Marcio Pochmann

político do Brasil
Marcio Pochmann
Nascimento 19 de abril de 1962 (57 anos)
Venâncio Aires
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Ocupação economista, professor universitário
Página oficial
http://marciopochmann.com.br/

Marcio Pochmann (Venâncio Aires, 19 de abril de 1962) é um economista e político brasileiro.

BiografiaEditar

Filho de Clyde Pochmann e de Lilian Pochmann, formou-se em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1984. Entre 1985 e 1988 concluiu sua pós-graduação em Ciências Políticas e foi supervisor do Escritório Regional do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Distrito Federal, além de docente na Universidade Católica de Brasília.

Em 1989, mudou-se para o Estado de São Paulo, onde iniciou seu doutorado – concluído em 1993 – em Ciência Econômica na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), tornando-se pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (Cesit), do qual seria diretor-executivo anos mais tarde, assim como membro do corpo docente da Unicamp.

Foi ainda pesquisador visitante em universidades da França, Itália e Inglaterra, com pós-doutorado nos temas de relações de trabalho e políticas para juventude. Também atuou como consultor no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e no Dieese, entre outras instituições nacionais. No plano internacional, foi consultor em diferentes organismos multilaterais das Nações Unidas, como a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), entre outras.

No período de 2001 a 2004, em São Paulo, Pochmann dirigiu a Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade durante o governo da prefeita Marta Suplicy. A partir de 2007, passou a exercer a presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em Brasília, cujo comando deixou em 2012 para retornar a Campinas.

Nas eleições 2012, Marcio Pochmann foi o candidato do PT à Prefeitura de Campinas.[1]. Desde então segue exercendo as funções de pesquisador no Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (CESIT) e de professor titular no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas iniciadas em 1989. Até 2015, tinha 49 livros publicados na condição de autor e coautor nas áreas de economia, sociedade e políticas públicas em diversas editoras.

DistinçõesEditar

2010 - Comendador da Ordem de Rio Branco, Presidência da República

2009 - Mérito Científico, Universidade Estadual de Campinas, Pró-Reitoria de Pesquisa

2008 - Prêmio Jabuti, Área de Economia, Administração e Negócios, pelo livro Crescimento Econômico e Distribuição de Renda

2007 - Personalidade Econômica do Ano de 2007, Conselho Federal de Economia

2007 - Personalidade da Tecnologia 2007: Valorização Profissional, Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo

2007 - Prêmio Jabuti, Área Ciências Sociais, Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe

2006 - Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho do Estado de Minas Gerais

2003 - Comendador, Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho do Tribunal Superior do Trabalho

2002 - XIX Prêmio Franz de Castro Holzwarth de Direitos Humanos, Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP

2002 - Prêmio Jabuti, Área de Economia, Administração e Negócios, pelo livro A Década dos Mitos

Livros PublicadosEditar

Seu mais novo livro, O mito da grande classe média, foi publicado em maio de 2014 pela editora Boitempo.

Referências

Precedido por
Luiz Henrique Proença Soares
Presidente do Ipea
20072012
Sucedido por
Vanessa Petrelli Corrêa


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.