terceira vez eleito com 95.555 súfragios e em 2014 obtendo 3.61% do eleitorado, foi pela quarta vez com 69.922 votos.[5] Na Câmara Federal, como relator da CPI dos Grupos de Extermínio no Nordeste, recomendou em 2005 o indiciamento de cerca de 300 pessoas, entre políticos, juízes, policiais e promotores. Jurado de morte por grupos de extermínio, circula com proteção especial da Polícia Federal. Devido a sua atuação, foi relacionado entre os 20 melhores parlamentares da Câmara e se destaca no combate ao crime organizado, segundo o site Congresso em Foco.[4]

Em 2018 tem o nome comfirmado pelo PT para concorrer ao senado pela paraíba na coligação a força do trabalho mas não obtem a Vitória e fica na terceira colocação com 792.420 mil votos ou 23,10% do total.

Referências

  1. «João Azevêdo dá posse aos secretários e agenda reunião para esta quinta». 2 de janeiro de 2019. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  2. a b c Página oficial do Deputado. «Quem é Luiz Couto». Consultado em 23 de setembro de 2012 
  3. «Luiz Couto (PB)». Site oficial da liderança do PT. Consultado em 16 de fevereiro de 2013 
  4. a b PB Agora. «Couto entra mais uma vez na lista dos 20 melhores». Consultado em 22 de novembro de 2012 
  5. a b c Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). «Sistema de Histórico de Eleições». consulta de resultados de eleições. Consultado em 22 de novembro de 2012. Arquivado do original em 21 de julho de 2013 

Ligações externasEditar