Marco Ostório Escápula

político
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul sufecto em 57. Para o cônsul sufecto em 97 e provavelmente seu neto, veja Marco Ostório Escápula (cônsul em 97).

Marco Ostório Escápula (em latim: Marcus Ostorius Scapula; m. 66) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de julho a dezembro de 59 com Tito Sêxtio Africano. Seu bisavô, Quinto Ostório Escápula, foi, com Sálvio Aper, o primeiro prefeito pretoriano de Augusto em 2 a.C.[1] e seu pai, Públio Ostório Escápula, foi governador da Britânia[2].

Marco Ostório Escápula
Cônsul do Império Romano
Consulado 59 d.C.
Morte 66 d.C.

CarreiraEditar

Ainda jovem na Britânia, Escápula participou da campanha de seu pai contra a revolta dos siluros liderada por Carataco. Depois da vitória sobre os icenos, ele recebeu a coroa cívica por ter salvo cidadãos romanos[3]. Quando seu pai voltou a Roma, Escápula começou sua carreira, mas nada se sabe sobre ela sua chegada ao consulado em 59[4]. Em 62, salvou o pretor Antíscio Sosiano, acusado de crime de maiestas por ter composto versos zombando de Nero, da morte ao testemunhar em seu favor. Apesar disto, o próprio Antíscio o acusou depois de ser um dos membros da Conspiração Pisoniana em 66, uma acusação da qual ele só pôde escapar através do suicídio[5].

FamíliaEditar

É provável que Marco Ostório Escápula, cônsul sufecto em 97, tenha sido seu neto[6].

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Nero III

com Marco Valério Messala Corvino
com Caio Fonteio Agripa (suf.)
com Aulo Petrônio Lurcão (suf.)
com Aulo Pacônio Sabino (suf.)

Caio Vipstano Aproniano
59

com Caio Fonteio Capitão
com Tito Sêxtio Africano (suf.)
com Marco Ostório Escápula (suf.)

Sucedido por:
'Nero IV

com Cosso Cornélio Lêntulo
com Caio Veleio Patérculo (suf.)
com Marco Manílio Vopisco (suf.)


Referências

  1. Dião Cássio, História Romana 55, 10, 10.
  2. Tácito, Anais XII, 31-39.
  3. Tácito, Anais XII 31, 3-4.
  4. CIL VI, 2042.
  5. Tácito, Anais XVI 14.
  6. Der Neue Pauly, Stuttgardiae 1999, T. 19, c. 98

BibliografiaEditar