Abrir menu principal

Maria Ana de Bragança, Grã-duquesa do Luxemburgo

BiografiaEditar

FamíliaEditar

Maria Ana de Bragança foi a sexta filha do, então, já ex-infante D. Miguel de Portugal e da princesa Adelaide de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg.[2] Maria Ana (assim como seus irmãos) nasceu no exílio na Alemanha pois, à época do casamento de seu pai, este já havia sido deposto e banido de Portugal, em decorrência das Guerras Liberais e por meio da assinatura da Convenção de Évoramonte. Tinha entre seus familiares grande parte a realeza europeia, sendo seus avós paternos o rei D. João VI de Portugal e D. Carlota Joaquina de Bourbon [2]. Foi sobrinha do imperador D. Pedro I do Brasil, prima-irmã do imperador D. Pedro II do Brasil e da rainha D. Maria II de Portugal.

CasamentoEditar

 
Maria Ana e suas filhas, em 1903

No dia 21 de junho de 1893, no castelo de Fischhorn, em Zell am See, Maria Ana casou-se com Guilherme de Nassau-Weilburg, filho mais velho e herdeiro do grão-duque Adolfo de Luxemburgo e chefe da Casa de Nassau-Weilburg [2]. Concordou-se que os filhos de Guilherme, que era protestante, e de Maria Ana seriam criados como católicos, a religião de Maria Ana e da maioria da população do grão-ducado. O casal teve seis filhas.

Guilherme tornou-se grão-duque de Luxemburgo, como Guilherme IV, com a morte de seu pai, em 17 de novembro de 1905. Maria Ana tornou-se grã-duquesa com a versão francesa de seu nome, Marie Anne. Por ser o último varão da Casa de Nassau-Weilburg, Guilherme declarou suas filhas como suas sucessoras, sendo a primogênita Maria Adelaide confirmada e proclamada herdeira presuntiva em 10 de julho de 1907.

Maria Ana assumiu, por duas ocasiões, a regência do grão-ducado:

19 de novembro de 1908 - 15 de fevereiro de 1912, durante a doença terminal de seu marido;
25 de fevereiro a 18 de junho de 1912, durante a menoridade da grã-duquesa Maria Adelaide de Luxemburgo.

MorteEditar

Maria Ana morreu aos oitenta e um anos, em Nova Iorque, Estados Unidos, para onde havia fugido com a família por causa da Segunda Guerra Mundial. Seu corpo está sepultado na Catedral de Notre-Dame de Luxemburgo [3].

Títulos e honrariasEditar

21 de junho de 1893 – 17 de novembro de 1905: Sua Alteza Real, a Grã-duquesa Herdeira de Luxemburgo
17 de novembro de 1905 – 25 de fevereiro de 1912: Sua Alteza Real, a Grã-duquesa de Luxemburgo
25 de fevereiro de 1912 – 31 de julho de 1942: Sua Alteza Real, a Grã-duquesa-Viúva de Luxemburgo

DescendênciaEditar

Nome Nascimento Morte Notas
Maria Adelaide 14 de junho de 1894 24 de janeiro de 1924 Primeira grã-duquesa soberana de Luxemburgo. Nunca se casou nem teve filhos. Abdicou em favor de sua irmã Carlota em 14 de junho de 1919.
Carlota 23 de janeiro de 1896 9 de julho de 1985 Casou-se com seu primo Félix de Bourbon-Parma. Abdicou em favor de seu filho João em 12 de novembro de 1964.
Hilda 15 de fevereiro de 1897 8 de setembro de 1979 casou-se com o príncipe Adolfo de Schwarzenberg (1930), sem descendência [4].
Antonieta 7 de outubro de 1899 31 de julho de 1964 Casou-se com Rodolfo, Príncipe Herdeiro da Baviera (1918), com descendência.
Isabel 7 de março de 1901 2 de agosto de 1950 Casou-se com o príncipe Luís Filipe de Thurn und Taxis (1922), com descendência.
Sofia 14 de fevereiro de 1902 24 de maio de 1941 Casou-se com o príncipe Ernesto Henrique da Saxônia (1921), com descendência.
Realeza Portuguesa
Dinastia de Bragança
Descendência

AncestraisEditar

Ver tambémEditar

Referências

Casa de Nassau-Weilburg
Maria Ana de Bragança
Nascimento: 13 de julho de 1861; Morte: 31 de julho de 1942
Precedido por
Adelaide Maria de Anhalt-Dessau

Grã-duquesa de Luxemburgo
19051912
Sucedido por
Félix de Bourbon-Parma
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.