Lynn Bari
Lynn Bari em 1944.
Nome completo Margaret Schuyler Fisher
Nascimento 18 de dezembro de 1913
Roanoke, Virginia,  Estados Unidos
Nacionalidade norte-americana
Morte 20 de novembro de 1989 (75 anos)
Santa Mônica, Califórnia,  Estados Unidos
Ocupação Atriz (1933-68)
Cônjuge Walter Kane (1939 - 1943)
Sidney Luft (1943 - 1950)
Nathan Rickles (1955 - 1972)

Lynn Bari (Roanoke, Virginia 18 de dezembro de 1913Santa Mônica, Califórnia 20 de novembro de 1989), nascida Margaret Schuyler Fisher, foi uma atriz que atuou em cerca de 150 filmes da 20th Century Fox do início dos anos 1930 até os anos 1940, reconhecida por sua forma escultural e atuação sensual.[1]

Primeiros anosEditar

Bari nasceu em Roanoke, Virgínia e cresceu em Lynchburg, Virgínia se mudado para Los Angeles, Califórnia com sua família durante sua adolescência.[2]

CarreiraEditar

 
Edward G. Robinson e Bari no filme Tampico (1944).
 
William Bendix, Lynn Bari e Doug McClure na ´serie de TV Overland Trail de 1960.

Na maioria de seus primeiros filmes, Bari tinha papéis não creditados atuando como recepcionista ou garota do coral. Lutou para estrelar nos filmes, mas aceitava qualquer papel que pudesse conseguir. Raros papéis principais incluem China Girl (1942), Hello, Frisco, Hello (1943) e The Spiritualist (1948). Nos filmes B, Lynn normalmente atuava como vilã, notávelmente em Shock e Nocturne (ambos de 1946). Uma exceção foi em The Bridge of San Luis Rey (1944). Durante a Segunda Guerra Mundial, de acordo com uma pesquisa feita entre os soldados, Bari era a segunda mais popular garota pin-up depois da muita mais conhecida Betty Grable.

A carreira cinematográfica de Bari declinou no começo dos anos 1950, próximo ao seu aniversário de 40 anos, embora ela continuasse a trabalhar em um ritmo mais lento pelas duas décadas seguintes, agora atuando em papéis mais maternais do que sedutores. Retratou a mãe de um adolescente suicida em um drama de 1951, On the Loose, e muitos outros papéis coadjuvantes.

A última aparição de Bari em um filme foi como a máe do adolescente rebelde Patty McCormack em The Young Runaways (1968) e sua aparição final na TV foi em episódios de The Girl From U.N.C.L.E. e The FBI.

Bari se aproveitou do crescimento da televisão durante os anos 50, com ela estrelando a sitcom ao vivo Detective's Wife, que foi ar durante o verão de 1950,[3] e em Boss Lady[4]

Em 1955, Bari apareceu no episódio "The Beautiful Miss X" da série de TV City Detective de Rod Cameron. Em 1960, ela interpretou a criminosa Belle Starr no episódio de estreia "Perilous Passage" da série de western da NBC Overland Trail estrelado por William Bendix e Doug McClure e como ator convidado Robert J. Wilke como Cole Younger.[5]

De julho a setembro de 1952, Bari estrelou em sua própria sitcom, Boss Lady, um atração que substitui durante o verão a série Fireside Theater da NBC. Ela interpretou Gwen F. Allen, a linda executiva de uma construtora. No papel, o menor de seus problemas era ser capaz de contratar um gerente geral que não se apaixonasse por ela.[6][7]

Ao comentar seus papéis de "a outra", Bari disse: "Pareço ser a mulher que está sempre com uma arma na bolsa. Tenho pavor de armas. Vou de cenário em cenário atirando em pessoas e roubando maridos!"

Vida pessoalEditar

Bari era a única filha de John Maynard Fisher, nativo de Tennessee, e sua esposa, Marjorie Halpen de Nova Iorque. Tinha um irmão mais novo, John. Fisher faleceu em 1920, e sua viúva se mudou com a família para Lynchburg, Virgínia. Aqui a mãe de Bari conheceu e se casou com o Reverendo Robert Bizer, um ministro da Ciência Religiosa. Foi lhe atribuída uma nova posição em sua igreja em Boston e Bizer se mudou com sua família para Massachusetts. Bari mais tarde se recordava que outras crianças na escola em Boston fizeram as vidas dela e de seu irmão extremamente infelizes, fazendo piadas constantemente de seu óbvio sotaque sulista. Ficou determinada em eliminar seu sotaque, se envolvendo com teatro amador e tendo aulas de dicção. Bari ficou entusiasmada, quando aos 13 anos, ficou sabendo que seu padrasto tinha sido transferido para Los Angeles, onde mais tarde se tornaria o chefe do Instituto de Ciência Religiosa.

Seu nome artístico, escolhido como 'Lynn Barrie' enquanto estava na escola de teatro aos 14 anos, era uma junção do nome da atriz de teatro Lynn Fontanne e o autor James Matthew Barrie.[8] Após ler uma estória sobre a cidade italiana de Bari, decidiu mudar a grafia de seu nome.

Como leal membro do Partido Republicano, Bari ativamente apoiou causas conservadoras, fazendo campanha para os candidatos presidenciais Republicanos Hoover e Reagan, e foi participante regular das convenções nacionais do partido.

