Abrir menu principal

Marcos Nogueira Eberlin

Químico, Criacionista
Marcos Nogueira Eberlin
Conhecido(a) por Espectrometria de Massas, Criacionismo
Nascimento 4 de março de 1959 (60 anos)
Campinas, São Paulo, Brasil
Residência  Brasil
Nacionalidade  Brasileiro
Alma mater UNICAMP
Ocupação Professor, Pesquisador, Escritor
Religião Batista
Orientador(es) Concetta Kascheres
Instituições UNICAMP
Campo(s) Química, Design inteligente
Tese Estudo das reações de alfa-Diazocetonas com Enaminonas: Parte II. Estrutura e Reatividade. Novo Método de Síntese de Pirróis

Marcos Nogueira Eberlin, mais conhecido como Marcos Eberlin, (Campinas, 4 de março de 1959) é um químico brasileiro, cientista, professor do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas. É membro da Academia Brasileira de Ciências e recebeu a Ordem Nacional do Mérito Científico em 2005.[1] Em 2016 Eberlin recebeu a Medalha Thomson.[2]

Ele é um membro fundador e participa do comitê executivo da Sociedade Internacional de Espectrometria de Massas (IMSS) e da Fundação Internacional da Espectrometria de Massa (IMSF, International Mass Spectrometry Foundation),[3] na qual representa a Região D (América do Sul e Central). Foi presidente da IMSF de 2009 a 2014 e é também diretor-fundador da Sociedade Brasileira de Espectrometria de Massas (BrMASS). Coordena o Laboratório ThoMSon de Espectometria de Massa na UNICAMP e é editor associado do Journal of Mass Spectrometry.[4]

Eberlin também é conhecido por defender[5][6] a pseudociência conhecida como design Inteligente,[7] sendo um dos signatários da dissidência científica contra o darwinismo lançada em 2001 pelo Discovery Institute.[8] Ele é um criacionista contrário à teoria da evolução, caracterizada por ele como "uma falácia".[9] Eberlin não tem publicações científicas sobre o assunto,[10] mas é presidente executivo da Sociedade Brasileira do Design Inteligente e coordena o "Núcleo Discovery-Mackenzie", uma criticada parceria[11] entre o Discovery Institute e a Universidade Presbiteriana Mackenzie que, segundo o chanceler da universidade, pastor presbiteriano Davi Charles Gomes, é "um núcleo de fé, ciência e sociedade".[12][13]

Índice

Formação acadêmicaEditar

Eberlin graduou-se em química em 1982 pela UNICAMP, onde também cursou mestrado (1984) e doutorado (1988). Ele cursou pós-doutorado na Universidade de Purdue (1991).[14]

Reação de Eberlin (The Eberlin reaction)Editar

A reação química de acetalização e transacetalização polar na fase gasosa foi nomeada em sua homenagem.[15][16]

Defesa do Design InteligenteEditar

Crítico da teoria da evolução e notório defensor da pseudociência conhecida como design inteligente,[5][6][9][17] desde 2014 Eberlin é presidente da "Sociedade Brasileira do Design Inteligente", depois do Primeiro Congresso Brasileiro do Design Inteligente.[7] Em 2017 ele se tornou o coordenador do "Núcleo Discovery-Mackenzie", parceria entre o Discovery Institute e a Universidade Presbiteriana Mackenzie também chamado de "Núcleo de Pesquisa Mackenzie em Ciência, Fé e Sociedade".[18] A criação do núcleo foi criticada por diversos cientistas[12][13] e considerada uma ameaça à educação.[11]

Em 2018 ele afirmou que:[17]

A evolução faliu, não conseguimos explicar a complexidade da vida.
 
Marcos Eberlin.

