Marechal Floriano

Município brasileiro no estado do Espírito Santo
Disambig grey.svg Nota: Para ex-presidente do Brasil, veja Floriano Peixoto.

Marechal Floriano é um município brasileiro no estado do Espírito Santo, Região Sudeste do país. Localiza-se na região sudoeste serrana do estado, a 43 km da capital capixaba, Vitória.[2] Ocupa uma área de 285,495 km², sendo que 3 km² estão em perímetro urbano, e sua população foi estimada em 17 141 habitantes em 2021.[1]

Marechal Floriano
  Município do Brasil  
Vista parcial da cidade
Vista parcial da cidade
Símbolos
Bandeira de Marechal Floriano
Bandeira
Brasão de armas de Marechal Floriano
Brasão de armas
Hino
Gentílico florianense[1]
Localização
Localização de Marechal Floriano no Espírito Santo
Localização de Marechal Floriano no Espírito Santo
Marechal Floriano está localizado em: Brasil
Marechal Floriano
Localização de Marechal Floriano no Brasil
Mapa de Marechal Floriano
Coordenadas 20° 24' 46" S 40° 40' 58" O
País Brasil
Unidade federativa Espírito Santo
Municípios limítrofes Domingos Martins, Alfredo Chaves, Viana e Guarapari
Distância até a capital 43 km[2]
História
Fundação 30 de outubro de 1991 (31 anos)[3]
Administração
Distritos
Prefeito(a) Cacau Lorenzoni[5] (PSB, 2021 – 2024)
Vereadores 9[6]
Características geográficas
Área total [1] 285,495 km²
 • Área urbana (Embrapa/2015) [9] 3,032 km²
População total (estatísticas IBGE/2021) [1] 17 141 hab.
Densidade 60 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cfa)[7][8]
Altitude [7] 560 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010) [10] 0,71 alto
PIB (IBGE/2019) [11] R$ 399 205,88 mil
PIB per capita (IBGE/2019[11]) R$ 23 913,14
Sítio marechalfloriano.es.gov.br (Prefeitura)
marechalfloriano.es.leg.br (Câmara)

A formação do núcleo urbano que deu origem à cidade se deve principalmente à criação da Colônia de Santa Isabel, fundada por Luís Pedreira do Couto Ferraz, presidente da Província do Espírito Santo, por volta de 1847. Originalmente, esse núcleo foi destinado a receber imigrantes que vieram da Prússia Renana. No decorrer da segunda metade do século XIX, a vinda de novas levas de imigrantes, principalmente alemães e italianos, deu sequência ao crescimento populacional e econômico. Em 1900, foi inaugurada a estação ferroviária da então vila, que foi reconhecida como distrito de Domingos Martins em 1964 e emancipada em 1991.

A influência cultural deixada pelos imigrantes europeus ainda é visível, sendo expressa em hábitos e costumes diversos pelos descendentes. O cultivo do café e de folhosas e a avicultura de corte figuram entre as atividades econômicas mais importantes, ao lado da prestação de serviços e do turismo. Marechal Floriano possui uma série de atrativos naturais que são destinos de turistas, como cachoeiras, montanhas e trilhas. A presença comum de orquídeas, tanto nas florestas como em plantios de espaços públicos, faz com que a cidade seja conhecida como a "Cidade das Orquídeas".

HistóriaEditar

A área do atual município de Marechal Floriano fora habitada inicialmente por índios botocudos e puris, que usavam a localização nas margens do rio Jucu Braço do Sul como ponto de referência.[12] Contudo, foi somente no século XIX que um núcleo de colonizadores veio a se consolidar, com a criação da Colônia de Santa Isabel, fundada por Luís Pedreira do Couto Ferraz, presidente da Província do Espírito Santo, por volta de 1847. Originalmente, esse núcleo foi destinado a receber imigrantes que vieram da Prússia Renana que desembarcaram em Vitória em 21 de dezembro de 1846, em um total de 39 famílias.[3][4]

