Abrir menu principal

A Manor Grand Prix Racing Limited, comercializada como Manor Racing, foi uma equipe britânica de automobilismo que disputou a Fórmula 1 e que era baseada em Banbury, Oxfordshire, no Reino Unido. A equipe foi operado pela Manor Motorsport, inicialmente a equipe começou a correr em 2010 sob o nome "Virgin Racing"; no ano seguinte a Virgin adotou a Marussia como patrocinador do título da equipe e se tornou "Marussia Virgin Racing", até ser totalmente rebatizada como "Marussia F1 Team" para a temporada de 2012.

Reino Unido Manor
Logotipo da Manor Racing.png
Nome completo Manor Racing MRT
Sede Banbury, Oxfordshire, Reino Unido
Pessoal notável Stephen Fitzpatrick
Thomas Mayer
Dave Ryan
John McQuilliam
Nicholas Tombazis
Luca Furbatto
Pat Fry
Nome anterior Manor Marussia F1 Team
Pilotos
Pilotos de teste
Chassis
Motor Mercedes
Pneus Pirelli
Combustível Petronas
Histórico na Fórmula 1
Estreia GP da Austrália de 2016
Último GP GP de Abu Dhabi de 2016
Grandes Prêmios 21
Campeã de construtores 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 0
Pódios 0
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Pontos 1

Em 19 de janeiro de 2015, os administradores da Marussia anunciaram que o leilão de seus carros e bens tinham sido cancelado, de modo a permitir uma possível venda. A equipe saiu da administração legal em 19 de fevereiro de 2015, e foi restabelecida como "Manor Marussia F1 Team" depois de novos investimentos ser garantidos para salvar a equipe. O ex-diretor Justin King foi alegadamente apoiante principal da equipe.[1] A equipe Marussia manteve o seu nome de construtor durante toda a temporada de 2015, também adotando uma licença britânica. Em 19 de janeiro de 2016, a equipe anunciou que foi renomeada para "Manor Racing". A equipe competia com o nome de construtor de MRT,[2] acrônimo para Manor Racing Team.[3][4] Para a temporada de 2016, a Manor usou unidades de potência Mercedes.

Em 6 de janeiro de 2017, a empresa que operava a equipe, a Just Racing Services, foi colocada em administração judicial[5] e, em 27 de janeiro do mesmo ano, a Manor Racing encerrou suas atividades, se retirando assim da Fórmula 1.[6]

Índice

HistóriaEditar

FormaçãoEditar

 Ver artigos principais: Virgin Racing e Marussia F1 Team

Em 2009, a Manor Grand Prix conseguiu uma entrada para participar da Fórmula 1 a partir da temporada de 2010, como um tie-up entre a equipe de corrida júnior de sucesso a Manor Motorsport e a Wirth Research. Antes do final daquele ano, esta equipe se tornou conhecida como Virgin Racing, depois de Richard Branson da Virgin Group que tinha comprado os direitos do título de patrocínio. A Marussia era uma das parceiras da equipe para a sua temporada de estreia, onde terminou em décimo segundo e último lugar no campeonato de construtores. Em 11 de novembro de 2010, foi anunciada a compra da maior parte das ações da equipe pela montadora russa Marussia Motors, e a equipe passou a se chamar então "Marussia Virgin Racing" a partir da temporada de 2011.[7][8][9][10] Após um começo decepcionante na temporada de 2011, a equipe demitiu a Wirth Research e entrou em uma parceria com a McLaren Applied Technologies para a partir da temporada de 2012. Com isso veio uma deslocamento da base original em Dinnington, para as antigas instalações da Wirth em Banbury na Grã-Bretanha. Enquanto isso, a equipe voltou a terminar na parte de baixo do campeonato de construtores daquele ano. Em novembro de 2011, pediu autorização para a comissão da Fórmula 1 alterar formalmente o seu nome de construtor para a temporada de 2012 de Virgin para Marussia, para refletir sua nova propriedade.[11] A permissão foi concedida antes de ser formalmente ratificada em uma reunião do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA.[12]