A promissora carreira de Bari foi sabotada por problemas não resolvidos com uma mãe dominadora e alcoólatra e três casamentos.[9]

Casamentos e filhosEditar

Bari foi casada com o agente Walter Kane, o produtor Sidney Luft e o psicanalista Dr. Nathan Rickles. Luft se casou com Bari em 28 de novembro de 1943.[10] Se divorciaram em 26 de dezembro de 1950.[11] Ela e Rickles se casaram em 30 de Agosto de 1955;[12] se divorciaram em 1972. A primeira filha de Bari com Luft nasceu em 7 de agosto de 1945, no hospital St. John's em Santa Mônica, mas faleceu no dia seguinte.[13] Dois anos mais tarde, Bari teve um filho, John Michael Luft (1948). John Michael era o centro de uma "batalha de custódia entre Luft e Bari.[14] Um juiz em Los Angeles decidiu em favor de Bari em novembro de 1958, alegando que a casa de Luft era um lugar impróprio para se criar o garoto."[14]

Últimos anosEditar

Nos anos 1960, Bari participou da turnê da produção da peça teatral Barefoot in the Park, fazendo o papel de mãe da noiva.[15] Após se aposentar como atriz nos anos 1970, Bari se mudou para Santa Mônica. Em seus últimos anos, sofreu problemas crescentes devido à artrite.

MorteEditar

Em 20 de novembro de 1989, Bari foi encontrada morta em sua casa de um aparente ataque cardíaco. Ela foi cremada e suas cinzas jogadas ao mar.[16] Em 2010, o historiador de cinema Jeff Gordon publicou uma biografia autorizada com o título Foxy Lady escrita à partir de entrevistas completadas pouco antes da morte de Bari.[17]

Calçada da Fama em HollywoodEditar

Bari tem duas estrelas na Calçada da Fama, uma por seus filmes, no número 6116 da Hollywood Boulevard e uma por sua atuação na televisão, no número 6323 da Hollywood Boulevard.[18]

FilmografiaEditar

RádioEditar

Ano Programa Episódio/fonte
1947 Rexall Summer Theater Estrelado (com Pat O'Brien) The Durante-Moore Show[20][21]
1952 Screen Guild Theatre "Heaven Can Wait"[22]

LeituraEditar

  • Foxy Lady: The Authorized Biography of Lynn Bari por Jeff Gordon (BearManor Media, 2010, 500 pp. ISBN 9781593935238)

Referências

  1. Allmovie listing
  2. «Bari, Timid In Role, Is Adventurous Cook». The Lawton Constitution. 27 de outubro de 1965. p. 11. Consultado em 18 de julho de 2015 – via Newspapers.com   
  3. «Private Eye». Chicago Tribune. 23 de julho de 1950. Consultado em 19 de julho de 2015 
  4. «Flashback: Lynn Bari». Beaver County Times. 10 de janeiro de 1993. p. 7. Consultado em 19 de julho de 2015 
  5. Briggs, Colin. «A Much Titled Lady». Classic Images. Consultado em 19 de julho de 2015 
  6. «TV News». 4 de julho de 1952 
  7. «List of episodes at CTVA». Consultado em 25 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 8 de setembro de 2013 
  8. Room, Adrian (2011). Dictionary of Pseudonyms: 13,000 Assumed Names and Their Origins 5th ed. [S.l.]: McFarland & Company. p. 47. ISBN 978-0-7864-4373-4. Consultado em 19 de julho de 2015 
  9. Amazon listing - Foxy Lady authorized biography
  10. «Marriages». Billboard. 11 de dezembro de 1943. p. 31. Consultado em 19 de julho de 2015 
  11. «Divorces». Billboard. 6 de janeiro de 1951. p. 28. Consultado em 19 de julho de 2015 
  12. «Actress Lynn Bari, Doctor Married». Toledo Blade. 31 de agosto de 1955. p. 5. Consultado em 19 de julho de 2015 
  13. «Daughter Born Tuesday to Actress Lynn Bari Dies». Chicago Tribune. 9 de agosto de 1945. p. 25. Consultado em 19 de julho de 2015 
  14. a b «Judge Rules Against Luft». The Victoria Advocate. 23 de novembro de 1958. Consultado em 19 de julho de 2015 
  15. «Comedy Comes To Coliseum». Brownwood Bulletin. 23 de janeiro de 1966. p. 21. Consultado em 18 de julho de 2015 – via Newspapers.com   
  16. «TCM listing». Consultado em 25 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2016 
  17. Foxy Lady
  18. «Lynn Bari». Hollywood Walk of Fame. Consultado em 19 de julho de 2015 
  19. IMDB listing
  20. «Durante-Moore Replacement». Billboard. 29 de março de 1947. p. 7. Consultado em 19 de julho de 2015 
  21. «Rex Keeps Schnoz; Acc't Shifts to NBC». Billboard. 24 de maio de 1947. p. 5. Consultado em 20 de julho de 2015 
  22. Kirby, Walter (6 de abril de 1952). «Better Radio Programs for the Week». The Decatur Daily Review. p. 52. Consultado em 16 de maio de 2015 – via Newspapers.com   

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Lynn Bari