Manuel Vicente Alfredo da Costa

Dr. Alfredo da Costa
Médico e Professor de Medicina
Conhecido(a) por Introduzir em Portugal técnicas de obstetrícia, assim como a colecistectomia, e a operação de Estlander e o método de Volkman para o tratamento do hidrocelo
Nascimento 28 de Fevereiro de 1859
Goa
Morte 2 de Abril de 1910
Lisboa
Alma mater Escola Medico-Cirúrgica de Lisboa
Notas Pioneiro da Obstetrícia em Portugal

Manuel Vicente Alfredo da Costa (Goa, Goa Sul, Salcete, Margão, 28 de Fevereiro de 1859Lisboa, 2 de Abril de 1910), mais conhecido por Alfredo da Costa, foi um médico e professor de Medicina, pioneiro da obstetrícia em Portugal. O seu nome é recordado na designação da Maternidade Alfredo da Costa. Foi sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa e da Sociedade das Ciências Médicas.

BiografiaEditar

Nasceu em Margão, na então Índia Portuguesa, filho de Bernardo Francisco Henriques da Costa (Goa, Goa Sul, Salcete, Margão, 12 de Fevereiro de 1821 - Diu, 17 de Fevereiro de 1896), goês católico, advogado, descendente directo por varonia de Marada Poi, brâmane Gaud Saraswat do século XVI, e de sua mulher (Lisboa, 15 de Abril de 1858) Luísa Melina Mazoni (c. 1835 - Fevereiro de 1881), irmã de Eugénio Mazoni e filha de pai italiano e de mãe francesa. Jutamente com os pais, fixou-se em Portugal quando tinha 9 anos de idade.

Cursou Medicina na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, concluído o curso no ano de 1884, de forma brilhante.

No ano de 1885 foi nomeado cirurgião do banco do Hospital de São José, em Lisboa, onde iniciou a sua carreira profissional. A partir de 1887 passou a acumular a docência na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, como demonstrador de Cirurgia, com a sua prática clínica no Hospital de São José.

Passou a dedicar-se essencialmente à docência da Medicina, na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, onde em 1889 foi promovido a lente substituto de Cirurgia, ascendendo em 1897 ao lugar de lente de Obstetrícia, sucedendo no lugar ao Dr. Abílio Mascarenhas, que fora seu professor. Em Dezembro de 1889 casou também em Lisboa, na Igreja dos Mártires e na Igreja Alemã do Largo de Rilvas, com Inês de Brito Andresen, filha de Hans Heinrich Andresen, grande armador de navios Dinamarquês, e de sua mulher Maria Leopoldina Guimarães/de Amorim de Brito, com a qual teve dez filhos e filhas.

Quer na sua prática clínica quer no ensino, foi pioneiro em Portugal nas técnicas obstétricas. Realizou ainda em Portugal as primeiras colecistectomias e introduziu na prática médica portuguesa a operação de Estlander e o método de Volkman para o tratamento do hidrocelo.

Presidiu à comissão técnica de Assistência Nacional aos Tuberculosos, uma instituição de benemerência criada sob o patrocínio da rainha D. Amélia de Orleães destinada à luta contra a tuberculose.

Foi sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa. Foi sócio fundador da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa, a que presidiu de 1905 a 1906, em cujo Jornal da Sociedade das Ciências Médicas colaborou activamente. Foi também um dos fundadores da Revista de Medicina e Cirurgia.

Faleceu sem realizar o seu grande sonho, a construção de uma maternidade em Lisboa, o que apenas se concretizaria com a Maternidade Alfredo da Costa, assim denominada em sua honra e inaugurada em 1932.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.