Abrir menu principal

Magnetita

Pedra ígnea e magnética
(Redirecionado de Magnetite)
Magnetita

A Magnetita é um mineral magnético formado pelos óxidos de ferro II e III ( FeO . Fe2O3 ), cuja fórmula química é Fe3O4. A magnetita apresenta na sua composição, aproximadamente, 69% de FeO e 31% de Fe2O3 ou 72,4% de ferro e 26,7% de oxigênio. O mineral apresenta forma cristalina isométrica, geralmente na forma octaédrica. É um material de dureza 5.5 - 6,5, fortemente magnético, de cor alaranjada, de brilho metálico, com peso específico entre 5,158 e 5,180. É um mineral que se dissolve lentamente em ácido clorídrico.

A magnetita é a pedra-imã mais magnética de todos os minerais da Terra, e a existência desta propriedade foi utilizada para a fabricação de bússolas.O nome, magnetita vem da região onde a mesma era antigamente encontrada, que era a Magnésia (região da Grecia), e magnésia quer dizer "lugar das pedras mágicas", pois estas pedras "magicamente" atraiam-se.

Ocorrência e obtençãoEditar

Magnetita
Geral
Categoria Mineral
Fórmula química Fe3O4 ( FeO . Fe2O3 )
Propriedades
Cor Preta, acinzentada
Cristal habitual Octaédrica. granular
Estrutura cristalina Isométrica
Clivagem Indistinta
Fratura Variável
Escala de Mohs Dureza 5.5 - 6.5
Brilho Metálico
Índice de refração Opaco
Magnetismo Fortemente magnética. Desaparece acima de 550 °C
Estrias Pretas bem pronunciadas
Peso específico 5,17 - 5,18
Ponto de fusão 1595 °C
Solubilidade insolúvel

É encontrada em formato de pequenos grãos, disseminada nas rochas ígneas e metamórficas.

Grandes depósitos de magnetita foram encontrados em Kiruna, região nordeste da Suécia, e nas Montanhas Adirondack, na região de Nova Iorque dos Estados Unidos. Também foram encontrados depósitos na Noruega, Alemanha, Itália, Suíça, África do Sul, Índia, México, e nos estados americanos de Nova Jérsei, Pennsylvania, Carolina do Norte, Virginia, New Mexico, Utah e Colorado.

É encontrada, algumas vezes, em grande quantidade nas areias de praia conhecidas como areia mineral, areia ferrosa ou areia preta. Este tipo de areia é encontrada em vários lugares, principalmente na Califórnia ( Estados Unidos ) e na costa oeste da Nova Zelândia. A magnetita é resultado de erosão do solo que os rios levam para o mar, concentrando-se nas praias pela ação das ondas e das correntes marítimas.

Minerais de magnetita que contêm de 3,8% a 6,3% de manganês são denominados manganomagnetita, e quando está associada com o corindon é conhecida como esmeril.

A magnetita também é encontrada em meteoritos.

A magnetita, quando aquecida a uma temperatura superior a 550 °C, adquire a estrutura da hematita (Fe2O3).

Ocorrência em organismos vivosEditar

Cristais de magnetita são encontrados em certos tipos de bactérias (por exemplo, na Aquaspirillum magnetotacticum), em cérebros de abelhas, cupins, peixes, ursos, alguns pássaros (por exemplo, em pombos) e em seres humanos.[1]

Acredita-se que estes cristais estão envolvidos no processo de magnetorecepção (capacidade de perceber a polaridade ou a inclinação do campo magnético da Terra) e na navegação animal por orientação magnética.

O estudo de biomagnetismo começou com as descobertas do paleontologista Heinz Lowenstam na década de 1960.

Veja tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Baker, R R; J G Mather, J H Kennaugh (6 de janeiro de 1983). «Magnetic bones in human sinuses». Nature. 301 (5895): 79–80. PMID 6823284 

Ligações externasEditar