Marco Lívio Denter

político

Marco Lívio Denter (em latim: Marcus Livius Denter) foi um político da gente Lívia da República Romana eleito cônsul em 302 a.C. com Marco Emílio Paulo.

Marco Lívio Denter
Cônsul da República Romana
Consulado 302 a.C.

Consulado (302 a.C.) Editar

Foi eleito cônsul em 302 a.C. com Marco Emílio Paulo[1]. Durante seu mandato, Caio Júnio Bubulco Bruto foi nomeado ditador para enfrentar uma revolta dos équos[1].

Anos finais Editar

Em 300 a.C., graças à Lei Ogúlnia, Marco Lívio, juntamente com Públio Décio Mus, Públio Semprônio Sofo e Caio Márcio Rutilo Censorino, foi um dos quatro primeiros plebeus a alcançar o cargo de pontífice, restrito, até então, aos patrícios[2].

Em 295 a.C., foi Marco Lívio que ditou a Públio Décio Mus a fórmula do devotio para que ele, como seu pai, se sacrificasse pela vitória dos romanos na Batalha de Sentino[3]. Antes de morrer, Públio Décio lhe pediu que atuasse como pretor.

Ver também Editar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
Sérvio Cornélio Lêntulo

com Lúcio Genúcio Aventinense

Marco Lívio Denter
302 a.C.

com Marco Emílio Paulo

Sucedido por:
Marco Valério Corvo
(Quarto ano ditatorial)


Referências

Bibliografia Editar

  • Broughton, T. Robert S. (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas