Maldição dos Braganças

A Maldição dos Braganças é um mito, citado em diversas crônicas a respeito das antigas famílias reinantes do Reino de Portugal (1139-1910) e do Império do Brasil (1822-1889) e portanto, também do império ultramarino português.

O rei D. João IV de Portugal

A "maldição" ter-se-ia iniciado no reinado de D. João IV de Portugal, no século XVII, quando o monarca teria agredido um frade franciscano aos pontapés após este ter-lhe implorado por esmola. O frade, em resposta, rogou uma praga ao rei, dizendo que jamais um primogênito varão da família dos Braganças viveria o bastante para chegar ao trono.

De fato, a partir de então, todos os primogênitos varões daquela dinastia morreram antes de reinar.

Um século após a maldição, os reis D. João VI e D. Carlota Joaquina, tentaram revertê-la, fazendo visitas anuais aos mosteiros franciscanos de Lisboa e Rio de Janeiro, sem resultados, no entanto. Coincidentemente, com raras exceções, os primogênitos dos ramos reais da Dinastia de Bragança apenas deixaram de morrer quando a família perdeu a soberania tanto em Portugal quanto no Brasil.

Mais recentemente, Pedro Luís de Orléans e Bragança, o primogênito de seu pai Antônio João de Orléans e Bragança, morreu no voo da Air France 447, em 1º de junho de 2009.[1]

Referências

  1. «Brazilian prince dies in Air France air crash». gpdhome.typepad.com. Consultado em 8 de fevereiro de 2018 
  Este artigo sobre Genealogia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.