Abrir menu principal
Maria Josefa
Infanta da Espanha
Retrato por Anton Raphael Mengs, 1761
Casa Bourbon
Nome completo
Maria Josefa Carmela
Nascimento 6 de julho de 1744
  Gaeta, Nápoles
Morte 8 de dezembro de 1801 (57 anos)
  Palácio Real de Madrid, Madrid, Espanha
Enterro San Lorenzo de El Escorial,
El Escorial, Espanha
Pai Carlos III da Espanha
Mãe Maria Amália da Saxônia
Religião Catolicismo
Brasão

Maria Josefa Carmela de Bourbon (María Josefa Carmela de Borbón; Gaeta, 6 de julho de 1744Madrid, 8 de dezembro de 1801) foi uma princesa de Nápoles e da Sicília até quando seu pai ascendeu ao trono espanhol, tendo Maria Josefa se convertido em infanta da Espanha. Era filha do rei Carlos III da Espanha e Maria Amália da Saxônia.

Índice

BiografiaEditar

A princesa Maria Josefa de Nápoles e da Sicília nasceu em Gaeta, Nápoles. Recebeu o nome em honra da sua avó materna, a arquiduquesa Maria Josefa da Áustria. O seu pai era rei de Nápoles e da Sicília, graças à União Pessoal, desde 1734. Os seus pais casaram em 1738 e Maria Josefa foi a primeira dos filhos a viver mais de cinco anos. Sendo a quarta filha dos seus pais, quando nasceu tinha uma irmã mais velha, a princesa Maria Isabel Ana que morreu três anos depois.

Tanto Maria Josefa como a sua irmã mais nova, a princesa Maria Luísa foram seleccionadas como candidatas para se casarem com o grão-duque da Toscana, filho do imperatriz Maria Teresa da Áustria, mas Maria Luísa acabou por ser escolhida.

Como princesa de Nápoles e da Sicília, era também infanta de Espanha pelo lado do pai, o que lhe dava o tratamento de Alteza Real. Os seus pais eram um casal apaixonado. A sua mãe, Maria Amália, morreu pouco mais de um ano depois de a família chegar a Espanha e o seu pai acabaria também por falecer em 1788. Depois disso, Maria Josefa passou a viver na corte dominada pela sua cunhada, a princesa Maria Luísa de Parma, neta do rei Luís XV de França, com quem a infanta não se entendia.

 
A Infanta Maria Josefa por Goya

Maria Josefa foi uma das candidatas apresentadas para segunda esposa do rei Luís XV de França, quando a sua primeira esposa, Maria Leszczyńska, morreu em 1768. Na altura Maria Josefa tinha apenas vinte-e-quatro anos de idade e o rei rejeitou a proposta, sentindo-se ofendido com a idade da princesa. Maria Josefa acabaria por nunca se casar. Após a morte do pai, continuou a viver no Palácio Real com o irmão, o rei Carlos IV. Ajudou as irmãs Carmelitas e pediu para ser enterrada no seu convento, o de Santa Teresa.[1]

Morreu no Palácio Real de Madrid aos cinquenta-e-sete anos de idade, antes de o seu irmão Carlos perder o trono e ser exilado em 1808. Em 1877, o seu corpo foi transladado para El Escorial.

Títulos, estilos e honrariasEditar

  • 6 de julho de 1744 – 6 de outubro de 1759 Sua Alteza Real a Princesa Maria Josefa de Nápoles e Sicília, Infanta de Espanha
  • 6 de outubro de 1759 – 8 de dezembro de 1801: Sua Alteza Real a Infanta Dona Maria Josefa, Infanta de Espanha, Princesa de Nápoles e Sícília

HonrasEditar

GenealogiaEditar

Os antepassados de Maria Josefa de Espanha em três gerações[2]
Maria Josefa de Espanha Pai:
Carlos III de Espanha
Avô paterno:
Filipe V de Espanha
Bisavô paterno:
Luís, o grande delfim de França
Bisavó paterna:
Maria Ana Vitória de Baviera
Avó paterna:
Isabel Farnésio
Bisavô paterno:
Eduardo, Príncipe herdeiro de Parma
Bisavó paterna:
Doroteia Sofia de Neuburgo
Mãe:
Maria Amália da Saxônia
Avô materno:
Augusto III da Polônia
Bisavô materno:
Augusto II da Polônia
Bisavó materna:
Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Avó materna:
Maria Josefa da Áustria
Bisavô materno:
José I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavó materna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo

Referências

  1. Mississippi Commission, The Majesty of Spain, p. 72
  2. The Peerage, consultado a 2 de Agosto de 2014
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria Josefa de Espanha