Abrir menu principal
Manuelito
Nome nativo Manuel Eduardo Pinheiro Campos
Nascimento 11 de janeiro de 1923
Guaiúba
Morte 19 de setembro de 2007 (84 anos)
Fortaleza
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal do Ceará
Ocupação escritor, historiador, radialista, jornalista
Prêmios Academia Cearense de Letras, honoris causa, Sereia de Ouro
Página oficial
http://www.eduardocampos.jor.br/

Manuel Eduardo Pinheiro Campos, conhecido simplesmente por Manuelito (Guaiúba, 11 de janeiro de 1923Fortaleza, 19 de setembro de 2007), foi um escritor, historiador, radialista e jornalista brasileiro[1].

Índice

BiografiaEditar

Doutor honoris causa pela Universidade Federal do Ceará e bacharel em ciências jurídicas e sociais (1948) pela Faculdade de Direito do Ceará[1].

Foi presidente da Academia Cearense de Letras (1965 a 1974), da Academia Cearense de Retórica, da Comissão Cearense de Folclore, do Conselho Estadual de Cultura, além de fundador da Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão e seu primeiro presidente; secretário de Cultura em dois Governos do estado do Ceará; Diretor dos jornais Correio do Ceará e Unitário, Rádio Araripe e TV Ceará Canal 2[1].

Publicou mais de setenta livros, estando no segundo lugar em número de publicações dentre escritores cearenses, sendo superado apenas por Gustavo Barroso[carece de fontes?]. Dentre suas obras destacam-se as peças teatrais O Morro do Ouro, A Rosa Lagamar, A Donzela Desprezada e Nós, As Testemunhas; e textos dramáticos como As Tentações do Demônio, O Amargo Desejo da Morte e A Morte Prepara o Laço[1].

ObrasEditar

  • Medicina popular, superstições, crendices e meizinhas, (1955),[2]
  • Estudos de folclore cearense, (1960),[3]
  • O chão dos mortos: romance, (1964),[4]
  • Os grandes espantos: contos, (1965),[5]
  • O abutre e outras estórias, (1968),[6]
  • Gustavo Barroso: sol, mar e sertão, (1988),[7]
  • A memória imperfeita: idéias, fatos e costumes, (1993),[8]
  • O escrivão das malfeitorias: contos, (1993),[9]
  • Teatro: teatro completo de Eduardo Campos, (1999),[10]
  • As mal-maridadas: contos, (2001),[11]
  • A última ceia do general: peça em um ato, (2003),[12]

Referências

  1. a b c d Literatura Digital, Universidade Federal de Santa Catarina
  2. Campos, Eduardo (1955). Medicina popular, superstições, crendices e meizinhas. [S.l.]: Livraria-Editora da Casa do Estudante do Brazil 
  3. Campos, Eduardo (1960). Estudos de folclore cearense. [S.l.]: Imprensa Universitária do Ceará 
  4. Campos, Eduardo (1964). O chão dos mortos: romance. [S.l.]: Edições O Cruzeiro 
  5. Campos, Eduardo (1965). Os grandes espantos: contos. [S.l.]: Editôra Comédia Cearnese 
  6. Campos, Eduardo (1968). O abutre e outras estórias. [S.l.]: Imp. Universitária do Ceará 
  7. Campos, Eduardo (1988). Gustavo Barroso: sol, mar e sertão. [S.l.]: EUFC 
  8. Campos, Eduardo (1993). A memória imperfeita: idéias, fatos e costumes. [S.l.]: Expressão Gráfica e Editora 
  9. Campos, Eduardo; Galvão, Roberto (1993). O escrivão das malfeitorias: contos. [S.l.]: Edigraff 
  10. Campos, Eduardo (1999). Teatro: teatro completo de Eduardo Campos. [S.l.]: UFC, Casa de José de Alencar, Programa Editorial 
  11. Campos, Eduardo (2001). As mal-maridadas: contos. [S.l.]: Edições Tempo Brasileiro. ISBN 9788528201147 
  12. Campos, Eduardo (2003). A última ceia do general: peça em um ato. [S.l.]: Edições Livro Técnico. ISBN 9788589214315 

Ligações externasEditar