Manuela Cassola

actriz portuguesa

Maria Manuela Cassola Ribeiro (Portalegre, 19 de Junho de 1925 — Portalegre, 26 de Dezembro de 2018) foi uma actriz portuguesa.

Manuela Cassola
Nome completo Maria Manuela Cassola Ribeiro
Nascimento 19 de junho de 1925
Portalegre, Portugal
Nacionalidade portuguesa
Morte 26 de dezembro de 2018 (93 anos)
Portalegre
Educação Conservatório Nacional de Lisboa
Ocupação atriz

Biografia

editar

Nascimento

editar

Manuela Cassola nasceu na cidade de Portalegre, em 19 de Junho de 1925.[1]

Formação e carreira artística

editar

Estudou no Conservatório Nacional de Lisboa, onde terminou o curso de teatro com a nota de 18 valores, o que lhe permitiu a integração no elenco do Teatro Nacional D. Maria II.[2] Passou depois para o Teatro de São Carlos, onde participou em várias óperas, incluindo Orfeu em Lisboa e Tá Mar, de Ruy Coelho.[3]

Fez igualmente vários espectáculos no Chiado, dirigidos por Mário Viegas e depois por Juvenal Garcês.[2]

Também esteve nos Estados Unidos da América, onde participou na peça Celestina, de Fernando de Rojas, tendo recebido o prémio de interpretação, no âmbito do festival El Ciglo de ouro, do Teatro Clássico Espanhol com o Teatro Ibérico.[2]

Trabalhou igualmente na rádio[4] e no cinema, e participou em várias séries e novelas televisivas, incluindo o Inspector Max, onde desempenhava o papel de Justina.[2]

Manuela Cassola viveu a maior parte da sua vida em Lisboa, tendo passado o último ano de vida em Portalegre.[4]

Falecimento

editar

Manuela Cassola faleceu na cidade de Portalegre em 26 de Dezembro de 2018, aos 93 anos de idade.[2]

O corpo ficou em câmara ardente na Igreja de São Tiago, em Portalegre, tendo depois sido encaminhado para o crematório de Elvas.[5]

Homenagens

editar

Na sequência da sua morte, foi homenageada pela Câmara Municipal de Portalegre[4] e pelo presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota enviada à imprensa.[6]

Em Maio de 2019, a autarquia de Portalegre, o filho e um grupo de amigas de Manuela Cassola organizaram uma exposição em sua homenagem no Centro de Artes do Espetáculo de Portalegre.[2]

Televisão

editar

Cinema

editar

Teatro

editar
  Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.
  • O Pirata que não sabia ler
  • Ligações Perigosas
  • "Nápoles Milionária" de Eduardo de Filippo (Companhia Teatral do Chiado)
  • "Amor com Amor se paga - um acto teatral para Mário Viegas" (Companhia Teatral do Chiado - encenação de Juvenal Garcês)

Referências


  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.