Marco António de Azevedo Coutinho

político português (1688-1750)

Marco António de Azevedo Coutinho (1688Benfica (Lisboa), 19 de Maio de 1750) foi um político português.

Marco António de Azevedo Coutinho
Período 4 de Outubro de 1747 - 1749
Antecessor(a) João da Mota e Silva
Sucessor(a) Frei Gaspar da Encarnação
Dados pessoais
Nascimento 1688
Morte 19 de maio de 1750 (62 anos)
Benfica (Lisboa)

Ocupou o cargo de primeiro-ministro de Portugal (secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra) de 4 de outubro de 1747 a 1750.[1] Funções essas que, segundo conta Caetano de Sousa, fizeram dele um "enviado extraordinário e plenipotenciário nas Cortes de Londres e Paris".

Foi remunerado pelos seus serviços com a comenda de Santa Maria de Aires da Ordem de Cristo, em 20 de Julho de 1748, e o Senhorio da Vila Nova de Monsarros na comarca de Coimbra (9 de Novembro de 1748).[2]

Morreu dois anos após o casamento em 19 de Maio de 1750, no mesmo ano da morte de D. João V. Em ofício de 26 de Maio de 1750 escrevia o Secretário de Estado Pedro da Mota e Silva ao Visconde de Vila Nova de Cerveira:

  • Terça-feira de madrugada que se contarão 19 do corrente foi Deus servido levar pera si, repentinamente ao Excelentissimo Secretario de Estado Marco Antonio e esta falta me cauzou grande sentimento e a todos pelas circunstancias que V.E. não ignora”.[3]

Dados genealógicosEditar

Filho de:

Casou, em 1748, com:

Não teve descendência.

Referências

BibliografiaEditar

  • D. António Caetano de Sousa, «Memorias Históricas e Genealógicas dos Grandes de Portugal», Regia Officina Sylviana, Lisboa, 1755, pág. 274.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um político português é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.