Maria de Lourdes de Mello e Castro

pintora portuguesa (1903-1996)

Maria de Lourdes de Mello e Castro (Tomar, 1903Lisboa, 1996), ComIH, foi uma pintora naturalista portuguesa do século XX.

Maria de Lourdes de Mello e Castro
Nascimento 24 de outubro de 1903
Tomar
Morte 28 de julho de 1996 (92 anos)
Ocupação pintora

BiografiaEditar

Maria de Lourdes Campeão de Melo e Castro Esteves de Brito ComIH, mais conhecida como Maria de Lourdes de Mello e Castro, nasceu em Tomar no dia 24 de outubro de 1903 e faleceu em Lisboa, no dia 28 de julho de 1996). Filha única do proprietário e agricultor Diniz de Mello e Castro de Esteves de Brito e de D. Maria Adelinda Delgado Campeão de Mello e Castro, descende de uma família de nobreza rural proveniente de Alpedrinha e fixada em Tomar.

Maria de Lourdes casa a 16 de Agosto de 1937 na capela da Quinta das Avessadas em Tomar, propriedade da sua família, com o médico-cirurgião de gastroenterologia Dr. Guilherme Pinto Rodrigues da Costa (Alvellos), filho do Visconde de Alvellos.

Foi uma pintora portuguesa do século XX, cuja obra se enquadra na corrente estética da naturalismo.[1]

Foi discípula de José Malhoa, de 1921 até à morte do pintor. Da obra de Maria de Lourdes destacam-se a pintura de género, a paisagem e o retrato, destacando-se o uso do pastel.

Escreve Nuno Saldanha que «é efectivamente no género, que se consubstancia a essência da originalidade da pintura de Maria de Lourdes, não obstante, como vimos, alguns críticos não o terem entendido na época. Através de uma visão própria, na expressão das poses características do seu meio social, aristocrático e rural, em constantes encenações do quotidiano, a pintura converte-se numa espécie de "diário visual", do seu mundo feminino, de emoções, confidências, e relacionamentos sociais que, de certo modo, se mostra particularmente inovador no panorama da pintura portuguesa novecentista.»[2]

ReconhecimentoEditar

A 10 de Junho de 1991, foi agraciada com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique. [3]

A Câmara Municipal de Tomar homenageou a pintora dando o seu nome a uma avenida, ao passo que a Câmara de Lisboa lhe concedeu uma rua. [4]

Participou nas seguintes exposições:

1948 - Exposição de Arte Portuguesa em Luanda e Lourenço Marques

1957 - Galeria Pórtico - IV exposição colectiva de artistas plásticos

1966 - Museu Arte Popular - As artes ao serviço da nação

1979 - Paris - Exposição de Retrato Paul-Weiller

1982 - Fundação Calouste Gulbenkian - Os Anos 40 na Arte Portuguesa

1983 - Câmara Municipal de Tomar - Exposição Retrospectiva de Homenagem

1989 - Fundação Calouste Gulbenkian/ Museu José Malhoa - Grande Exposição Retrospectiva.

2003-2004 - Centro Cultural de Belém


Referências

  1. «Maria de Lourdes de Mello e Castro». Dicionários Porto Editora. Infopédia 
  2. Saldanha, Nuno (2013). Maria de Lourdes de Mello e Castro (1903 - 1996): A Pintura no Feminino. Lisboa: Scribe. p. 31. ISBN 9789898410306 
  3. «Entidades Nacionais Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Maria de Lourdes de Mello e Castro". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  4. «Código Postal». Código Postal. Consultado em 29 de janeiro de 2021 
  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.