 
Estação ferroviária do distrito de Araguaia em 1906

No decorrer da segunda metade do século XIX se estabeleceram novas leva de imigrantes, principalmente alemães[13] e italianos,[4] dando sequência ao crescimento populacional e econômico.[4][14] Data de 1861 a construção de uma ponte sobre o rio Jucu Braço do Sul, onde posteriormente foi estabelecido um dos acessos à cidade.[13] Em 1862, a população atingia 801 habitantes, dos quais 486 eram estrangeiros e 315 brasileiros. Nesse ano a localidade era conhecida como Vila Braço do Sul, por causa de sua localização nas margens do manancial.[14]

No início do século XX a localidade passou a ser atendida por transporte ferroviário, com a conclusão da Linha do Litoral da Estrada de Ferro Leopoldina.[15] A estação que atendia a cidade foi inaugurada em 13 de maio de 1900, sendo denominada "Estação Marechal Floriano" pelo então presidente da província do Espírito Santo, José Marcelino Pessoa de Vasconcelos. Trata-se de uma homenagem ao primeiro vice-Presidente da República Floriano Peixoto, falecido em 1895, que também foi aproveitada com a denominação da vila.[3][4][16] O transporte de passageiros por meio da via férrea esteve em operação até a década de 1980.[15]

Pela lei estadual nº 1.956, de 13 de janeiro de 1964, foi reconhecido o distrito de Marechal Floriano, subordinado a Domingos Martins. Sua emancipação foi decretada pela lei estadual nº 4.571 de 30 de outubro de 1991, sendo constituído pelo distrito de Araguaia e pelo distrito-sede. Posteriormente foram criados os distritos de Santa Maria de Marechal[3][4] e, por último, em 2008, Victor Hugo.[4] Em 31 de outubro, celebra-se o aniversário da cidade.[1][17]

GeografiaEditar

 
Cachoeira da Bica, na margem da BR-262.

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 285,495 km²,[1] sendo que 3,032 km² constituem a zona urbana.[9] Situa-se a 20°24'46" de latitude sul e 40°40'58" de longitude oeste[18] e está a uma distância de 43 quilômetros a sudoeste da capital capixaba.[2] Seus municípios limítrofes são Domingos Martins, Alfredo Chaves, Viana e Guarapari.[2]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[19] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Vitória e Imediata de Afonso Cláudio-Venda Nova do Imigrante-Santa Maria de Jetibá.[20] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Afonso Cláudio, que por sua vez estava incluída na mesorregião Central Espírito-santense.[21]

Relevo e meio ambienteEditar

O relevo de Marechal Floriano é consideravelmente acidentado, alternando de ondulado a montanhoso, com sua sede situada a 560 metros de altitude.[7] Pelo menos 90% do território possui terras acidentadas. O tipo de solo predominante é o latossolo vermelho-amarelo distrófico.[22] O município integra a bacia hidrográfica do rio Jucu, tendo como principais mananciais os rios Jucu Braço do Sul, Fundo e Peixe Verde.[23][24] O rio Jucu Braço do Sul é um dos formadores do curso principal[25] e banha toda a extensão municipal, de oeste a leste. Entretanto, sua área possui diversos córregos de pequeno porte que vertem para esses leitos principais.[24]

A cobertura de Mata Atlântica nativa abrangia 45,5% do território municipal em 2013, porcentagem superior à de outras formas de usos do solo. No mesmo ano, a monocultura de eucalipto ocupava 12% do total, as plantações de café 9%, as matas nativas em estágio de recuperação 7,8%, a macega 6,3% e pastagens 5,8%.[23] Uma característica das florestas do município é a presença comum de orquídeas, que faz com que a cidade seja conhecida como a "Cidade das Orquídeas".[2] A espécie pode ser encontrada tanto nas florestas como em orquidários, onde as flores são expostas e comercializadas, além de serem adotadas para plantio em espaços públicos.[26][27][28]

