Abrir menu principal

Manuel Suárez Fernández

(Redirecionado de Manuel Suárez Fernandez)
Manuel Suárez Fernández
Nascimento 5 de novembro de 1895
Herías
Morte 30 de junho de 1954 (58 anos)
Perpinhã, França
Nacionalidade Flag of Spain.svg Espanha
Progenitores Mãe: María Fernández
Pai: António Suárez
Ocupação frade dominicano
Principais interesses Filosofia, Teologia, Direito Canónico
Causa da morte acidente de automóvel


Manuel Suárez Fernández, O.P.
Presbítero da Igreja Católica
Mestre-geral da Ordem dos Pregadores
Atividade Eclesiástica
Ordem Ordem dos Pregadores
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 20 de setembro de 1946
Predecessor Frei Martin Stanislaus Gillet, O.P.
Sucessor Dom Frei Michael Cardeal Browne, O.P.
Mandato 1946 - 1954
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 20 de fevereiro de 1921
Dados pessoais
Nascimento Herías, Espanha
5 de novembro de 1895
Morte Perpinhã, França
30 de junho de 1954 (56 anos)
Nacionalidade espanhol
Progenitores Mãe: María Fernández
Pai: António Suárez
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Manuel Suárez Fernández (Herías, Espanha, 5 de novembro de 1895Perpinhã, França, 30 de junho de 1954) foi um frade dominicano, teólogo e professor de Direito canónico espanhol.

Filho de António Suárez e de María Fernández, fez os seus primeiros estudos em La Frecha e mais tarde em Campomanes. Entrou no Colégio dos Dominicanos de Corias, onde estudou Humanidades. Em 1913 iniciou o noviciado em Padrón (Corunha), e depois no Colégio de San Esteban de Salamanca, onde estudou Teologia destacando-se como canonista. Estudou depois Filosofia em Corias. Foi ordenado sacerdote a 20 de Fevereiro de 1921, mudando-se para Roma, ode estudou Direito Canónico no Colégio Angelicum de Roma, e Direito Romano no Apolinar, também em Roma, graduando-se como doutor em ambas as Faculdades. Em 1924 regressou a Espanha, e ensinou Filosofia em Corias até 1927. Voltou a Roma, e ensinou Direito Canónico no Colégio Angelicum, até 1946, em que foi eleito Mestre Geral da Ordem dos Pregadores.

Devido à grande estima que lhe tinha o Papa Pio XII, e o seu estilo diplomático, colaborou na elaboração da Concordata entre a Santa Sé e Espanha. Também colaborou de forma decisiva no processo de beatificação de Frei Melchor García Sampedro. A Ordem atribuiu-lhe o mais alto grau honorífico, o de Mestre de Sagrada Teologia. Em Roma foi decano da Faculdade de Direito Canónico de 1932 a 1941; Magnífico Reitor do Colégio Angelicum entre 1942 e 1946; membro e consultor de várias congregações e tribunais romanos dos quais se destacam: da Igreja Oriental, do Concílio, do Tribunal da Rota, do Santo Ofício, juiz do vicariato de Roma, etc. Pertenceu a o Conselho Superior de Investigação Científica; o governo espanhol atribuiu-lhe o título de Grande de Espanha em virtude do direito atribuído pelos reis de Espanha aos sucessores de São Domingos; em 1950 foi condecorado com a Grande Cruz de Isabel a Católica. Falava as principais línguas vivas e conhecia alguma das línguas mortas.

Durante uma viagem de Roma para Espanha, em Junho de 1954, sofreu um acidente de automóvel no qual veio a falecer ao chocar contra uma árvore em Perpignan (França), falecendo também o seu secretário.

Precedido por
Frei Martin Stanislaus Gillet
Blasondominicain.svg
Ministro-Geral da Ordem dos Pregadores

19461954
Sucedido por
Dom Frei Michael Cardeal Browne