Manuel Conde

Manuel Conde
Nascimento Sintra
Cidadania Portugal
Ocupação cavaleiro tauromáquico
Prêmios Comendador da Ordem do Mérito

Manuel da Silva Conde ComB (Sintra, 26 de fevereiro de 19268 de julho de 1994) foi um cavaleiro tauromáquico português.

BiografiaEditar

Manuel Conde nasceu em 26 de fevereiro de 1926, em Sintra.[1] Filho do ganadeiro Alberto Rodrigues Conde e irmão mais velho do cavaleiro Alfredo Conde.[2]

Estreou-se em público em Sintra, a 16 de junho de 1943.[1] Manuel Conde tomou a alternativa de cavaleiro tauromáquico em Lisboa, na Praça de Touros do Campo Pequeno, a 18 de maio de 1947, tendo como padrinho Simão da Veiga.[1]

Considerado discípulo de João Branco Núncio actuou também em Espanha, com grandes êxitos, a partir de 1956.[3] Estreia-se em Madrid em 8 de Abril de 1956.[4]

Na retomada corrida inaugural da temporada de 1956, em Lisboa a 29 de Abril, que serviu também para a alternativa de Pedro Louceiro, Manuel Conde caiu do cavalo quando tentava cravar um par de bandarilhas com as duas mãos, na primeira vez que o fazia em Portugal, no seu segundo da corrida. Foi colhido pelo touro, da ganadaria Cláudio Moura, e atirado ao ar por duas vezes, ingressando na enfermaria com distensão do braço esquerdo e provável fractura.[5][6]

Em 1957, Manuel Conde tornou-se no primeiro cavaleiro a matar um touro com estocada na Praça de Touros de Madrid. O difícil lance feito a cavalo não se voltou a repetir com êxito neste local.[7]

Manuel Conde recebeu dois Prémio da Imprensa (1968) e (1972), ou Prémio Bordalo, como "Cavaleiro" da categoria "Tauromaquia". O primeiro, entregue pela Casa da Imprensa em 1969, também distinguiu, nesta categoria, o matador de touros José Falcão e o Grupo de Forcados de Alcochete. O segundo foi entregue numa cerimónia em 1973 onde também foram distinguidos, nesta categoria, o matador de touros Mário Coelho e o Cabo do Grupo de Forcados do Ribatejo, de Rui Souto Barreiros.[8]

Para além de Pedro Louceiro (1956, Campo Pequeno),[9] Manuel Conde foi padrinho de alternativa de cavaleiros como Manuel Sabino Duarte (1967, Viseu)[10] o austríaco naturalizado Gustavo Zenkl (1968, Campo Pequeno),[11][12] Emídio Pinto (1975, Campo Pequeno)[13] ou Brito Limpo (1977, Campo Pequeno)[14].

A 12 de Julho de 1972 Manuel da Silva Conde foi feito Comendador da Ordem de Benemerência.[15]

Manuel Conde morreu em 8 de julho de 1994, em Sintra.[1]

Referências

  1. a b c d «Cavaleiros que eu vi atuar (...)». Barreira de Sombra. Consultado em 1 de abril de 2015 
  2. «Alfredo Conde: um Homem diferente». Grupo de Forcados Amadores de Santarém. Consultado em 29 de outubro de 2014 
  3. Parras, José Maria Martínez (2006). Cuadernos de Aula Taurina: El Rejoneo (em espanhol). Regista apresentação como profissional em 1942. Gralhas em "Joao Branca Nuncio". Sevilha (Espanha): Dirección General de Espectáculos Públicos y Juego. p. 83 [85]. OCLC 433325431. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  4. Zé Sincero (16 de abril de 1956). «A Festa de Toiros: Manuel Conde triunfa em Madrid». República (Via Hemeroteca Municiapl de Lisboa) (n.º 9096): 10. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  5. «Portugal : Cogida de Conde». Madrid: El Ruedo (Via Biblioteca Digital de Castilla y León) (em espanhol) (n.º 619). 3 de maio de 1956: 24. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  6. Zé Sincero (30 de abril de 1956). «A Festa de Toiros: No Campo Pequeno : Tarde de emoções e de surpresas». República (Via Hemeroteca Municipal de Lisboa) (n.º 9110): 11. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  7. Sánchez, J. Miguel Redondo (2000). «De poder a poder : 1995 Origen y evolución del rejoneo». La Fiesta Nacional de Toros : recopilación de las obras ganadoras del Premio Literario-Taurino "Doctor Zumel" (PDF) (em espanhol). II. Madrid: Caja Madrid. p. 12. OCLC 433152084. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  8. «Prémios Bordalo». Em 1968 e 1972 denominado "Prémio da Imprensa". Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  9. Santos-Alonso, José (2005). El rejoneo: origen, evolución y normas (em espanhol). San Luis Potosí (México): Universidad Autónoma de San Luis Potosí. p. 93, 277. ISBN 9707050284. OCLC 166274079. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  10. Ludgero Mendes (11 de Novembro de 2011). «in memorias de Eng. Manuel Sabino Duarte». Correio do Ribatejo. p. 14. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  11. «Crianças Cáritas 1947–1958 : O último adeus a Gustav Zenkl». Projecto "Arquivo Crianças Cáritas". 15 de julho de 2015. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  12. Arnaldo Vasques (11 de Setembro de 2015). «Opinião : Um refugiado que nos elevou». O Ribatejo. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  13. «Memórias da Revolução : A revolução e a cultura popular». RTP. 2015. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  14. Redação (20 de julho de 2015). «Tauromaquia de luto: Faleceu cavaleiro Brito Limpo». Toureio.pt. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  15. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Manuel da Silva Conde". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de março de 2016 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.