Abrir menu principal

Manique do Intendente

localidade e antiga freguesia da Azambuja, Portugal
Portugal Manique do Intendente 
  Freguesia portuguesa extinta  
Centro de Manique do Intendente, a Praça dos Imperadores
Centro de Manique do Intendente, a Praça dos Imperadores
Símbolos
Brasão de armas de Manique do Intendente
Brasão de armas
Localização
Manique do Intendente está localizado em: Portugal Continental
Manique do Intendente
Localização de Manique do Intendente em Portugal Continental
Coordenadas 39° 13' 16" N 8° 53' 37" O
Concelho primitivo Azambuja
Concelho (s) atual (is) Azambuja
Freguesia (s) atual (is) Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa
História
Extinção 28 de janeiro de 2013
Características geográficas
Área total 35,97 km²
População total (2011) 1 216 hab.
Densidade 33,8 hab./km²
Outras informações
Orago São Pedro

A vila de Manique do Intendente foi uma freguesia portuguesa do concelho da Azambuja, com 35,7 km² de área e 1216 habitantes (2011). Densidade: 34,1 hab./km².

A antiga freguesia é limitada a oeste por Alcoentre, a sul pela Maçussa, a norte por Arrouquelas e a este por Vila Nova de São Pedro.

Dista 11 Km da cidade do Cartaxo, 20 Km de Santarém e 56 Km de Lisboa.Os principais acessos rodoviários à vila são:

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Manique do Intendente [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 765 2 176 2 479 2 864 3 212 2 434 2 505 2 911 3 099 2 872 2 238 2 115 1 374 1 392 1 216

HistóriaEditar

Durante a Idade Média e Moderna, esta freguesia chamava-se Alcoentrinho, em correlação com a vizinha Alcoentre. J. Diogo Correia aponta na sua obra Toponímia do Concelho de Cascais a existência de uma povoação chamada, até à mudança para o seu nome atual, de São Pedro da Arrifana.[2]

Em 11 de Julho de 1791, a rainha D. Maria I concede ao seu intendente geral da polícia, Diogo Inácio de Pina Manique este lugar, o qual se passa a chamar, em sua honra, de Manique do Intendente, tornando-o vila sede de concelho. Porém, em 1836, foi extinto pelas reformas liberais de Passos Manuel, tendo sido integrado no concelho de Alcoentre (o qual também viria a ser extinto em 1855), e perdendo o estatuto de vila.

Em 1924, foi desanexada desta freguesia a vizinha Vila Nova de São Pedro e, em 4 de Outubro de 1985, foi criada a freguesia da Maçussa, também por desanexação de Manique do Intendente.

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Vila Nova de São Pedro e Maçussa, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa da qual é sede.[3]

Diogo Inácio de Pina Manique pretendia fazer de Manique do Intendente uma majestosa cidade planificada de cunho neoclássico, exemplo do despotismo esclarecido, que se tornaria sede de concelho e até, talvez no futuro, capital de Portugal. Segundo o plano urbano estabelecido, o centro da povoação seria uma imponente praça de formato hexagonal (baptizada de Praça dos Imperadores), de onde irradiariam seis extensos arruamentos (baptizados com nomes de imperadores Romanos). O plano também estabelecia a construção de um palácio senhorial para residência do próprio Intendente Pina Manique.

A concretização do plano urbanístico foi interrompida com morte de Pina Manique. A praça dos Imperadores foi construída mas, dos imponentes edifícios que a deveriam rodear, apenas foi edificada a neoclássica Casa da Câmara, limitando-se os restantes a casas simples. Apenas foi construída a parte inicial das vias irradiantes previstas que, apesar de pomposamente chamadas de Ruas de César, de Augusto, de Trajano, de Sertório e de Justiniano, nunca chegaram a passar de pequenas travessas. Do palácio de Pina Manique apenas foi concluída a capela, que se tornou a igreja matriz da vila, e parte da sua imponente fachada. Uma ponte (Ponte D.Maria) também da mesma altura dos anteriores monumentos, cuja tinha como objectivo ser um "tapete vermelho" para o palácio, também não foi acabada, sendo que os habitantes construíram casas no local em que seria esta estrada.

Apesar do plano urbano de Manique do Intendente só ter ficado pelo princípio, a vila ainda hoje surpreende o visitante desprevenido, que nunca esperaria encontrar aquela grandiosidade arquitectónica numa povoação tão exígua do interior rural.

 
Palácio Pina Manique, actual igreja

LugaresEditar

Os habitantes dividem a localidade em várias partes que antigamente, antes da colocação do nome das ruas, se utilizavam: Carvalho, Arrifana, Casais do Balancho, Ilhas, Manique do Intendente, Minas, Póvoa de Manique, Póvoa do Intendente, Vale do Estacal, Vale da Guerra e Vale Púcaros.

De momento, os únicos lugares que são consideradas lugares pertencentes à vila são:

  • Carvalho
  • Póvoa de Manique
  • Moita do Lobo
  • Arrifana

Os restantes lugares foram anexados à vila-

GeografiaEditar

A vila situa-se num vale, possuindo no geral um terreno pouco acidentado. A sul da vila existe um pequena curso de água, denominado de Ribeira do Judeu. No entanto outros cursos de água menores encontram-se no interior de Manique.

Também existe um paúl o qual é casa para diversas espécie de animais, tal como galinhas-d'água.

Educação e transportesEditar

Manique do Intendente possui um ATL e a EBI de Manique do Intendente que lecciona até do 1º até 9º ano. O transporte dos alunos é encarregado pela rodoviária Tejo.

Festas e MúsicaEditar

Em Manique os festeiros são responsáveis juntamente com outras entidades pela realização das Tasquinhas e das Festas em Honra de São Pedro, as quais se realizam respectivamente a partir de dia 20 de Abril e entre 15 e 20 de Agosto. Estas festas são caracterizadas pela forte presença da gastronomia regional e pela edição anual do Circuíto de Ciclismo de Manique do Intendente[4]. Nos últimos anos tem existido também algumas feiras e até conferências[5][6].

Desde 2016 que existe também um festival de música (Manifestival) que tem como objectivo dar a conhecer à população e a todo o público novas bandas e artistas que tocam diversos estilos musicais, desde rock, jazz, música clássica, música popular, etc[7].

Património e turismoEditar

Personalidades ilustresEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  2. Correia, J. Diogo (1964). Toponímia do Concelho de Cascais (PDF). Cascais: Câmara Municipal de Cascais. p. 42 
  3. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  4. «CIRCUITO DE MANIQUE DO INTENDENTE». ASFIC RSJ 
  5. Braga, Zita Ferreira. «23ª Festa das Tasquinhas e Dia dos Sítios Históricos, em Manique do Intendente» 
  6. «Manique do Intendente em festa até 20 de Agosto». The best project ever. 
  7. «manifestival | MANIFESTIVAL 2017». manifestival (em inglês). Consultado em 28 de setembro de 2018 
  8. «Herdade da Torre Bela - Ribatejo». Herdade da Torre Bela - Ribatejo. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  9. «Quinta da Lapa» 
  10. «Herdade da Hera – Projetamos nos nossos sonhos o futuro». www.herdadedahera.pt. Consultado em 4 de outubro de 2018