Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho

Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho, Condessa de Belmonte (Elvas, 5 de fevereiro de 1779 - Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1855) foi camareira-mor na época do Primeiro reinado do Império do Brasil. Foi a responsável pelos estudos iniciais de D. Pedro II, considerada como uma segunda mãe pelos filhos de D. Pedro I.

Mariana Carlota de Verna
Condessa de Belmonte
Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho
Nascimento 5 de fevereiro de 1779
  Elvas, Portalegre,
Reino de Portugal
Morte 17 de outubro de 1855 (76 anos)
  Rio de Janeiro, Município Neutro, Império do Brasil
Nome completo  
Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho
Cônjuge Joaquim José de Magalhães Coutinho
Descendência Maria Antónia
Leopoldina Isabel
Ernesto Frederico
Brasão Ficheiro:Brasão Condessa de Belmonte.png

Foi uma das promotoras da campanha contra José Bonifácio de Andrada e Silva, na época tutor dos príncipes. O futuro imperador afeiçoou-se de forma intensa a D. Mariana Carlota e, mesmo adulto, chamava-a pelo apelido de infância: 'Dadama'. Ele considerava-a como sua mãe de criação e respeitava-a como tal.

Ela foi nomeada governanta real quando o herdeiro do trono nasceu em 1825. Quando o imperador D. Pedro I deixou o Brasil e foi para Portugal em 1831, ele a nomeou para cuidar de seus filhos, incluindo o próximo imperador D. Pedro II. Depois que Pedro II se casou, ela foi nomeada dama de companhia principal da imperatriz Teresa Cristina Bourbon-Duas Sicílias Em 1847, tornou-se madrinha da princesa Leopoldina do Brasil.

Genealogia editar

Foi casada com Joaquim José de Magalhães Coutinho, de quem teve três filhos;

  • Maria Antónia
  • Leopoldina Isabel
  • Ernesto Frederico

Títulos editar

O título de condessa de Belmonte foi criado por D. Pedro II por decreto de 5 de maio de 1844.

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.