Embora as florestas se concentrem em regiões montanhosas, o que contribui com sua conservação, não existem unidades de conservação em tempo integral no município.[29] Contudo, 64,41% das propriedades rurais contam com florestas destinadas à preservação permanente ou reservas e mais de 27,51% possuem florestas plantadas.[23]

ClimaEditar

O clima florianense é caracterizado, segundo o IBGE, como tropical de altitude[7][30] (tipo Cfa segundo Köppen),[8] com diminuição de chuvas no inverno e temperatura média anual em torno dos 20 °C, tendo invernos amenos e verões chuvosos com temperaturas moderadamente altas. O mês mais quente, fevereiro, tem temperatura média de 23 °C, enquanto que o mês mais frio, julho, possui média de 16,8 °C. Outono e primavera são estações de transição.[31] O índice pluviométrico anual é de aproximadamente 1 592 mm, sendo junho o mês mais seco e novembro o mais chuvoso.[31]

Segundo dados da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), desde 1949,[32] o maior acumulado de chuva registrado em 24 horas em Marechal Floriano foi de 150 mm no dia 27 de novembro de 2000. Outros grandes acumulados foram de 145,1 mm em 13 de novembro de 1987, 139 mm em 4 de janeiro de 1994 e 137,2 mm em 6 de dezembro de 2009.[33] De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Marechal Floriano é o 56º colocado no ranking de ocorrências de descargas elétricas no estado do Espírito Santo, com uma média anual de 1,5338 raios por quilômetro quadrado.[34]

Dados climatológicos para Marechal Floriano
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 27,8 28,6 28,1 26,4 24,7 23,6 23,1 23,6 24,1 25,1 25,8 27 25,7
Temperatura média (°C) 22,6 22,9 22,5 21 19 17,4 16,8 17,3 18,5 20,1 21,1 22,2 20,1
Temperatura mínima média (°C) 18,5 18,5 18 16,5 14,3 12,4 12 12,7 14,2 16 17,4 18,7 15,8
Precipitação (mm) 203,6 104 208,4 120,2 64,8 53,8 61,9 73,9 86,2 120,3 251 244,1 1 592,2
Umidade relativa (%) 79 78 82 84 82 83 82 80 79 79 83 82 81
Fonte: Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper):
temperaturas e precipitação;[31] Climate-Data.org: umidade relativa[8]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
200012 188
201014 26217,0%
Est. 202117 14120,2%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[1][35]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 14 262 habitantes. Segundo o censo daquele ano, 7 260 habitantes eram homens (50,9% do total) e 7 002 habitantes mulheres (49,1%). Ainda segundo o mesmo censo, 7 421 habitantes viviam na zona urbana (52,03%) e 6 841 na zona rural (47,97%).[36] Da população total em 2010, 3 230 habitantes (22,65%) tinham menos de 15 anos de idade, 9 898 habitantes (69,4%) tinham de 15 a 64 anos e 1 134 pessoas (7,95%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 75,95 anos.[37]

Em 2010, a população florianense era composta por 8 348 brancos (5853% do total), 4 769 pardos (33,44%), 1 053 negros (7,39%), 83 amarelos (0,58%) e nove indígenas (0,06%).[38] Quanto às religiões, 9 750 são católicos (68,36%), 3 861 evangélicos (27,07%), 32 espíritas (0,22%), 22 Testemunhas de Jeová (0,15%), 465 pessoas sem religião (3,09%) e o 1,11% restante possuía outras religiões além dessas ou não tinham religiosidade definida.[39] A influência cultural deixada pelos imigrantes europeus, principalmente alemães e italianos, ainda é visível em Marechal Floriano, sendo expressa em hábitos e costumes diversos pelos descendentes. Além da herança visível na arquitetura, também são notáveis as marcas na culinária, na dança e música.[2][7]

Prefeitos de Marechal FlorianoEditar

 
Prédio da prefeitura

Segue a lista de prefeitos(as) eleitos(as) no município desde sua emancipação política.[40]