Em 7 de outubro de 2014, a equipe entrou com um aviso na Alta Corte de Londres com a intenção de entrar em administração legal.[13] O administrador nomeado fez um comunicado oficial em 27 de outubro de 2014[14] e a equipe ainda foi incluída na lista de inscritos provisória da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para a temporada de Fórmula 1 de 2015, mas como "Manor F1 Team".[15] Em 7 de novembro de 2014, no entanto, o administrador anunciou que a equipe tinha deixado de operar.[16]

Após o encerramento da temporada de 2014, um grupo de investidores seguiu insistindo em trazer a equipe para o grid em 2015. Em fevereiro a equipe saiu da administração judicial e passou para o controle da Manor Motorsport que a renomeou para "Manor Marussia F1 Team", a equipe mesmo sem nenhuma ligação com os antigos donos da Marussia, manteve o nome para poder receber o dinheiro da premiação da temporada de 2014. O nono lugar de Jules Bianchi no Grande Prêmio de Mônaco garantiu à equipe a nona colocação da disputa do mundial de construtores, o que lhe rendeu 30 milhões de euros para serem usados na temporada de 2015.[17]

Após a temporada de 2015, a Manor Marussia F1 Team, mudou oficialmente seu nome para Manor Racing.[3][4]

2016Editar

Em 15 de janeiro de 2016, a equipe nomeou o ex-projetista chefe da Ferrari Nicholas Tombazis, como seu chefe de aerodinâmica, com efeito imediato.[18] Em 25 de janeiro, Pat Fry, que também trabalhou anteriormente para a Ferrari, foi nomeado como consultor de engenharia da Manor.[19]

Em fevereiro de 2016, a Manor confirmou o campeão da DTM de 2015 e piloto júnior da Mercedes Pascal Wehrlein[20] e o piloto indonésio Rio Haryanto para correr na equipe em 2016.[21]

Em 22 de fevereiro de 2016, a Manor lançou seu novo carro no primeiro dia de teste da pré-temporada. A equipe passou por uma reestruturação completa sob a posse de Stephen Fitzpatrick. Além da mudança de nome, as cores do time mudaram para laranja, branco e azul.[22]

Durante a primeira corrida da temporada o piloto Rio Haryanto abandonou, enquanto Pascal Wehrlein terminou na décima sexta posição.

Já o dia 3 de julho de 2016, foi histórico tanto para a Manor quanto para Pascal Wehrlein. Após o piloto alemão largar do meio do pelotão, ele conseguiu terminar a corrida na zona de pontos, em décimo.

O bom desempenho já começou na classificação do sábado. Em performance excepcional, ele chegou ao Q2 em Spielberg, anotando a marca de 1min07s700 e conquistando o 12º lugar no grid.

Satisfeito, o piloto explicou que a segunda passagem pelos boxes o deixou preocupado, mas exaltou a conquista de um ponto para a classificação. "Tivemos um pouco de falta de sorte com nossa segunda parada", avaliou.

"Fomos aos boxes um pouco mais cedo que os outros pilotos, e quando voltávamos para a pista o safety-car também foi necessário, o que significava que eu estava uma volta atrás e em último. Terminar a corrida nos pontos desta posição foi incrível", completou.

No entanto, o alemão quase recebeu uma punição antes mesmo da largada. Com Felipe Massa largando do pitlane, ele acabou alinhando na vaga do brasileiro no grid, a décima posição. Sobre o caso, Wehrlein afirmou que "quase estragou tudo".[23]

O fim da equipeEditar

O fato de ter perdido o décimo lugar no Mundial de Construtores significou um duro golpe para a Manor, resultando na colocação da empresa que operava a equipe, a Just Racing Services, em administração judicial em 6 de janeiro de 2017.[5] Os funcionários da equipe foram mantidos até o final do mês de janeiro, na esperança que um comprador poderia ser encontrado na última hora para garantir a sua participação na temporada seguinte.

