Mário Melo

jornalista brasileiro
Mário Melo
Nascimento 5 de fevereiro de 1884
Recife
Morte 24 de maio de 1959 (75 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco
Ocupação jornalista

Mário Carneiro do Rego Mello[1] (Recife, 5 de fevereiro de 1884 - 24 de maio de 1959) foi um advogado, jornalista, historiador, geógrafo, filatelista, numismata, músico e político brasileiro.

O frevo Evocação n.3 faz uma referência explícita ao seu lado folião. Ao perguntar "cadê Mário Melo?" Colocando ele ao lado de famosos foliões do carnaval de Recife( Felinto, Pedro Salgado, Guilherme e Fenelon).

Mario Carneiro do Rego Mello nasceu no dia 5 de fevereiro de 1884, na casa-grande do engenho Barbalho, no bairro da Iputinga, no Recife, filho do juiz federal Manuel do Rego Mello e Maria da Conceição Carneiro da Cunha do Rego Mello, apelidada familiarmente de Ciçone.

Fez o curso primário em Campina Grande, Paraíba e Paudalho, Pernambuco, onde seu pai exerceu as funções de juiz, e o secundário nos colégios Salesiano e Ginásio Pernambucano, no Recife.

Ingressou como telegrafista no Departamento de Correios de Pernambuco, sendo transferido sucessivamente para o Ceará, Pará e Rio de Janeiro, onde tornou-se o secretário particular de José Mariano.

Casou-se, em 1907, na cidade de Gravatá, Pernambuco, com Adalgisa Cruz Ribeiro, com quem teve dez filhos, formando-se nesse mesmo ano, na Faculdade de Direito do Recife, na turma de Augusto dos Anjos. http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=708&Itemid=180

FormaçãoEditar

Estudou em vários estabelecimentos de ensino de Campina Grande, Paudalho e Recife, incluindo o Ginásio Pernambucano. Estudou Direito na Faculdade de Direito do Recife.

Atuação profissionalEditar

  • Telegrafista
  • Jornalista

JornalistaEditar

Iniciou a atividade de jornalista no periódico O Álbum, de sua propriedade.

Atuou depois nos seguintes periódicos:

Participação em instituições culturaisEditar

Participação na políticaEditar

Livros publicadosEditar

  • A Maçonaria no Brasil (1909);
  • A Maçonaria e a Revolução de 1817 (1912);
  • Arquipélago de Fernando de Noronha (1916);
  • Pau d´Alho: monografia histórico-geográfica (1918);
  • A imprensa pernambucana em 1918 (1918);
  • Rios de Pernambuco (1919);
  • Ruas do Recife (1920);
  • Oliveira Lima íntimo (1920);
  • História da Loja Maçônica Seis de Março de 1817 (1921);
  • Corografia de Pernambuco (1921);
  • Esboço da literatura pernambucana (1922);
  • Os Carnijós das Águas Belas (1929);
  • Toponímia pernambucana (1931);
  • Dentro da história (1931);
  • Frei Caneca (1933);
  • Aspectos da história (1935);
  • Elementos da história do Brasil (1936);
  • Aspectos de etnografia brasílica (1938);
  • Como vi Portugal (1938);
  • A Guerra dos Mascates (1941);
  • Síntese cronológica de Pernambuco (1943);
  • Onomástica pernambucana (1944);
  • Relances da história (1956).

Referências

  1. Sua grafia originalmente utilizava duplo ele.
  2. Foi um de seus fundadores.

Ligações externasEditar