Cronologia das eleições
Eleição Duração do

mandato

Candidato Partido Porcentagem Quantidade

de votos

1992 1993–1996 Elias Kieffer PDT 50,22% 3 218
1996 1997–2000 João Carlos Lozenzoni PSDB 86,776% 5 663
2000 2001–2004 João Carlos Lorenzoni PSDB 68,709% 5 944
2004 2005–2008 Elias Kieffer PPS 66,445% 5 691
2008 2009–2012 Eliane Paes Lorenzoni PP 48,27% 4 793
2012 2013–2016 Antônio Lidiney Gobbi PSB 56,09% 5 609
2016 2017–2020 João Carlos Lorenzoni PP 53,22% 5 207
2020 2021–2024 João Carlos Lorenzoni PSB 48,48% 4 483

EconomiaEditar

 
Plantações de eucalipto ao redor do distrito de Victor Hugo

No Produto Interno Bruto (PIB) de Marechal Floriano, destacam-se as áreas da agropecuária e de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2019, o PIB do município era de R$ 399 205,88 mil.[11] 34 073,61 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 23 913,14.[11] Em 2010, 74,33% da população maior de 18 anos era economicamente ativa, enquanto que a taxa de desocupação era de 3,35%.[37]

A pecuária e a agricultura acrescentavam 89 627,46 mil reais na economia de Marechal Floriano em 2019,[11] sendo que essas atividades empregavam quase metade da população.[41] Muito disso se deve à avicultura de corte do município, que corresponde a 24,56% do total produzido no Espírito Santo, e à horticultura.[42] Os cultivos temporários mais representativos são o tomate, o inhame, o feijão, a mandioca e o milho, além das folhosas como alface, couve e salsa.[42] O cultivo do café também se sobressai no setor primário, sendo responsável por 64% da produção de sua lavoura permanente. Outros cultivos relevantes são o abacate, a banana, a laranja, o palmito e a tangerina.[42]

 
Vista panorâmica da cidade

A monocultura do eucalipto ocorre de maneira massiva em Marechal Floriano, sobretudo para abastecer indústrias de celulose e serrarias. O município possui a maior produtividade de madeira em metros esteros por hectare ao ano do estado. É comum que áreas acidentadas e de solos inférteis antes ocupadas pelo café tenham sido destinadas às plantações de eucalipto.[42] Enquanto isso, a indústria, acrescentava 42 745,26 mil reais do PIB municipal em 2019.[11] Além das indústrias ligadas ao ramo madeireiro,[42] esse setor é representado principalmente pela fabricação de produtos oriundos da produção agropecuária, como derivados de café, milho, mandioca e mel, doces e panificados.[26]

Em 2019, 146 823,80 mil reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor de serviços e 85 935,76 mil reais do valor adicionado da administração pública.[11] A atividade comercial do município apresenta ligação direta com a produção agropecuária, haja vista o consumo interno[43] e a comercialização com redes de supermercado e distribuidoras de outras cidades do Espírito Santo e de outros estados, principalmente Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro.[26] A presença de diversos atrativos rurais, como trilhas, cachoeiras e fazendas, assim como os orquidários, também reforçam a contribuição do turismo rural para a economia de Marechal Floriano.[26]

InfraestruturaEditar

Saúde e educaçãoEditar

A rede de saúde de Marechal Floriano inclui oito unidades básicas de saúde e dois postos de saúde, segundo informações de 2018.[44] Em 2020, foram registrados 136 óbitos por morbidades, dentre os quais as doenças do sistema circulatório representaram a maior causa de mortes (20,58%), seguida pelos tumores (17,64%).[45] Ao mesmo tempo, foram registrados 202 nascidos vivos, sendo que o índice de mortalidade infantil no mesmo ano foi de 14,85 óbitos de crianças menores de um ano de idade a cada mil nascidos vivos.[46]

