Manuel Teles da Silva, 3.º marquês de Alegrete

Manuel Teles da Silva, 3.º marquês de Alegrete e 4.º conde de Vilar Maior, (Lisboa, 6 de fevereiro de 1682 — Lisboa, 9 de fevereiro de 1736) foi um nobre português.

D. Manuel Teles da Silva, 3.º Marquês de Alegrete

Pertenceu ao Conselho de Estado, era Gentil-Homem da Câmera de D. João V de Portugal, Senhor de Alegrete 1729, comendador das comendas de Albufeira e numerosas outras na Ordem de Cristo.

Secretário perpétuo da Academia Real da História, instituída por D. João V de Portugal. Latinista como o pai e o avô, era um verdadeiro erudito, versado em matemática e em história; para ser um completo fidalgo, segundo o ideal da sociedade do século XVIII, conhecia muito a teoria da equitação.

Segundo o Agiologio Lusitano, terá sido o 194º provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa[1].

ObrasEditar

Consta ser mais importante o que deixou em manuscrito:

  • «Epitome da historia de Portugal até D. João III»,
  • um Tratado da esphera, dividido em 12 tratados,
  • um Tratado sobre a origem da impressão,
  • uma Instrucção util para os que começam a ler historia,
  • e a história em verso latino do Concilio de Calcedônia e do 3.º Concilio de Constantinopla.
  • finalmente, grande número de elogios, epigramas e odes em latim.

Casamento e descendênciaEditar

Casou em 8 de setembro de 1698 com D. Eugênia Rosa de Lorena (1683-1724) filha de D. Nuno, 1º duque de Cadaval, e da duquesa D. Margarida de Lorena.

Foram pais de:

Referências