Maria Teresa de Bourbon-Duas Sicílias

Maria Teresa de Bourbon-Duas Sicílias (Zurique, 15 de janeiro de 1867Cannes, 1 de março de 1909), foi uma Princesa das Duas Sicílias, a primeira esposa do príncipe Guilherme e Princesa Consorte de Hohenzollern-Sigmaringen de 1905 até sua morte. Era a única filha do príncipe Luís, Conde de Trani e de sua esposa, a princesa Matilde Luísa da Baviera.

Maria Teresa
Princesa das Duas Sicílias
Princesa Consorte de Hohenzollern-Sigmaringen
Período 8 de junho de 1905
a 1 de março de 1909
Antecessor(a) Antónia de Portugal
Sucessor(a) Aldegunda da Baviera
Nascimento 15 de janeiro de 1867
  Zurique, Suíça
Morte 1 de março de 1909 (42 anos)
  Cannes, França
Nome completo  
Maria Teresa Madalena de Bourbon-Duas Sicílias
Cônjuge Guilherme, Príncipe de Hohenzollern
Descendência Augusta Vitória de Hohenzollern
Frederico Vítor de Hohenzollern
Francisco José de Hohenzollern
Casa Bourbon-Duas Sicílias (por nascimento)
Hohenzollern-Sigmaringen (por casamento)
Pai Luís, Conde de Trani
Mãe Matilde Luísa da Baviera
Religião Catolicismo

BiografiaEditar

Quando Maria Teresa nasceu, sua família já estava vivendo em exílio, devido à Unificação Italiana.

Ela se casou com o príncipe Guilherme de Hohenzollern-Sigmaringen. O casal viveu primeiro em Berlim, onde Guilherme serviu como comandante de infantaria. Eles tiveram três filhos:

Desde sua infância, Maria Teresa sofria de uma doença na medula espinhal, a qual seria diagnosticada, hoje, como esclerose múltipla. A partir de 1905, a doença ficou mais aguda, e de nada serviu o período de cura termal, em que ela passou a viajar a Bad Tölz no verão e a Cannes no inverno. A paralisia chegou ao ponto de não deixá-la se alimentar mais por conta própria. Sua mãe ficou próxima de Maria Teresa em todo os momentos.

Foi sepultada em Sigmaringen. Em 1915, o príncipe Guilherme casou-se de novo.

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maria Teresa de Bourbon-Duas Sicílias

ReferênciasEditar

  • Erika Bestenreiner. L'imperatrice Sissi. Milano, Mondadori, 2003.