Em 2010, 94,16% das crianças com faixa etária entre cinco e seis anos estavam matriculadas na educação infantil, ao mesmo tempo que 86,74% da população de 11 a 13 anos cursavam as séries finais do ensino fundamental. Contudo, da população de 15 a 17 anos, 58,36% haviam finalizado o ensino fundamental, enquanto 39,73% dos residentes de 18 e 20 anos tinham terminado o ensino médio. Os habitantes tinham uma expectativa média de 9,29 anos de estudo, enquanto 12,02% das pessoas com 25 anos de idade ou mais eram analfabetas.[37] Dentre essa faixa etária, 36,54% tinham completado o ensino fundamental, 21,60% o ensino médio e 5,76% o ensino superior.[37] Já em 2021, havia 3 934 matrículas nas instituições de educação infantil e ensinos fundamental e médio da cidade.[47]

Educação de Marechal Floriano em números (2021)[47]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 889 50 13
Ensino fundamental 2 478 126 12
Ensino médio 567 43 2

Habitação e transporteEditar

 
Prédio da antiga estação ferroviária de Marechal Floriano

No ano de 2010, a cidade tinha 4 542 domicílios particulares permanentes. Desse total, 4 121 eram casas, 385 eram apartamentos, 25 eram casas de vila ou em condomínio e onze eram habitações em casa de cômodos ou cortiços. Do total de domicílios, 2 879 são imóveis próprios (2 804 já quitados e 75 em aquisição), 914 foram alugados, 745 foram cedidos (579 cedidos por empregador e 166 cedidos de outra forma) e quatro foram ocupados sob outra condição.[48] No mesmo ano, 2 353 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água (51,81% do total), em 1 804 (39,71% deles) o abastecimento de água era feito por meio poços e/ou nascentes na própria propriedade, em 379 (8,34%) por meio de poços e/ou nascentes de outras propriedades e os demais se abasteciam de outras formas.[48]

Também em 2010, 4 536 domicílios (99,86% do total) possuíam abastecimento de energia elétrica; 4 486 (98,76% deles) possuíam banheiros para uso exclusivo das residências; e 3 757 (82,71%) eram atendidos pelo serviço de coleta de lixo.[48] O código de área (DDD) é 027[49] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 29255-000 a 29259-999.[50] O serviço postal é atendido por agências da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos funcionando na sede municipal e em localidades rurais.[51] A frota municipal no ano de 2021 era de 13 404 veículos, sendo 5 688 automóveis, 3 552 motocicletas, 1 417 caminhonetes, 969 caminhões, 499 motonetas, 381 caminhonetas, 241 semirreboques, 197 reboques, 172 caminhões-trator, 141 utilitários, 56 ônibus, 66 micro-ônibus, 17 tratores de rodas, quatro ciclomotores e quatro triciclos.[52] O principal acesso à cidade é feito por meio da BR-262, que corta o território municipal.[42]

