Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para a política e empresária, veja Maria de Lourdes Martins (empresária).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Maria de Lourdes Martins
Nome nativo Clara da Silva
Nascimento 26 de maio de 1926
Lisboa
Morte 31 de agosto de 2009 (83 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação compositora, musicólogo, professor de música, pianista

Maria de Lourdes Martins (Lisboa, 26 de maio de 192631 de agosto de 2009) foi uma compositora e pianista portuguesa.

BiografiaEditar

Frequentou o Conservatório Nacional de Lisboa e estagiou mais tarde na Alemanha e na Áustria. Pianista, deu recitais em Portugal e estrangeiro. Como compositora foi autora de peças de música de câmara, para orquestra, piano, cravo e canto. Entre outros prémios, recebeu, em 1959, o Prémio Carlos Seixas com o Trio para piano, Violino e violoncelo, em 1960 o Prémio Calouste Gulbenkian com o coral sinfónico O encoberto (texto de Fernando Pessoa). Dedicou-se intensamente à iniciação musical, com obra publicada. Ver entrevista sua em: Sérgio Azevedo, A Invenção dos Sons, Editorial Caminho, 1998, pp. 73-90.

Obras: Rondó Hoje há Palhaços Rapsódia de Natal Suite de Danças Tradicionais Portuguesas