Em 2018 seu livro sobre design inteligente, intitulado "Fomos Planejados: A maior descoberta científica de todos os tempos",[19] foi considerado um best-seller pela Editora Mackenzie, segundo a qual a primeira edição se esgotou antes de ser lançada oficialmente.[20]

ReferênciasEditar

  1. «Academia Brasileira de Ciências». www.abc.org.br. Consultado em 20 de junho de 2016. Arquivado do original em 20 de junho de 2016 
  2. «Announcements». www.imss.nl (em inglês). International Mass Spectrometry Foundation. Consultado em 25 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 27 de junho de 2017 
  3. «IMSF Board». www.imss.nl (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2015 
  4. «Invited speakers». Sociedade Mexicana de Proteómica. 2012. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2014 
  5. a b Lopes, Reinaldo José (27 de outubro de 2014). «Congresso reúne opositores da teoria da evolução; biólogos criticam 'novo criacionismo'». Folha de S.Paulo. Consultado em 5 de julho de 2017 
  6. a b Lopes, Reinaldo José (18 de dezembro de 2014). «Tréplica dos defensores do Design Inteligente». Folha de S.Paulo. Consultado em 21 de Junho de 2016 
  7. a b «1º Congresso Brasileiro do Design Inteligente». www.designinteligentebrasil.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2015. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  8. «A Scientific Dissent from Darwinism (Lista)» (em inglês). Discovery Institute. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  9. a b Escobar, Herton (28 de abril de 2012). «Biólogos querem reforçar ensino da evolução». O Estado de São Paulo. Consultado em 21 de junho de 2016. Ele crê que todos os seres vivos foram criados por Deus da maneira como existem hoje. “Não aceito a evolução porque as evidências químicas que tenho falam contra ela. É uma falácia”, disse Eberlin ao Estado. 
  10. Braga, Lucas (2016). Entre a fé e a ciência : uma análise sobre a teoria do design inteligente (Mestrado em Antropologia Social). Questionei Eberlin se ele já havia publicado algum artigo científico sobre a TDI e ele afirmou que nunca o havia feito, ainda que possuísse diversos textos que tratavam do assunto. Também perguntei se pretendia publicar artigos sobre a TDI em revistas científicas, ele afirmou que até aquele momento não havia escrito nenhum artigo com esse conteúdo para publicação, mas que poderia vir a fazê-lo num futuro não especificado. p.53. Campinas: Unicamp 
  11. a b Silva, Heslley Machado (1 de setembro de 2017). «Intelligent design endangers education». Science (em inglês). 357 (6354): 880.1–880. ISSN 0036-8075. doi:10.1126/science.aao3245 
  12. a b «Universidade Mackenzie de SP abre centro que questiona a evolução». Folha de S.Paulo 
  13. a b «Um apelo ao Mackenzie - Darwin e Deus». Darwin e Deus - Folha de S.Paulo - Blogs. Consultado em 28 de junho de 2017 
  14. «ASMS Members Honored at IMSF 2016». American Society for Mass Spectrometry. 27 de outubro de 2016 
  15. Cooks, R. G.; Hao (2006). «Polar Acetalization and Transacetalization in the Gas Phase:  The Eberlin Reaction». Chemical Reviews. 106 (1): 188-211. ISSN 0009-2665. doi:10.1021/cr0400921 
  16. Zheng, Xubin; W. Andy (2001). «Eberlin reaction of arenesulfenylium cations with cyclic acetals and ketals: ring contraction and cycloreversion». Journal of the Chemical Society, Perkin Transactions 2 (3). doi:10.1039/b007941n 
  17. a b Diniz, Ana Elizabeth (1 de janeiro de 2018). «Universo tem design inteligente». O Tempo (jornal). Consultado em 6 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2018. ‘Zumbi science’. “O naturalismo de Darwin só conquistou a ciência por causa do iluminismo. Fizemos um pacto com o naturalismo e ficamos durante 150 anos tentando entender tudo pela teoria da matéria, da energia e da força, e não conseguimos. A evolução faliu, não conseguimos explicar a complexidade da vida. Estamos mantendo viva a ciência dos mortos-vivos, a ‘zumbi science’, como se tivéssemos apenas uma opção”, refuta Eberlin. 
  18. «Discovery-Mackenzie». 6 de junho de 2017. Consultado em 28 de junho de 2017 
  19. Mackenzie, Comunicação - Marketing. «Fomos Planejados: A maior descoberta científica de todos os tempos ISBN: 9788582937198». Editora Mackenzie. Consultado em 20 de julho de 2018. Cópia arquivada em 1 de julho de 2018 
  20. Mackenzie, Comunicação - Marketing. «Dez curiosidades sobre a Editora Mackenzie». Portal Mackenzie. Consultado em 20 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de julho de 2018. Um dos best sellers mais recentes da Editora Mackenzie é o livro Fomos planejados: a maior descoberta científica de todos os tempos. A 1ª edição esgotou antes do lançamento oficial. 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar