Abrir menu principal
Mare Dibaba
Atletismo
Modalidade maratona
Nascimento 20 de outubro de 1989 (30 anos)
Oromia, Etiópia
Nacionalidade etíope
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Rio 2016 maratona
Campeonatos Mundiais
Ouro Pequim 2015 maratona

Mare Dibaba Hurrsa (Oromia, 20 de outubro de 1989) é uma fundista etíope, medalhista olímpica e campeã mundial da maratona.

Estreou internacionalmente em provas de longa distância aos 18 anos com um segundo lugar na Meia Maratona de Udine, na Itália, coma marca de 1:10:32;[1] sua prova seguinte foi a Meia-Maratona de Nova Delhi onde chegou em oitavo lugar mas abaixando sua marca em quatro segundos, para 1:10.28. Em 2009, ela competiu brevemente pelo Azerbaijão, para onde se tranferiu, com o nome de Mare Ibrahimova, mas descoberta como sendo de idade acima do permitido para disputar o Campeonato Europeu Júnior de Atletismo, voltou a competir por seu país natal;[2] quando corria pelo Azerbaijão, abaixou seu tempo na meia-maratona para 1:08:45, que é o recorde nacional do país.

Voltando a exercer a cidadania etíope,[3] em 2010 ela fez o segundo melhor tempo do ano para a meia-maratona, 1:07:13, em Ras al-Khaimah, nos Emirados Árabes Unidos e no mesmo ano estreou em maratonas, com 2:25.38 na Maratona de Roma. Venceu duas provas de rua em sua primeira aparição nos Estados Unidos e participou da Maratona de Frankfurt, onde, apesar de apenas quinto lugar, fez sua melhor marca pessoal, 2:25:27. Em 2011, participando do Jogos Pan-Africanos, ficou com a medalha de ouro na meia-maratona. Em outubro, melhorou sua marca para a maratona em Toronto, com 2:23:25.

Na Maratona de Dubai de 2012, ela correu pela primeira vez abaixo de 2:20, fazendo 2:19:52, em terceiro lugar, a segunda etíope a correr a maratona em menos de 2:20.[4] Com essa marca, foi selecionada para competir em Londres 2012, onde ficou apenas na 22ª posição, em 2:28:48.[5] Em 2014 ela chegou em segundo na Maratona de Chicago mas em janeiro de 2015 foi anunciada como vencedora, depois que a queniana Rita Jeptoo, vencedora na época, foi desclassificada por testar positico para EPO, retroativo a setembro de 2014.[6]

Sua grande conquista internacional veio no Campeonato Mundial de Atletismo de Pequim 2015, onde se tonou campeã mundial, vencendo em 2:27:39. A prova teve a mais apertada chegada de um maratona em campeonatos mundiais, decidida na entrada do túnel do estádio Ninho de Pássaro, com as quatro primeiras separadas por apenas sete segundos e um diferença de apenas 1s entre ela e a segunda colocada, Helah Kiprop, do Quênia.[7]

Em seus segundos Jogos Olímpicos, Rio 2016, Dibaba disputou a liderança da prova até os últimos quilômetros com a queniana Jemima Sumgong e a bairenita Eunice Kirwa, duas das três que correram com ela até o fim na maratona do ano anterior em Pequim, mas desta vez ficou a medalha de bronze, em terceiro lugar, em 2:24:30, na prova vencida por Sumgong, a única das últimas quatro que não havia ganho uma medalha no Mundial.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «ARUS RUNS SUB-60 IN UDINE». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  2. «"Ambitious Dibaba Looking for Ethiopian Olympic Place" by Paul Gains». torontowaterfrontmarathon.com. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  3. «Sensational 67:07 Debut by Elvan Abeylegesse at RAK Half Marathon in United Arab Emirates». Running Report. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  4. «ABSHERO STUNS WITH 2:04:23 DEBUT, MERGIA CLOCKS 2:19:31 IN DUBAI». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  5. «MARATHON WOMEN THE XXX OLYMPIC GAMES». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  6. Kaduk, Kevin. «Marathon champ Rita Jeptoo receives two-year ban for positive drug test». Yahoo Sports. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  7. «REPORT: WOMEN'S MARATHON – IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS, BEIJING 2015». IAAF. Consultado em 27 de agosto de 2016 
  8. «MARATHON WOMEN THE XXXI OLYMPIC GAMES». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2016