O município se situa às margens de uma antiga ferrovia, a Linha do Litoral da Estrada de Ferro Leopoldina, que liga Vitória e Vila Velha ao estado do Rio de Janeiro. A antiga estação ferroviária da cidade, que foi inaugurada em 1900, possibilitava o transporte de pessoas até a década de 1980, quando o trem de passageiros deixou de operar. Posteriormente, o prédio foi tombado,[15] aproveitado pela administração municipal e passou a ser a sede do Museu da Imigração.[16][53] O ramal ferroviário atendia ainda a uma estação ferroviária no distrito de Araguaia, que também virou atrativo turístico após ser desativada.[54][55]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  2. a b c d e f Incaper 2020, p. 6–7
  3. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «História - Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  4. a b c d e f g Prefeitura. «História do município». Consultado em 27 de abril de 2019. Cópia arquivada em 27 de abril de 2019 
  5. Estadão (2020). «Cacau Lorenzoni». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  6. Gazeta do Povo (2020). «Resultados para Vereador em Marechal Floriano - Espírito Santo». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  7. a b c d e Prefeitura. «Informações Gerais». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  8. a b c Climate-Data.org. «Clima: Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  9. a b Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 4 de julho de 2022 
  10. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 31 de agosto de 2013. Arquivado do original (PDF) em 8 de julho de 2014 
  11. a b c d e f g Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2019). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2019». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  12. Câmara Municipal. «História de Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  13. a b Câmara Municipal 2021, p. 2
  14. a b Câmara Municipal 2021, p. 6–9
  15. a b c Estações Ferroviárias do Brasil (4 de novembro de 2021). «Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  16. a b Folha Vitória (13 de maio de 2019). «Moradores celebram 119 anos de inauguração da Estação Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  17. Notícia Capixaba (23 de outubro de 2017). «Sessão Solene comemora 26 anos de emancipação política de Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  18. Embrapa Monitoramento por Satélite. «Espírito Santo». Consultado em 4 de julho de 2022. Arquivado do original em 16 de dezembro de 2012 
  19. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2017 
  20. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  21. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 4 de julho de 2022 
  22. CESAN 2017, p. 3
  23. a b c Incaper 2020, p. 15–16
  24. a b Descubra o Espírito Santo. «Marechal Floriano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  25. Deina, Miquelina Aparecida (2013). «Alterações hidrogeomorfológicas no baixo curso do Rio Jucu (ES)» (PDF). Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES): 71. Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada (PDF) em 21 de junho de 2022 
  26. a b c d Incaper 2020, p. 28–32
  27. Folha Vitória (13 de agosto de 2018). «Cidade florida: começam ações do Projeto das Orquídeas, em Marechal Floriano». Folha Vitória. Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  28. Prefeitura (16 de outubro de 2019). «Marechal Floriano aproveita primavera para espalhar ainda mais orquídeas no município». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  29. Incaper 2020, p. 10
  30. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Brasil - Climas». Biblioteca IBGE. Consultado em 4 de julho de 2022. Arquivado do original em 12 de outubro de 2013 
  31. a b c Incaper 2020, p. 12–13
  32. SEDURB 2013, p. 25–27
  33. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). «Monitoramento Hidrometeorológico - Municípios - Marechal Floriano (Estação Marechal Floriano DNOS - Jusante)». Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 25 de junho de 2022 
  34. Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) (2010). «Ranking de Descargas Atmosféricas do Espírito Santo». Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Consultado em 4 de julho de 2022 
  35. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 202 - População residente, por sexo e situação do domicílio - Ano». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  36. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 202 - População residente, por sexo e situação do domicílio - Situação do domicílio, Sexo». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  37. a b c d Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). «Marechal Floriano, ES». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  38. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 136 - População residente, por cor ou raça - Cor ou raça». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  39. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião - Religião». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  40. Tribunal Superior Eleitoral (TSE). «Eleições anteriores». Consultado em 4 de julho de 2022 
  41. Incaper 2020, p. 9
  42. a b c d e f Incaper 2020, p. 22–25
  43. Folha Vitória (16 de dezembro de 2021). «1ª Feira Empresarial de Marechal Floriano reuniu dezenas de pessoas». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  44. Relatórios Dinâmicos. «Infraestrutura Urbana & Social». Centro de Inovação SESI. Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  45. IBGE Cidades (2020). «Morbidade». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  46. IBGE Cidades (2020). «Taxa de mortalidade infantil». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  47. a b IBGE Cidades (2021). «Censo escolar - sinopse». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  48. a b c IBGE Cidades (2010). «Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  49. DDI-DDD. «Cidades e estados com código / prefixo DDD 27». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  50. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 4 de julho de 2022 
  51. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Agências». Consultado em 4 de julho de 2022 
  52. IBGE Cidades (2021). «Frota 2021». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  53. Prefeitura (13 de maio de 2022). «Estação Ferroviária Marechal Floriano completa 122 anos em 2022». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  54. Fernanda Queiroz (16 de agosto de 2021). «Distrito de Araguaia guarda histórias da imigração no ES». CBN Vitória. Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 
  55. ES Brasil (1 de junho de 2022). «Marechal Floriano: um município cheio de história para contar». Consultado em 4 de julho de 2022. Cópia arquivada em 4 de julho de 2022 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Marechal Floriano