Maquinofactura

sistema de fabrico usando máquinas

Maquinofactura é um sistema de fabricação de produtos onde há a divisão do trabalho entre algumas pessoas e máquinas (algumas que precisavam do homem). Neste processo pode ser usado as mãos (manofactura), como era feito antes da Revolução Industrial ou com a utilização de máquinas como passou a ocorrer após a Revolução Industrial.[1][2]

A partir do século XIX, a indústria teve um grande desenvolvimento, foram criadas novas fábricas de têxteis, tabaco, cerâmica, cortiça e vidro, chegaram também a Portugal máquinas movidas a vapor, onde a fonte de energia utilizada era o carvão, fazendo com que o ritmo de trabalho fosse mais rápido.

Começou a utilizar-se da máquina para fazer o trabalho antes produzido pelos artesões. Esse tipo de produção ficou conhecida por maquinofactura.

Com o trabalho mecanizado, era possível a produção em maior escala, com menor uso de mão de obra. Os turnos trabalhistas eram extremamente longos e o operário trabalhava sob más condições e má remuneração.

Ao contrário do artesanato, onde, por ter um processo manual e demorado, produziam-se peças únicas, em baixa escala e por um alto preço, na maquinofactura a produção era em larga escala e quantidade. Devido ao molde das máquinas, as peças eram todas iguais, perdendo-se a exclusividade das peças.

Referências

editar
  1. Infopédia. «maquinofactura | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». infopedia.pt - Porto Editora. Consultado em 11 de novembro de 2022 
  2. Dunford, Michael; Perrons, Diane (1983). Dunford, Michael; Perrons, Diane, eds. «The Transition from Manufacture to Machinofacture 1780–1850». London: Macmillan Education UK (em inglês): 248–274. ISBN 978-1-349-17107-1. doi:10.1007/978-1-349-17107-1_13. Consultado em 11 de novembro de 2022