Abrir menu principal
Manuel García Morente
Nascimento 22 de abril de 1888
Arjonilla
Morte 7 de dezembro de 1942 (54 anos)
Madri
Cidadania Espanha
Alma mater Universidad de Madrid
Ocupação filósofo, tradutor, professor universitário, padre católico
Empregador Universidad de Madrid
Religião Catolicismo

Manuel García Morente (Arjonilla, Jaén, 22 de abril de 1886Madrid, 7 de dezembro de 1942) foi um filósofo e tradutor espanhol.

Índice

BiografiaEditar

 
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

A primeira formação de Morente é francesa. Cursou o bacharelado no Liceo de Bayona e obteve o diploma de licenciado em Letras na Universidade de Bordéus (1905). Já na Espanha, começa sua docência na Residencia de Estudiantes de la Institución Libre de Enseñanza (1906) e viaja para a Alemanha, com bolsa pela junta de Ampliación de Estudios para aprender a filosofia dos neokantianos de Marburg: Cassirer, Cohen e Natorp.

Em 1912, obtém a cátedra de Ética da Universidade de Madrid. Seu pensamento oscila neste momento entre o kantismo — tese doutoral sobre La estética de Kant (1912); monografia sobre La filosofía de Kant, Una introducción a la filosofía (1917); traduções da Crítica do Juízo (1914), da Crítica da Razão Prática (1918) e da Fundamentação da Metafísica dos Costumes (1921) kantianas— e o bergsonismoLa filosofía de Bergson (1917)—. Durante os anos vinte, incidem sobre sua mente o biologismo histórico de Spengler (traduziu a famosa Decadência do Ocidente do citado filósofo da história alemã), Rickert, Simmel, e a axiologia, graças à incorporação que se fez da obra de Scheler e Hartmann através dla Revista de Occidente. No fim desse decênio, termina as traduções das Investigações Lógicas de Husserl (1929), junto a José Gaos, e da Origem do Conhecimento Moral de Brentano: o método fenomenológico será utilizado mais adiante com singular destreza em sua indagação filosófica.

BibliografíaEditar

  • Enciclopedia Rialp
  • MAURICIO DE IRIARTE, El profesor García Morente, sacerdote, Madrid 1956;
  • R. GAMBRA, El García Morente que yo conocí, «Nuestro Tiempo» n° 32, fevereiro de 1937, pp. 131-173;
  • P. JOBIT, Manuel García Morente, Paris 1963;
  • J. ZARAGÜETA, Necrología del académico de número D. Manuel García Morente, Madrid 1943;
  • L. AGUIRRE, García Morente, Madrid 1963;
  • A. LÓPEZ QUINTÁS, Filosofía española contemporánea, Madrid 1970 (com bibl. completa).
  • Lecciones Preliminares de Filosofía, Manuel Garcia Morente - Impreso en México - Diana S. A. 1954

Referências

Ligações externasEditar