Manuel Salgado

arquiteto português
Manuel Salgado
Nome completo Manuel Sande e Castro Salgado
Nascimento 6 de julho de 1944 (76 anos)
Lisboa
Ocupação Arquiteto

Manuel Sande e Castro Salgado GCM (Lisboa, 6 de julho de 1944) é um arquiteto português. Foi vereador do Urbanismo e Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Lisboa até 2019[1].

Centro Cultural de Belém

BiografiaEditar

Filho de António Maria Roma Machado Cardoso Salgado, sobrinho-bisneto do 1.° Visconde de Faria e Maia, e de sua mulher Maria Amália Inês do Carmo Pais de Sande e Castro, trineta do Representante do Título de Marquês de Sabugosa e 7.° Conde de Sabugosa, 9.° Conde de São Lourenço e 9.° Alferes Mor do Reino de Portugal, e do 1.° Conde da Figueira e bisneta do 1.° Conde de Burnay, é primo-irmão de Ricardo Salgado.

Licenciou-se em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa em 1968. Foi discípulo de Frederico George. Entre 1972 e 1983, foi diretor do Departamento de Urbanismo e diretor técnico de uma empresa pública de projetos, em Lisboa. É professor catedrático convidado de Projeto do curso de Arquitetura do Instituto Superior Técnico desde 2002.

Dirigiu o gabinete de projetos Risco – Projetistas e Consultores de Design, SA (1984-2007), onde desenvolveu numerosos projetos de arquitetura e urbanismo, entre os quais o do Centro Cultural de Belém (em associação com Vittorio Gregotti), dos espaços públicos da Expo'98, do Estádio do Dragão (para o F.C. do Porto), ou o Projeto Urbano de Romanina e o Plano de Pormenor de Bastia (Itália e Córsega).[2]

A 9 de julho de 1999, foi agraciado com o grau de Grã-Cruz da Ordem do Mérito.[3]

Foi Vereador (anteriormente Vice-Presidente e número dois de António Costa, do Partido Socialista) eleito nas eleições intercalares de 2007 para a Câmara Municipal de Lisboa, ocupando os pelouros do Urbanismo, Planeamento Estratégico, Património e Obras Municipais. Foi eleito vereador com o mesmo pelouro em 2009, 2013 e 2017 - já na presidência de Fernando Medina - até renunciar ao mandato em outubro de 2019.[4] Entretanto, por deliberação da Câmara Municipal de Lisboa em junho de 2018, foi indicado para o cargo de presidente da SRU Ocidental, uma empresa pública municipal com a responsabilidade das obras municipais.[5]

Em fevereiro de 2021, foi anunciada a carta, datada de 12 de janeiro de 2021, em que pediu a demissão da liderança da Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental (SRU), após ter sido constituído arguido num inquérito judicial relacionado com a aprovação do Hospital CUF Tejo em Alcântara.[6] Manteve-se, no entanto, como conselheiro informal do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.[7]

No âmbito de oito inquéritos dirigidos pelo DIAP, a PJ, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, com o apoio da Unidade de Perícia Tecnológica e Informática, juntamente com Magistrados do Ministério Público, em 20 de abril de 2021, procedeu à execução de vinte e oito mandados de busca visando a recolha de documentação relacionada com suspeitas de práticas criminosas[8] suas e de seu filho. Estão em causa suspeitas da prática de crimes de abuso de poder, participação económica em negócio, corrupção, prevaricação, violação de regras urbanísticas e tráfico de influências[9].

Alguns projetos e obras[2]Editar

Centro Cultural de BelémEditar

Estádio do DragãoEditar

Complexo Integrado de Saúde da Luz / Hospital da LuzEditar

Hotel Altis, BelémEditar

PrémiosEditar

Recebeu diversos prémios por projetos de arquitetura e de espaço público:

  • Prémio Valmor pelo Edifício no cruzamento da Rua Castilho N.ºs 223 a 233 com a Rua D. Francisco Manuel de Melo N.ºs 2 a 8 (projeto conjunto com Sérgio Coelho e Penha e Costa, em 1980
  • Primeiro Prémio no Concurso da Frente Ribeirinha de Lisboa (troço Belém/Santos), 1989
  • Prémios dos Cadernos Municipais, pelos Planos de Évora e Moita
  • Prémio Internacional de Arquitetura em Pedra pelo Centro Cultural de Belém, em parceria com Vittorio Gregotti, 1993
  • Espaços Públicos da Expo'98 - Lisboa
  • Prémio da Associação Internacional de Críticos de Arte, 1998
  • Prémio do Instituto Português de Design, 1999
  • Prémio de Arquitetura em Tijolo de Face à Vista da Cerâmica Vale do Gândara, pelo Hotel Vila Galé Ópera, 2003

PolémicasEditar

Foi responsável por propor a 29 de novembro de 2012 à Autarquia a extinção, aprovada a 5 de dezembro seguinte, da EPUL e a internalização da sua atividade nos serviços camarários.

Enquanto cidadão, defendeu a extinção da Estação Ferroviária de Lisboa-Santa Apolónia, uma das principais e mais movimentadas da capital, para, em vez dela, dar lugar a um jardim.[10]

Em 2021, foi constituído arguido no âmbito de uma investigação sobre o impacto na paisagem do Hospital CUF Tejo, aprovado enquanto era vereador do Urbanismo e Reabilitação Urbana na Câmara Municipal de Lisboa.[11][12][13]

Referências

  1. http://www.cm-lisboa.pt/no_cache/noticias/detalhe/article/manuel-salgado-empossado-como-membro-honorario-da-academia-de-urbanismo-do-reino-unido
  2. a b «Manuel Salgado» (PDF). IST. Consultado em 3 de dezembro de 2013 [ligação inativa]
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Manuel Sande e Castro Salgado". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 4 de abril de 2015 
  4. Manuel Salgado admite "injustiças" sem intenção em despedida da CML, Sábado 08.10.2019
  5. Câmara de Lisboa quer Manuel Salgado à frente de empresa SRU Ocidental, Lusa 06.06.2018
  6. Manuel Salgado arguido devido à aprovação da CUF Tejo e pede demissão da SRU, por David Pereira/Lusa, Diário de Notícias, 11 fevereiro 2021
  7. Medina vai continuar a pedir conselhos a Manuel Salgado, Público 28.04.2021
  8. Manuel Salgado debaixo de fogo após buscas na Câmara Municipal de Lisboa, por Maria Moreira Rato, Sol, 20 de abril 2021
  9. PJ fez buscas nas casas de Manuel Salgado e do filho, por Carlos Rodrigues Lima e Diogo Barreto, Sábado, 20 de Abril de 2021
  10. Lusa. «Vereador lisboeta defende fecho da estação de Santa Apolónia para dar lugar a jardim». Diário de Notícias. Consultado em 16 de Fevereiro de 2017 
  11. «Manuel Salgado demite-se da SRU por ser arguido em processo que envolve CUF Tejo». www.cmjornal.pt. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  12. Portugal, Rádio e Televisão de. «Manuel Salgado demite-se da SRU por ser arguido em processo que envolve CUF Tejo». Manuel Salgado demite-se da SRU por ser arguido em processo que envolve CUF Tejo. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  13. «Manuel Salgado é constituído arguido e pede demissão a presidente da Câmara de Lisboa. Fernando Medina já aceitou». Jornal Expresso. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) arquiteto(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.