Porém, apesar dos administradores terem entrado em conversações com vários potenciais compradores, nenhum acordo foi alcançado e, em 27 de janeiro de 2017, a Just Racing Services encerrou suas atividades. Com isso, a Manor fechou as portas antes do início da temporada de 2017.[6]

ResultadosEditar

(legenda) (resultados em negrito indicam pole position; resultados em itálico indicam volta mais rápida)

Ano Chassis Motor Pneus Pilotos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Pontos Class.
2016 MRT05 Mercedes PU106C Hybrid 1.6 V6 t P AUS
 
BHR
 
CHN
 
RUS
 
ESP
 
MON
 
CAN
 
EUR
 
AUT
 
GBR
 
HUN
 
ALE
 
BEL
 
ITA
 
SIN
 
MAL
 
JAP
 
EUA
 
MEX
 
BRA
 
EAU
 
1 11°
  Rio Haryanto Ret 17 21 Ret 17 15 19 18 16 Ret 21 20
  Esteban Ocon 16 18 18 16 21 18 21 12 13
  Pascal Wehrlein 16 13 18 18 16 14 17 Ret 10 Ret 19 17 Ret Ret 16 15 22 17 Ret 15 14

Referências

  1. «Marussia may return to F1 in 2015 as Manor after agreeing debt deal» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  2. «Manor Racing adota nome MRT para chassi de 2016 na F1». Motorsport. Consultado em 21 de janeiro de 2016 
  3. a b «Manor apresenta novo logo e muda nome para temporada 2016». Motorsport. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  4. a b «Manor enfim abandona nome Marussia e promete "revelação de tudo" no dia do início da pré-temporada da F1». Grande Prêmio. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  5. a b «F1 – Manor entra em processo de administração». Autoracing. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  6. a b «Manor não encontra comprador e encerra operações». Motorsport.com. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  7. «Montadora russa Marussia compra Virgin». Montadora russa Marussia compra Virgin. Consultado em 20 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 21 de dezembro de 2014 
  8. «Marussia confirma a compra da Virgin». Revista Racing. Consultado em 20 de dezembro de 2015 [ligação inativa]
  9. «Russian car maker takes stake in Virgin» (em inglês). Autosport. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  10. «Russian supercar firm Marussia takes over Virgin Racing» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  11. «Virgin applies for name change to become Marussia» (em inglês). Autosport. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  12. «Russian car maker takes stake in Virgin» (em inglês). Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  13. Allen, James (26 de outubro de 2014). «Was Marussia's predicament preordained?». RichlandF1. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2014 
  14. «Administrators confirm no Marussia F1 team in Austin – new buyer in the wings?» (em inglês). Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  15. «Manor Grand Prix Racing Limited» (em inglês). InsideView. Consultado em 20 de janeiro de 2016 
  16. «Manor Grand Prix Racing Limited» (em inglês). InsideView. Consultado em 20 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 3 de janeiro de 2013 
  17. «FIA confirma inscrição da Manor Marussia no Mundial de F1». Consultado em 21 de dezembro de 2015 
  18. «F1 – Manor contrata ex-projetista da Ferrari». Atoracing. Consultado em 20 de janeiro de 2016 [ligação inativa]
  19. «Manor anuncia Fry, ex-Ferrari, como consultor de engenharia». Motorsport. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  20. «Com acerto, resta apenas um lugar no grid da F1 2016 a ser definido: justamente o do companheiro de Wehrlein na Manor». Motorsport. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  21. «Manor anuncia Haryanto e completa grid da F1; veja». Motorsport. Consultado em 18 de fevereiro de 2016 
  22. «Manor revela MRT05 e diz: "melhor carro que já lançamos"». Motorsport. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  23. «Wehrlein celebra ponto conquistado no GP da Áustria, mas admite "quase ter estragado tudo" por posição errada no grid». uol. Consultado em 4 de julho de 2016 

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Manor Racing
  A Wikipédia tem o portal:
  • Formula One