Abrir menu principal

Wikipédia β

Marcelo Pirilo Teixeira

Marcelo Teixeira
Marcelo Teixeira
Presidente do Conselho Deliberativo do Santos Futebol Clube
Período 1 de janeiro de 2018 – até a atualidade
Antecessor(a) Fernando Bonavides
Presidente do Santos Futebol Clube
Período 1 de janeiro de 2000 – 31 de dezembro de 2009
Sucessor(a) Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro
Presidente do Santos Futebol Clube
Período 1 de janeiro de 1991 – 31 de dezembro de 1993
Antecessor(a) Antônio Aguiar Filho
Sucessor(a) Miguel Kodja Neto
Dados pessoais
Nome completo Marcelo Pirilo Teixeira
Nascimento 28 de abril de 1964 (54 anos)
Santos, SP
Nacionalidade brasileiro
Religião Catolicismo
Profissão Advogado, Educador e Empresário

Marcelo Pirilo Teixeira (Santos, 28 de abril de 1964) é um empresário, pró-reitor e dirigente esportivo brasileiro.

Formado em administração de empresas na Fundação Lusíadas e direito na UNIMES, elegeu-se presidente do Santos FC pela primeira vez em 1991, onde ficou por dois anos, e novamente em 2000, quando ficou até 2009. Responsável pelo comitê organizador do Campeonato Mundial de Clubes da FIFA representando o Brasil, desde 2007 [1].

Além de se destacar como dirigente esportivo, Teixeira é pró-reitor administrativo da Universidade Santa Cecília [1], de propriedade da sua família. Exerce o cargo de diretor-presidente do Sistema Santa Cecília de Rádio e Televisão Educativa. Presidente da Santa Cecília Esportes, que contém a equipe com a maior força da Natação Brasileira Universitária do Brasil. É também autor do livro Revolution 9, que conta a biografia da nadadora santista Renata Agondi, morta enquanto tentava a travessia do Canal da Mancha, em 1988. [1]

Índice

VidaEditar

Filho de Nilza Maria Pirilo Teixeira e Milton Teixeira, casou-se com Valéria Simões Teixeira, tendo dois filhos.[1]

Como prova de sua influência e articulação política na baixada santista, Teixeira foi condecorado com diversos títulos: Cidadão Emérito de Santos, Cidadão Emérito de Guarujá, Troféu Cidade de Santos, Personalidade do Ano de Santos (1998 e 2000), Troféu Ernani Franco e medalha de Amigo da Marinha. Também tornou-se membro da Academia Brasileira de Arte, Cultura e Esporte, da Academia Santista de Letras (cadeira Athiê Jorge Coury) e do Instituto Histórico e Geográfico de Santos (cadeira nº193)[1].

Santos FCEditar

Foi o presidente mais jovem da história do Santos a dirigir um grande clube. Conseguiu a façanha de tirar o time de um jejum de 18 anos sem títulos, transformando o clube em um dos melhores e mais bem estruturados do País.

Desde pequeno freqüentava a Vila Belmiro ao lado de seu pai Milton Teixeira, que em 1983 assumiu a presidência do Peixe. Aos 20 anos, momento em que seu pai ocupava o cargo de presidente do clube, assumiu o posto de assessor da presidência. Teixeira foi vice-presidente do clube em 1990 e 1991.

Tornou-se presidente em 1991, em mandato de dois anos. No fim de 1999 elegeu-se novamente presidente do Santos, em uma passagem que se mostrou vitoriosa: conquistou dois Campeonatos Brasileiros (2002,2004) e dois vice (2003,2007); também dois Campeonatos Paulista (2006,2007) e dois vice (2000,2009), além do vice-campeonato da Taça Libertadores da América (2003).

Depois do título conquistado em 2002, o Santos Futebol Clube tornou-se a sensação do futebol brasileiro, com o brilho da segunda geração dos Meninos da Vila, estrelada por Diego, Robinho e Elano. Para o ano seguinte, no entanto, Teixeira manteve a base campeã e comandou o clube nos vice-campeonatos da Libertadores da América e do Brasileirão de 2003. Ainda neste ano, inaugurou o museu do Santos FC, uma antiga reivindicação dos Alvinegros Praianos.

Em 2004, o Santos, sob o comando técnico de Vanderlei Luxemburgo e político-administrativo de Teixeira, conquistou novamente o Campeonato Brasileiro.

Em 2006 e 2007 conquistou o bicampeonato Paulista.

Fora de campo, fez inúmeros feitos, um deles, a inauguração do museu do Santos Memorial das Conquistas Milton Teixeira, que se tornou um dos principais pontos turísticos da cidade, o CT Rei Pelé, Um dos mais modernos Centros de Treinamento do mundo com um Hotel 5 estrelas, o CEPRAF (Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol), que conta com aparelhagem de altíssimo nível, com equipamentos de ponta no mercado mundial. O CT Meninos da Vila é outra opção de campos para treinamentos, o local é utilizado pelas categorias de base do Peixe. Por isso, os dois campos recebem os nomes de Diego e Robinho

  • Tamanho sucesso como dirigente esportivo fez com que Teixeira fosse escolhido para representar o Brasil no comitê organizador do Campeonato Mundial de Clubes da FIFA, desde 2007

Foi o 34º e o 31º presidente do Santos Futebol Clube, em seu primeiro mandato (1991-1993) foi precedido por Antônio Aguiar Filho e sucedido por Miguel Kodja Neto, já em seu segundo mandato (2000 a 2009) foi precedido por Samir Jorge Abdul-Hak e sucedido por Luiz Álvaro de Oliveira Ribeiro.

TítulosEditar

Referências

  1. a b c d e f Instituto Histórico e Geográfico de Santos. «Marcelo Pirilo Teixeira». Consultado em 24 de abril de 2012. 
Precedido por
Antônio Aguiar Filho
Samir Jorge Abdul-Hak
presidente do Santos F.C
de 1991 a 1993
de 2001 a 2009
Sucedido por
Miguel Kodja Neto
Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.