Abrir menu principal
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2012). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marcos Schechtman
Marcos Schechtman diretor
Ocupação Diretor
Atividade 1987-presente
Cônjuge Paula Pereira
Emmys
Melhor Telenovela ou Minissérie
2009 - Caminho das Índias

Marcos Schechtman é um diretor de televisão brasileiro.[1]

Índice

BiografiaEditar

Seu início foi na Rede Manchete quando, em 1987, dirigiu a novela Carmem. Continuou por anos nessa emissora, que vivia um momento de prestígio. Em 1988, fez Olho por Olho, e no ano seguinte Kananga do Japão. Em 1990 fez outra novela importante, A História de Ana Raio e Zé Trovão e, em 1991, Amazônia. Em 1993 fez Guerra Sem Fim. No ano de 1995, Schechtman passou para a Rede Bandeirantes, onde dirigiu A Idade da Loba e, em 1996, O Campeão. Em 1998 foi para a Rede Globo, onde dirigiu Corpo Dourado e, no ano seguinte, Suave Veneno. Em 2000, dirigiu Laços de Família, em 2001 O Clone, em 2003 Celebridade, em 2005 América e, em 2009, Caminho das Índias.

Em 2009 recebeu como diretor, ao lado de Glória Perez, a autora da novela Caminho das Índias, o Prêmio Emmy de melhor telenovela do mundo do ano, nos Estados Unidos.[2][3]

Schechtman também dirigiu as minisséries O Marajá, A Casa das Sete Mulheres e Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, além dos seriados Família Brasil e Casos e Acasos.

Em 2015, a Rede Globo resolve rescindir contrato com Schechtman após seu último trabalho na TV. [4]

Em 2016, o diretor Marcos Schechtman passa a diretor de cinema da Globo Filmes, tendo como primeiro filme desta parceria o Vidas Partidas, com tema sobre a violência contra a mulher e implantação da Lei Maria da Penha no Brasil, lançado no mesmo ano.

Em 2017, inicia seu projeto do filme sobre o grande bailarino brasileiro Thiago Soares, que é primeiro solista do Royal Ballet de Londres e considerado um dos mais importantes artistas da dança do mundo. O projeto está ainda em curso, com previsão de conclusão em 2019[5].

CarreiraEditar

Referências

  1. «Marcos Schechtman». Consultado em 26 de abril de 2012. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. Diretor Marcos Schechtman fala sobre Emmy que ganhou
  3. «'É uma emoção muito grande', diz diretor Marcos Schechtman sobre Emmy». Extra Online 
  4. «Globo rescinde contrato com diretor de "Salve Jorge" e cria novo modelo de contratos» 
  5. Reina, Andrei (28 de julho de 2017). «O primeiro bailarino». Revista Bravo!. Consultado em 17 de fevereiro de 2018 

Links ExternosEditar


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.