Margarida do Palatinado

aristocrata alemã

Margarida do Palatinado (em alemão: Margarete von der Pfalz e em francês: Marguerite du Palatinat; 137626 de agosto de 1434) era a filha mais velha de Roberto, conde palatino do Reno e, mais tarde, imperador, e de Isabel de Nuremberga.

Margarida do Palatinado
Margarida do Palatindo, Duquesa da Lorena
Duquesa da Lorena
Reinado 1393-1434
Antecessor(a) Sofia de Württemberg
Sucessor(a) Isabel da Lorena
 
Cônjuge Carlos II da Lorena
Descendência Isabel, Duquesa da Lorena
Catarina, Marquesa de Baden
Casa Wittelsbach (por nascimento)
Lorena (por casamento)
Nascimento 1376
Morte 26 de agosto de 1434 (58 anos)
  Einville-au-Jard (Lunéville)
Pai Roberto Conde palatino e imperador
Mãe Isabel de Nuremberga

BiografiaEditar

Pouco se sabe sobre a juventude de Margarida.

Era sobrinha-neta de Brígida da Suécia, parente das rainhas Santa Isabel da Hungria e Santa Isabel de Portugal, três soberanas canonizadas e que a inspiraram. Levou uma vida muito piedosa e caridosa mas, apesar de vários pedidos, nunca foi beatificada pela Igreja Católica.

O seu guia espiritual foi o Cartuxo Adolfo de Essen que ela conheceu em Sierck em 1403 e que, com seu apoio, propagou a prática do rosário. Ela era a protetora da capela Notre-Dame-du-Rosaire de Marienfloss[1] fundada em 1415 por Adolfo.[2]

A duquesa Margarida suporta com dignidade o adultério de seu marido com a belíssima Alison du May. Em 1419, a Duquesa, abandonada pelo marido, abraçou a vida religiosa e mudou-se para Marienfloss.[3]

Ela morreu a 26 de agosto de 1434 em Einville-au-Jard, próximo de Lunéville, e foi sepultada na igreja da Colegiada de Saint-Georges, em Nancy. O seu corpo viria a ser transladado para o panteão ducal em 1746 a pedido do imperador Francisco I.

Casamento e descendênciaEditar

 
Retrato imaginário de Carlos II e de Margarida do Palatinado (século XVII)

A 16 de fevereiro de 1393, Margarida, com apenas 16 anos de idade, casou, em Kaiserslautern, com o duque Carlos II da Lorena, doze anos mais velho. Dada a sua consanguinidade, o Papa deu a necessária dispensa. Desse casamento nasceram quatro filhos mas apenas duas meninas atingiram a idade adulta:

Referências

  1. Em Sierck-les-Bains
  2. A capela de Marienfloss
  3. Os cartuxos deixaram Marienfloss em 1431.
  4. Bogdan 2007, p. 284.

BibliografiaEditar

  • (em francês) Jacqueline Carolus-Curien, Pauvres duchesses, l'envers du décor à la cour de Lorraine. Edições Serpenoise, Metz, 2007, Pág. 24-39. ISBN 978-2-87692-715-5.
  • (em francês) Henry Bogdan, La Lorraine des Ducs, Edições Perrin, 2007.

Ligações externasEditar